Harding corta expectativa e diz que chance de ter segundo carro na Indy 500 é de “cerca de 0,2%”

Após confirmar dois carros na temporada 2019 e ficar apenas com o de Colton Herta, a Harding admite que não deve ter o segundo bólido nem na Indy 500. Brian Barnhart, presidente do time, afirmou que as chances de ter dois carros na prova estão em 0,2%

A Harding vive uma temporada 2019 da Indy bastante estranha. Ao mesmo tempo em que já venceu sua primeira corrida na história em Austin com Colton Herta, o time também deixou de alinhar o segundo carro por problemas financeiros e, muito dificilmente, vai conseguir ter o bólido na Indy 500.
 
Presidente da jovem equipe, Brian Barnhart admitiu que as chances de ter alguém ao lado de Herta na principal prova do calendário são muito pequenas e explicou que só pensaria nisso com uma proposta bem parruda de algum piloto.
 
"Diria que a chance é de 99,8% de não termos um segundo carro. A menos que chegue alguém aí nos dando $ 1,5 mi, algo que eu não espero que aconteça, não vejo ninguém gastando dinheiro assim. Mas a Honda disse que faria um segundo motor para nós mesmo depois do prazo que já passou, mas, é isso, espero só um carro mesmo no IMS", disse à revista americana 'Racer'.
Colton Herta deve mesmo ser o único piloto da Harding na Indy 500 (Foto: IndyCar)

Ainda que tenha colocado um preço, Barnhart fez questão de evidenciar que prefere não ter dois carros, colocando Herta como grande prioridade. O novato tem uma vitória, um oitavo lugar e dois abandonos na montanha-russa que vive no começo de campeonato, em décimo lugar geral.

 
"Precisamos focar no carro #88. Tivemos já certo sucesso esse ano, mas também algumas dificuldades e precisamos ser mais espertos para permitir que o Colton seja nosso único foco em maio", completou.


 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube