Indy

Indy admite que largadas paradas “não são prioridade” para 2022

Jay Frye, presidente da Indy, citou que as largadas com o grid parado não são prioridades da categoria com a mudança de motores marcada para 2022. Ele crê que a largada em movimento é uma característica clássica da Indy, mas admite uma possibilidade de mudança no futuro

Grande Prêmio / Redação GP, de Campinas
A Indy anunciou que introduzirá motores híbridos a partir de 2022. As unidades de potência terão carga elétrica e facilidade na hora de reiniciar o carro, mas as largadas paradas não são prioridade da categoria na entrada do novo regulamento.
 
Em 2013 e 2014, a Indy introduziu as largadas com grid parado buscando reduzir o número de bandeiras amarelas na primeira curva, mas a tentativa não deu muito certo e foi abolida antes do início de 2015. Jay Frye, presidente da categoria, revelou sua preferência por largadas em movimento.
 
"Introduzir as largadas paradas não era a intenção dos novos motores. Como dissemos na época, era para reduzir bandeiras amarelas e deixar o time de segurança em menos risco. Se o piloto conseguir reiniciar o carro depois de rodar, ele pode sair sozinho e o nosso time não se arrisca tanto", disse o mandatário em entrevista ao site norte-americano ‘Motorsport.com’.
Josef Newgarden (Foto: Indycar)
"As largadas paradas são algo que vamos olhar com o tempo, mas elas não são prioridade. Eu gosto de largadas em andamento, elas nos diferenciam da maioria das competições de Fórmula, mas falo isso como fã", seguiu.
 
Reconhecendo que o diferente tipo de largada pode retornar no futuro, Frye comentou sobre o problema na primeira volta de Long Beach. Os carros do pelotão da frente conseguem abrir grande vantagem logo nas primeiras curvas, mas o presidente citou que outras soluções podem ser exploradas.
 
"Podemos pensar nisso em Long Beach, para nos livrar da situação em que os caras da frente já estão acelerando enquanto os do fundo estão fazendo o último hairpin. Mas, podemos ter outras soluções para este problema", completou.
 
A Indy tem sua última etapa de 2019 marcada para o dia 22 de setembro, em Laguna Seca. Josef Newgarden lidera o campeonato, com 41 pontos de vantagem para Alexander Rossi.
 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.