Harvey diz que “inveja” do ritmo da RLL na Indy ajudou em escolha para temporada 2022

Jack Harvey está de casa nova para a temporada 2022, agora na RLL. Após o anúncio, o britânico contou o que mais o atraiu na equipe que decidiu defender a a partir do próximo ano

Jack Harvey encerrou a temporada 2021 da Indy com a Meyer Shank Racing já sabendo que estava fora dos planos do time para o próximo ano. Na última semana, anunciou que vai correr em 2022 pela Rahal Letterman Lanigan Racing, com o carro #45.

Harvey estreou na Indy nas 500 Milhas de Indianápolis de 2017, pela antiga Michael Shank Racing, que viraria Meyer Shank em 2018. O piloto fez parte de toda a construção da equipe, desde ser um time de apenas algumas corridas por ano até participar de temporadas completas, em 2020 e 2021. No campeonato mais recente, Jack fechou na 13ª colocação na classificação, tendo os quartos lugares em St. Pete e Portland como seus melhores resultados.

Após cinco anos competindo pela Meyer Shank, a mudança representa um grande passo para Harvey na carreira e o piloto fez um análise sobre o que viu da RLL no último ano, comparando especialmente com a missão de evoluir praticamente sozinho o carro da MSR ao longo da temporada.

Jack Harvey estava na Meyer Shank (Foto: Indycar)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

“Eu olho para nossa temporada e foi recheada de potencial. Muitos ‘queremos, podemos e gostaríamos’ ditos. Penso em cada final de semana e mentalizo as corridas, sempre parece que o ritmo de corrida do Graham [Rahal] era forte. Como time, eles [a RLL] sempre encontrou um jeito de colocar os pilotos na frente. Em algumas corridas, eu definitivamente senti inveja disso”, pontuou Harvey.

“O que me levou ao time foi o fato de terem feito uma boa temporada, mas isso não foi suficiente. É como eu me sinto, na verdade. Estou pronto para ter um papel maior [na Indy]. Fiquei impressiondo com a ambição e os desejos da equipe”, completou.

Em 2021, Harvey fechou o campeonato da Indy na 13ª posição, com 308 pontos. Apesar disso, a primeira e única vitória do time na categoria chegou nas mãos de Helio Castroneves, nas 500 Milhas de Indianápolis deste ano. Para 2022, a Meyer Shank vai seguir com o brasileiro, dessa vez ao lado de Simon Pagenaud, que saiu da Penske.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar