Newgarden vence GP de Gateway marcado por acidente com Palou e Dixon. O’Ward é 2º

Josef Newgarden venceu pela terceira vez em Gateway em uma corrida alucinante, com caos e confusões. O americano bateu Pato O'Ward e viu Álex Palou e Scott Dixon no muro

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

O GP de Gateway, vencido por Josef Newgarden, pode ter definido os rumos da temporada 2021 da Indy. No início deste domingo (22), o americano levou a corrida do oval curto de Madison pela terceira vez, revivendo fortemente na briga pelo tricampeonato.

Pato O’Ward é quem deixa a 13ª etapa da Indy em 2021 na liderança do campeonato. O mexicano foi segundo após ser bastante agressivo na primeira metade da prova, mas administrar a reta final da corrida pelo que aconteceu com os adversários diretos.

A corrida em Gateway foi marcada por uma reviravolta inacreditável. Em uma tacada só, Rinus VeeKay acertava e tirava de combate Álex Palou, líder do campeonato, e Scott Dixon, terceiro. Um golpe duríssimo para a Ganassi e notícia perfeita para os rivais.

Quem fechou o pódio foi o pole Will Power, que nunca pareceu ter ritmo para triunfar. Scott McLaughlin foi quarto e ampliou a vantagem sobre Romain Grosjean na briga pelo posto de novato do ano. O francês, aliás, deu show de ultrapassagens, mas teve problemas e foi 14º, logo atrás de Tony Kanaan. Sébastien Bourdais, Takuma Sato, Ryan Hunter-Reay, Simon Pagenaud, Marcus Ericsson e Jack Harvey foram os pilotos que completaram o top-10, com a Chevrolet tendo uma rara quina nas primeiras posições.

Depois da maratona de três provas seguidas, a Indy para por três semanas e volta para a rodada tripla final a partir de 12 de setembro: Portland, Laguna Seca e Long Beach.

Josef Newgarden venceu o GP de Gateway pela terceira vez (Foto: IndyCar)

Confira como foi o GP de Gateway

A largada do GP de Gateway aconteceu às 21h48 (em Brasília). Contrariando as estatísticas recentes da pista na Indy, a primeira volta foi toda em bandeira verde, com Colton Herta fazendo uma saída magistral e passando Will Power.

Josef Newgarden seguia em terceiro, com Simon Pagenaud, Marcus Ericsson e Pato O’Ward na sequência. Scott Dixon aparecia em 11º, com Álex Palou já em 16º, na frente de Romain Grosjean e Tony Kanaan.

Só que a maré de bandeira verde durou pouco, pouquíssimo. Na volta 3, Ed Jones errou, rodou e deu no meio de Graham Rahal. Os dois bateram e Graham ainda foi prensado no muro. Sobravam 22 de verdade em uma batalha que costuma mesmo ser pegada.

Ainda em amarela, praticamente uma amarela dentro da amarela: Dalton Kellett desacelerou e foi acertado na traseira por Ed Carpenter. Os dois ainda conseguiram voltar sem maiores problemas. A relargada vinha na volta 17 e, claro: amarela de novo. Pagenaud tentou mergulhar para cima de Newgarden, que fechou a porta e arrancou um pedaço da asa do companheiro de Penske.

Pagenaud ainda conseguiu ir aos boxes, junto com Conor Daly e Sébastien Bourdais, que ajustavam estratégias. Newgarden, aparentemente, não sofria danos. Eram só 20 de 260 voltas e mais caos do que ultrapassagens. De destaque, Palou: de 21º para 11º na confusão toda.

A verde era novamente acionada na volta 27 e, finalmente, a coisa rolava com mais tranquilidade. Rossi partiu firme e tomou o quarto lugar de Ericsson, com Rinus VeeKay atropelando o pelotão até a décima colocação. Os pilotos chegavam ao 50º giro e foram praticamente 23 voltas em que nada aconteceu. Considerando o início maluco, podia ser proposital, estudando a prova e sem forçar novos abandonos, mas Newgarden já se queixava do excesso de turbulência via rádio.

Só que a tranquilidade durou apenas até a volta 55, quando Ed Carpenter completou o dia de pesadelo perdendo a traseira e batendo forte no muro. Fim de prova para o especialista em ovais e a chave para a primeira janela coletiva de pit-stops.

E aí foi a hora em que a Penske brilhou. O pit-stop foi perfeito e Newgarden passava ali Power e Herta, assumindo a dianteira virtual. O australiano virava segundo, com o americano em terceiro. Na sequência: Ericsson, Rossi e O’Ward. Bourdais puxava o pelotão, mas pararia em instantes.

Veio a relargada e aí VeeKay resolveu virar a temporada do avesso. O holandês travou tudo e fez um strike inacreditável. Em uma fritada de pneus, lá estavam ninguém menos que Dixon e Palou no muro, os dois grandes nomes da Ganassi, a lenda da Indy e o líder do campeonato. Drama enorme para a equipe, ótima notícia para Newgarden e O’Ward.

A volta 77 viu a volta da ação, com Newgarden no zigue-zague para evitar as investidas rivais. A tática deu certo e o americano seguiu firme na ponta. Rossi saiu muito bem e logo passou Herta e Power, tomando para si o segundo lugar.

A ordem ali tinha Newgarden, Rossi, Power, Herta, Ericsson, O’Ward, Sato, Hunter-Reay, McLaughlin e Harvey. No entanto, não foi um stint tão monótono quanto o anterior, com O’Ward passando Ericsson e Grosjean protagonizando um verdadeiro show. Em poucas voltas, em pontos diferentes da pista, Romain passava Kanaan, Kellett, Daly, Harvey e McLaughlin. E queria mais.

Enquanto O’Ward superava Power para crescer para a quarta colocação, Grosjean e Hunter-Reay travavam espetacular duelo, que acabou na volta 113, quando o americano abriu a segunda janela de paradas da corrida.

Romain Grosjean deu show na estreia em ovais (Foto: IndyCar)

Grosjean foi aos boxes e voltou lento toda vida, perdendo muito terreno na luta por um top-10 ou até top-5 na estreia em ovais. Outro que estava sem ritmo era Rossi, que voltou da segunda parada em segundo, mas logo foi superado por Herta, O’Ward e Sato.

O stint ficava maluco, com Newgarden também perdendo performance e vendo Herta virar líder. Os cinco primeiros vinham bem próximos: Herta, Newgarden, O’Ward, Sato e Rossi. Grosjean era 11º, Kanaan aparecia em 15º, isso com 110 voltas ainda restando.

A prova voltava a uma calmaria que se explicava facilmente pela tática: já havia a possibilidade de uma turma fazer só mais um pit-stop. Assim, todo mundo já tirava o pé em determinados momentos. Dixon, 83 voltas atrás, voltava para tentar somar uns pontinhos.

Herta era o primeiro dos líderes nos boxes, na volta 185, seguido por Sato. E aí deu ruim para Colton de novo. Com uma quebra, na saída do pit-lane, o jovem americano abandonava mais uma corrida em que tinha boas chances. Dessa vez, porém, nada de bandeira amarela.

Ali pela volta 197, os demais candidatos iam aos boxes, com a Penske fazendo mais um trabalho impecável com Newgarden. Só que Josef tocou o muro na volta à pista e quase deu ruim. Rossi não teve a mesma sorte, deu na parede e abandonou na hora. Amarela acionada com Bourdais e Sato na frente de Newgarden. Principalmente para o japonês, era uma amarela perfeita.

Bourdais aproveitava para fazer a parada e voltava em quinto, em excelente posição para até vencer, já que certamente iria até o final e não precisaria poupar tanto quanto os rivais. A Foyt se via em ótima forma para as voltas finais.

Felix Rosenqvist abandonou de novo na vitória de Newgarden em Gateway (Foto: IndyCar)

Faltando 51 voltas, a bandeira verde voltava, com 16 pilotos ainda vivos e só Hinch e Grosjean de retardatários. Na relargada, Newgarden voltou a bailar e segurou a ponta, com O’Ward, Power, McLaughlin, Bourdais e Sato na sequência. Bourdais e Sato, aliás, passavam bem perto do enrosco, enquanto Rosenqvist recolhia, com problemas de novo no #7 da McLaren.

Newgarden ditava muito bem o ritmo da corrida e Bourdais, que era quem em tese teria mais lenha para queimar, nem estava assim tão rápido. O americano entrava forte nas 20 voltas finais, buscando a vitória que o recolocaria no páreo. O’Ward acompanhava bem, podendo assumir a liderança da temporada.

As voltas derradeiras foram de bastante respeito entre Newgarden e O’Ward, com ambos sabendo que não valia a pena o confronto. Pato saiu líder, enquanto Josef ficou muito vivo no campeonato.

Indy 2021, GP de Gateway, Final:

1J NEWGARDENPenske Chevrolet2:24:10.940260 voltas
2P O’WARDMcLaren Chevrolet+0.540 
3W POWERPenske Chevrolet+5.866 
4S McLAUGHLINPenske Chevrolet+6.662 
5S BOURDAISFoyt Chevrolet+7.796 
6T SATORLL Honda+8.262 
7R HUNTER-REAYAndretti Honda+14.026 
8S PAGENAUDPenske Chevrolet+15.542 
9M ERICSSONGanassi Honda+18.768 
10J HARVEYMeyer Shank Honda+20.121 
11C DALYCarlin Chevrolet+22.104 
12D KELLETTFoyt Chevrolet+24.558 
13T KANAANGanassi Honda+26.837 
14R GROSJEANDale Coyne Honda+1 volta 
15J HINCHCLIFFEAndretti Honda+17 voltas 
16F ROSENQVISTMcLaren Chevrolet+49 voltas 
17A ROSSIAndretti Honda+60 voltas 
18C HERTAAndretti Honda+75 voltas 
19S DIXONGanassi Honda+160 voltas 
20A PALOUGanassi Honda+196 voltas 
21R VEEKAYCarpenter Chevrolet+196 voltas 
22E CARPENTERCarpenter Chevrolet+206 voltas 
23G RAHALRLL Honda+256 voltas 
24E JONESDale Coyne Honda+258 voltas 

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar