Na “maior novela dos últimos dez anos”, ‘diretor’ De Ferran atesta: “O ponto forte de Alonso é que ele não tem ponto fraco”

Gil de Ferran acompanhou de perto toda a aventura de Fernando Alonso em Indianápolis e ganhou um novo amigo. Ao falar da experiência, o brasileiro, que já venceu a Indy 500, não poupou elogios ao espanhol. De Ferran também fez uma avaliação do que representou a presença do bicampeão no IMS para o esporte a motor no mundo

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Logo depois de anunciar a decisão de correr as 500 Milhas de Indianápolis deste ano, Fernando Alonso escolheu como ‘professor’ Gil de Ferran. O brasileiro, portanto, acompanhou muito de perto toda a jornada do espanhol no Brickyard e o ajudou a entender um pouco mais da Indy e da centenária corrida.

 
Há um mês, Alonso se colocou no centro do automobilismo mundial com uma atuação primorosa no IMS – não só na corrida, mas também na classificação e nos treinos livres. O bicampeão da F1 entrou de cabeça na Indy e cumpriu todos os protocolos. É bem verdade que não conseguiu completar a prova – uma vez mais, a Honda lhe deixou na mão -, mas, ainda assim, saiu como um astro do superoval. E um piloto e uma pessoa melhores, como disse logo depois.
 
Em entrevista ao GRANDE PREMIUM, De Ferran ratificou todo o sucesso do novo amigo, contou o quanto se surpreendeu com o desempenho de Alonso e disse que, acima de tudo, se divertiu muito com a “maior novela dos últimos dez anos” no automobilismo mundial.
Fernando Alonso e Gil de Ferran durante a preparação para a Indy 500 (Foto: Indycar)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“Foi a notícia do ano. Isso a gente começou a perceber pela repercussão que o anúncio deu. E também quando chegou o dia do ‘rookie test’ dele, que a Indy disponibilizou e mais de 2 milhões de pessoas ficaram vendo aquilo tudo. Quando eu vi isso, quando vi que 2 milhões pessoas acompanharam as voltas dele sozinho na pista, percebi o tamanho disso, o quanto as pessoas estavam interessadas. E pensei: 'Caramba, o pessoal está prestando atenção nisso aqui mesmo'. Foi fantástico, a repercussão, tudo. E dava para sentir isso lá. A atenção em cima dele era enorme”, contou Gil. 

 
De Ferran também falou sobre o futuro e a razão pela qual o piloto da McLaren, mesmo sem vencer na F1 há quase quatro anos, ainda centraliza as atenções no paddock, além do respeito de seus pares. “Não consegui enxergar nenhum ponto fraco como piloto. E depois dessa história toda, posso dizer que ganhei mais um amigo. Como piloto, posso dizer que o ponto forte de Alonso é que ele não tem ponto fraco”, afirmou.
 
NOVA DERROTA EM 2017 MOSTRA QUE TOYOTA E LE MANS SÃO COMO ‘ÁGUA E ÓLEO’

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube