Pandemia impede entrada nos EUA, e Porto perde estreia na USF2000

Kiko Porto permaneceu no Brasil durante a pandemia e não teve como retornar aos EUA para participar da USF2000. Road to Indy fica agora com apenas um brasileiro: Dudu Barrichello

O coronavírus trouxe duras consequências para Kiko Porto, mais novo piloto brasileiro na USF2000, categoria do Road to Indy. No Brasil desde o começo da pandemia, Porto não conseguiu retornar aos Estados Unidos. Dessa forma, está afastado do certame americano até segunda ordem.

“Venho informar que não será possível correr na etapa de abertura da USF2000, com data marcada para acontecer no próximo fim de semana, em Road America”, escreveu Porto em suas redes sociais. “Infelizmente não foi possível embarcar para os EUA. Mesmo estando com todos os documentos legais atestando o motivo da minha entrada no país, as restrições impostas pela pandemia me atingiram. Tudo está mais burocrático e restritivo (com razão), como forma de controlar a disseminação do novo coronavírus no país”, seguiu.

“Agradeço aos que se preocuparam e tentaram ajudar de alguma forma. Eu e minha equipe confiamos que tudo isso vai passar e que em breve seguiremos nas próximas etapas”, destacou.

O sonho de Kiko Porto de participar do Road to Indy está adiado (Foto: Reprodução)

Os Estados Unidos vetaram a entrada de brasileiros ainda em maio, consequência do grave impacto do coronavírus sobre os dois países. A medida entrou em vigor pouco após o anúncio, dando pouco tempo de reação àqueles que precisavam competir em solo americano. Exemplo disso foi a ida apressada de Felipe Nasr e Pipo Derani, pilotos do SportsCar, que pegaram dois dos últimos voos disponíveis. No caso de Nasr, houve um novo contratempo: o ex-F1 foi diagnosticado com coronavírus e está afastado das pistas por tempo indeterminado.

A ausência forçada de Porto enfraquece ainda mais a presença brasileira no Road to Indy, série de categorias rumo ao principal campeonato americano de monopostos. Resta apenas Dudu Barrichello, que já estava nos Estados Unidos e não terá contratempos para correr na USF2000.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube