Pole, Power pode ser campeão com vitória em Baltimore e quebrar sequência da Ganassi

Em Baltimore, na penúltima etapa da temporada, rivais tentam atrapalhar Will Power na conquista do primeiro título do piloto da Penske na Indy. Ryan Hunter-Reay, Hélio Castroneves, Scott Dixon e até Simon Pagenaud podem impedir a conquista neste domingo (2)

Neste domingo (2) acontece a penúltima etapa da temporada da Indy, nas ruas de Baltimore e é a primeira, e talvez chance mais real, dado o retrospecto em ovais, de Will Power conquistar seu primeiro título na categoria após dois vice-campeonatos consecutivos, ambos atrás de Dario Franchitti, piloto da Ganassi.

A missão do australiano de 31 anos já começou bem. Ao cravar a pole-position da etapa deste final de semana, ele já somou um ponto e dificultou as coisas para Ryan Hunter-Reay, que agora ocupa a vice-liderança com 37 pontos de desvantagem. E se vencer a prova, Power torce para que o piloto da Andretti não passe da terceira colocação e que Hélio Castroneves não supere o quarto lugar para sacramentar o título.

Até quatro combinações de resultado são possíveis para dar ao piloto da Penske sua primeira conquista na categoria. Se chegar em segundo, Castroneves não pode ser o vencedor da prova e Hunter-Reay não pode passar da quarta colocação. Para ser campeão chegando em terceiro, Power não pode ver o piloto da Andretti superar a oitava colocação, o brasileiro da Penske não pode chegar à frente e Scott Dixon não pode vencer a prova.

Power pode ser campeão neste domingo (02) (Foto: IndyCar/LAT USA)

Para ser campeão e sendo quarto colocado ao final da prova, o cenário é o mesmo para Castroneves e Dixon, e apenas a situação de Hunter-Reay muda: ele não pode ir além da nona colocação.

Quem pode atrapalhar a vida de Power é Hunter-Reay. Empatado com o australiano em número de vitórias, o também piloto de 31 anos está disputando o título, de fato, pela primeira vez na sua carreira e isso foi impulsionado pelas três vitórias seguidas que conquistou neste ano em Milwaukee, Iowa e Toronto. Com o ponto da pole nas mãos do rival, ele precisa somar o maior número possível de pontos em Baltimore para seguir vivo na disputa.

Ainda existe um cenário em que o piloto da Andretti pode sair como líder do certame: conquistar todos os pontos possíveis na corrida e Power não passar da 14ª colocação. Os dois chegariam a Fontana, última prova do calendário, empatados, mas Hunter-Reay seria líder por ter uma vitória a mais (quatro contra três).

Postulando o título, Castroneves tem uma dura missão: somar todos os pontos possíveis na corrida e/ou chegar à frente de Power em todos os cenários para ir com chances reais de conquistar o título inédito na carreira que tem três 500 Milhas de Indianápolis.

Hunter-Reay precisa chegar em segundo para seguir com chances de título (Foto: IndyCar/LAT USA)

Outro que tem uma dura missão é Dixon que, além de ter quase a obrigação de vencer, não pode ver o atual líder do campeonato chegar entre os cinco primeiros. No hipotético cenário de vencer e Power ser quinto, o piloto da Ganassi iria à última prova com 34 pontos de desvantagem.

Por fim, o último piloto que ainda tem chance de título é o estreante Simon Pagenaud, que é o caso mais complicado. Neste cenário, Power não pode ir além da 25ª colocação e nenhum dos três outros postulantes ao título podem triunfar. Além disso, ele ainda precisaria vencer a prova para, na melhor das hipóteses, ir à última prova com 43 pontos a menos que o líder.

Todos os rivais de Power precisam tem a missão de tirar do líder os dois pontos pelo maior número de voltas lideradas para forçar o australiano a buscar a vitória para, no cenário com Hunter-Reay na segunda colocação, a vantagem ficar em 44 pontos, o que levaria a disputa para Fontana.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube