Prévia: em busca do título, Pagenaud encara Watkins Glen pela primeira vez

28 pontos na frente do companheiro Will Power, Simon Pagenaud tem um desafio pela frente: ter bom desempenho em Watkins Glen, pista que estava fora do calendário desde 2010 e que, por isso, o francês nunca disputou uma prova da categoria

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

A Indy chegou em seu momento de decisão. Agora, restam apenas duas voltas para o fim da temporada 2016, ambas em circuitos mistos. A primeira dessas paradas acontece já neste fim de semana, em Watkins Glen. 

 
Fora do calendário da categoria desde 2010, Watkins Glen teve seu retorno anunciado completamente de última hora. A tentativa desesperada de fazer uma corrida em Boston afundou e, assim, a Indy se viu obrigada a recuperar mais uma pista de seu passado. Assim, a volta do misto para o programa da categoria é triunfal, virando fundamental para a decisão do título.
 
Com mais duas etapas pela frente, apenas 28 pontos separam os companheiros de Penske Simon Pagenaud e Will Power. Neste fim de semana, o francês terá um desafio e tanto ao correr em uma pista desconhecida e que teve, em sua última edição, vitória do rival australiano.
O pódio da última edição da Indy em Watkins Glen, com Will Power no topo (Foto: IndyCar)
Aliás, se o GP do Texas era uma grande oportunidade para Power virar o jogo, Watkins Glen surge como uma chance e tanto para o piloto do #12 chegar à Sonoma colado no rival. Vale ficar de olho na postura de ambos que, no oval texano, assumiram que foram conservadores e pensaram em salvar pontos. Se for o caso novamente, melhor para Pagenaud.
 
Ainda que não esteja na disputa pelo título e passe longe de fazer uma boa temporada, Scott Dixon é um cara que merece muita atenção em Watkins Glen. Afinal, o neozelandês faturou nada menos que três triunfos consecutivos quando a categoria voltou a correr na pista em 2005. Além de Dixon, apenas Bobby Unser – 1979 e 1980 – tem vitórias múltiplas.
 
Como foram apenas seis corridas disputadas no circuito do retorno em 2005 à saída em 2010 e Dixon faturou três vitórias, somente outros três pilotos foram ao lugar mais alto do pódio na pista de Nova Iorque. Além de Power, Justin Wilson triunfou com a modesta Dale Coyne e Ryan Hunter-Reay ganhou ainda em seus tempos de RLL.
Simon Pagenaud (Foto: IndyCar)
Helio Castroneves não é alguém que tenha um desempenho espetacular na pista de Watkins Glen. Em seis edições disputadas, o brasileiro ficou dentro do top-10 em três delas e só garantiu top-5 em uma, no quarto lugar de 2009. 
 
Para Kanaan, ainda que mais especialista em ovais, as recordações da pista são um tanto melhores. Quatro vezes no top-10, o baiano foi ao pódio em duas ocasiões, com o segundo lugar em 2005 e o terceiro em 2008. 
 
Mas engana-se quem pensa que nunca teve vitória brasileira em Watkins Glen. Em 2008, Rapha Matos apareceu para cruzar a linha de chegada na frente. A categoria de acesso ainda tem nomes como o de JR Hildebrand na lista dos vencedores.
 
Ainda que alguns tenham mais experiência que outros, os primeiros treinos em Watkins Glen devem acontecer com a pista cheia, com os pilotos conhecendo melhor o traçado e as equipes trabalhando o acerto.
 
PADDOCK GP #44 DEBATE VITÓRIAS DE ROSBERG EM SPA E DE RAHAL NO TEXAS

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube