Ritmo forte, tática precisa e maturidade: Laguna Seca resume irretocável 2021 de Palou

O GP de Laguna Seca resumiu bem o que foi a temporada 2021 de Álex Palou, que reuniu uma série de qualidades para ficar muito perto do título da Indy

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Álex Palou teve uma atuação digna de campeão no GP de Laguna Seca deste domingo (19). Sob pressão, como homem a ser batido, o catalão não fez nada de diferente do que vem fazendo durante toda a temporada. E isso é um enorme mérito.

O que se viu no misto californiano foi um retrato fiel da performance de Palou no campeonato. A verdade é que a grande oscilação do piloto da Ganassi se deu por puro azar, unicamente por isso. De resto, consistência absoluta e uma naturalidade assustadora para lidar com uma briga pela taça.

Palou classificou-se em quarto e passou a corrida inteira fugindo de confusões. Quase nem apareceu em uma prova que foi bastante movimentada e isso, na situação em que se encontrava, era o ideal. Chegou em segundo com ritmo, tática certa e inteligência.

Após o 2º em Laguna Seca, Álex Palou precisa de top-10 em Long Beach para garantir título (Foto: Indycar)

Olhando para o desempenho de Pato O’Ward, também dá para dizer que o mexicano foi bastante discreto e que, de certa forma, o resultado em si nem foi horrível, em quinto. Mas foi pouco. No caso do mexicano, era preciso algo a mais, era necessário que o problema com os pneus duros simplesmente sumisse. Não sumiu.

O simples fato do esperado confronto direto entre O’Ward e Palou não ter acontecido na pista explica a situação atual na tabela. Os 35 pontos dão a Álex uma gordura imensa, o que permite ao catalão usar e abusar do regulamento em Long Beach: é ser top-10 e levantar a taça sem depender de mais nada.

Josef Newgarden pareceu viver um deja vu amargo. Laguna Seca foi uma espécie de repeteco do GP de Portland, ou seja: um ótimo domingo de recuperação, mas a classificação foi tão ruim que não foi suficiente para chegar na frente dos rivais. Agora, só um milagre para o tri.

Josef Newgarden: só milagre salva (Foto: IndyCar)

Por mais incrível que possa parecer, Scott Dixon chega sem chances à decisão. Em Laguna Seca, teve azar ao ser acertado por Takuma Sato, mas era mais uma atuação apática até então. Foi também um reflexo de um ano em que esteve muito aquém do que pode oferecer.

O cenário é de quase um duelo pelo título, mas um duelo desigual. Basta Palou seguir tratando como uma corrida qualquer que vai ser campeão. Para Pato, é vencer ou vencer, mas também torcer por algum azar no rival. Por vias naturais, difícil crer em virada.

A final da Indy acontece já no domingo que vem, com as ruas de Long Beach definindo o campeão da temporada 2021. Palou, O’Ward e Newgarden definem quem fica com a taça.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar