Após temporada de experiência, MotoGP abandona uso de pneus intermediários a partir de 2017

A MotoGP anunciou nesta sexta-feira (9) que decidiu modificar a alocação de pneus para a temporada 2017. A partir do próximo ano, os pneus intermediários não mais serão disponibilizados

 

O retorno dos pneus intermediários ao Mundial de Motovelocidade durou apenas um ano. Nesta sexta-feira (9), a MotoGP anunciou que os compostos não serão mais fornecidos na temporada 2017.

 
A opção pelo fim dos intermediários foi feita durante um encontro da Comissão de GP, que é formada por Carmelo Ezpeleta, diretor-executivo da Dorna, a promotora do Mundial de Motovelocidade; Ignacio Verneda, diretor-executivo da FIM (Federação Internacional de Motociclismo); Hervé Poncharal, da IRTA (Associação Internacional das Equipes de Corrida); Takanao Tsubouchi, da MSMA (Associação das Fábricas de Motocicletas Esportivas), junto com Carlos Ezpeleta, também da Dorna, Mike Trimby, diretor-executivo da IRTA; Paul Duparc, da FIM; Mike Webb, diretor de provas da MotoGP, Danny Aldridge, diretor-técnico; e Corrado Cecchinelli, diretor de tecnologia, que aconteceu no último dia 2, em Madri, na Espanha.
MotoGP não terá pneus intermediários em 2017 (Foto: Yamaha)

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Os pneus intermediários voltaram a ser fornecidos em 2016, quando a Michelin assumiu o posto de fornecedora única da classe rainha no lugar da Bridgestone, mas foram pouco utilizados, já que a janela de tempo que permite seu uso é muito pequena.
 
Na etapa final da MotoGP em Valência, Nicolas Goubert, diretor-técnico da Michelin, avaliou que a temporada tinha mostrado que os pneus intermediários não eram necessários, já que os compostos slicks e de chuva davam conta de atender às necessidades dos pilotos.
 
“A Dorna nos pediu para trazermos pneus intermediários, porque eles queriam garantir que, especialmente durante os treinos livres, os pilotos estivessem na pista, ainda que as condições estivessem meio a meio”, lembrou Goubert. “Então, claro, nós o fizemos de bom grado, mas durante o ano nós percebemos que também os nossos pneus médios de chuva podiam lidar facilmente com uma pista secando ou completamente seca. Me lembro de algumas vezes em que tivemos ao mesmo tempo pessoas com slicks, pneus de chuva e intermediários, e usando os pneus por algumas voltas sem nenhum problema”, seguiu.
 
“Então nós estamos discutindo isso agora com a Dorna, porque eles também notaram isso. Nós dissemos que talvez não tenha necessidade de trazer os intermediários mais uma vez. Quando trouxemos pela primeira vez, como eu disse por um pedido da Dorna, muitos pilotos e times não eram a favor”, lembrou. “Então agora que nós provamos que eles podem ir para uma pista seca com um pneu de chuva talvez não tenha necessidade”, comentou.
 
Além do fim dos intermediários, a Comissão de GP decidiu que o número máximo de pneus slicks e de pista molhada segue inalterado, mas com uma especificação adicional de slicks dianteiros e traseiros disponível para escolha dos pilotos.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube