Canet bate Fenati nos metros finais e vence corrida movimentada da Moto3 em Assen. Mir fica em nono

Arón Canet deu o bote na chicane final e ficou com a vitória em um movimentado GP da Holanda de Moto3. Romano Fenati acabou em segundo, com John McPhee em terceiro. Correndo em casa, Bo Bendsneyder caiu metros antes de cruzar a linha de chegada

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Arón Canet saiu vitorioso de um eletrizante GP da Holanda. Como sempre acontece na Moto3, o vencedor deste domingo (25) foi definido apenas nos metros finais, com o piloto da Estrella Galicia 0,0 dando o bote decisivo apenas na chicane final para cruzar a linha de chegada com 0s035 de vantagem para Romano Fenati, o segundo colocado.
 
Pole-position, Jorge Martín liderou os primeiros giros, mas enfrentou uma concorrência pesada ao longo de todas as voltas. Nos giros finais, a briga pela vitória parecia entre Fenati e John McPhee, mas Arón conseguiu surpreender na volta final para receber a bandeirada ligeiramente na frente do #5. O britânico, então, ficou com o terceiro posto do pódio.
A classificação do Mundial de Motovelocidade após o GP da Holanda
Arón Canet ficou com a vitória no GP da Holanda de Moto3 (Foto: Reprodução)
Martín acabou em quarto, à frente de Jules Danilo. Marcos Ramírez chegou a liderar, mas acabou em sexto, seguido por Gabriel Rodrigo e Tatsuki Suzuki.
 
Líder do Mundial, Joan Mir sofreu um revés importante e foi apenas o nono colocado, à frente de um apagado Nicolò Bulega.
Correndo em casa, Bo Bendsneyder teve um fim de corrida de partir o coração. Depois de brigar pela pole no sábado, o piloto da Red Bull KTM Ajo esteve na briga dos ponteiros em todas as 22 voltas, mas acabou caindo nos metros finais e não conseguiu receber a bandeirada. A moto até chegou a cruzar a linha, mas como o piloto não estava mais em contato com a RC250GP — como exige o regulamento —, o décimo posto não foi creditado.
 
Com o resultado, a vantagem de Mir na liderança do Mundial caiu para 30 pontos, com Canet assumindo a vice-liderança, à frente de Fenati, Martín e McPhee.
 

Saiba como foi o GP da Holanda de Moto3:

 
Depois de uma manhã de chuva, o clima deu uma trégua, mas não o suficiente para o asfalto secar. Com o céu nublado, os termômetros marcavam 18°C, com o asfalto chegando a 21°C. A velocidade do vento era de 10 km/h.
 
Pela quinta vez consecutivo, Jorge Martín foi o melhor na classificação, superando Bo Bendsneyder. Correndo em casa, o piloto da Red Bull KTM Ajo faz sua estreia na primeira fila. Nicolò Bulega completa o top-3, à frente de Nakarin Atiratphuvapat.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Neste fim de semana, os pilotos da classe menor do Mundial podem escolher entre os pneus Dunlop dianteiros macios ‘S’ e médios ‘M’ e traseiros médios ‘M’ e duros ‘H3’. No grid, os pilotos fizeram a opção pelos médios atrás, com o médio dianteiro dominando as opções, com exceção de Atiratphuvapat e Danilo, que escolheram os macios.
 
Na hora da largada, a chuva tinha recomeçado em Assen e foi o tailandês Nakarin que fez a melhor saída, assumindo brevemente a ponta antes de ser batido por Martín, Bendsneyder, Mir e Suzuki.
 
Uma vez na ponta, Martín tratou de abrir uma ligeira vantagem em relação a Bendsneyder, se afastando 0s334 ainda na segunda volta da corrida. Mir, por sua vez, seguia perto do piloto da casa, escoltado por Suzuki, Norrodin e Fenati.
 
Se Bendsneyder não conseguia atacar o líder, Mit tratou de avançar e se instalou em segundo, com Fenati lançando mão de uma bela manobra por dentro para passar Suzuki e assumir o quarto posto.
 
Pouco depois, porém, Bendsneyder retomou a segunda posição, com Suzuki tentando sem muito sucesso um troco para cima de Fenati.
 
Antes de abrir a quarta volta da disputa, Di Giannantonio foi ao chão na última chicane, assim como Bastianini, que acabou tirado pela moto do piloto da Gresini. O wild-card Ryan Van De Lagemaat também se acidentou.
 
No fim do giro, Bendsneyder quebrou a resistência de Martín e tomou a ponta, com Fenati aproveitando para atacar o piloto da Gresini. O #5 assumiu a liderança brevemente com uma manobra por cinco na curva quatro, mas o troco veio pouco depois. Jorge, por outro lado, escapou da pista e caiu para sexto.
 
Fenati, então, fez uma nova tentativa, mas Bo recuperou a liderança com uma manobra por dentro pouco depois.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Na abertura da volta seguinte, o #5 usou o vácuo para passar Bendsneyder, deixando o piloto da casa para se defender de Mir, que não conseguiu um ataque dos mais ameaçadores.
 
Ao fim da sexta volta, Fenati já tinha 0s489 de margem na frente, agora afastado de Mir, o novo segundo colocado. Martín também passou Bendsneyder para ocupar o terceiro posto.
 
Mir apertou o passo e, na oitava volta das 22 da disputa, já apareça colado em Fenati, que ajudou na aproximação do rival com um erro na curva 16. Martín vinha por perto.
 
Nos metros finais do giro, Martín foi quem deu o bote e saltou para a liderança com uma manobra dupla antes de chegar na chicane Geert Timmer Bocht.
 
Martín também seguiu a tática de abrir uma ligeira margem, mas, como é tradicional da Moto3, não ficou longe por muito tempo, com Fenati tratando e recortar a diferença rapidamente. Mir era terceiro, à frente de Bendsneyder e Suzuki.
 
Depois de um ligeiro afastamento inicial, o pelotão voltou a se unir, com 11 pilotos rodando próximos na metade da corrida.
 
No fim do 11º giro, Fenati passou Martín por dentro na Ramshoek, com Mir aproveitando para também deixar Bendsneyder para trás. Canet vinha em quinto.
 
No fim do giro seguinte, Martín respondeu ao ataque do italiano e recuperou a liderança, mas sem se livrar do rival, que continuou pressionando, escoltado por Mir, Bendsneyder e Ramírez.
 
Na abertura da 15ª volta, Fenati passou Martín e recuperou a ponta, com Mir aproveitando para avançar ao segundo posto. O líder do Mundial lançou um ataque pela ponta pouco depois, mas Fenati defendeu bem a liderança. Mais atrás, Ramírez passou Martín e subiu para terceiro.
Romano Fenati ficou com o segundo posto (Foto: Ongetta)
Ramírez, aliás, seguiu com seu bom ritmo para tomar a segunda posição de Mir, já 0s275 atrás de Fenati. O líder do Mundial não deixou barato e reagiu, recuperando o posto. Marcos insistiu, foi por dentro na Ramshoek, a 15ª curva de Assen, e passou mais uma vez, voltando a liderar a caçada a Fenati, que vinha impondo um ritmo forte para escapar nas voltas finais.
 
Apesar do esforço de Romano, Ramírez chegou e tomou a liderança antes de chegar na chicane final, com Mir tendo de defender o terceiro posto de McPhee, uma defesa que durou bem pouco.
 
Na sequência, McPhee avançou ainda mais, se colocando em segundo, à frente de Mir, Fenati, Martín e Canet.
 
Sem muita demora, McPhee tomou a ponta de Ramírez, com Mir, Fenati e Danilo também aproveitando o momento de uma escapadela de Marcos.
 
Na sequência, Mir reassumiu o comando, com McPhee em segundo, à frente de Danilo, Fenati e Canet.
 
Com três giros para o fim, Mir conseguiu abrir pouco mais de 0s2 de margem, o que na Moto3 nunca significa nada. Danilo era o terceiro, à frente de Fenati.
 
No fim do 20º giro, McPhee conseguiu retomar a ponta, com Mir em segundo, à frente de Fenati, Canet e Danilo. No mesmo ponto da volta seguinte, Mir tomou brevemente a ponta, mas levou o troco de McPhee pouco depois. 
 
Na volta final, Fenati encontrou um caminho de passar os ponteiros no erro de Mir e assumiu a liderança, à frente de Canet.
 

#GALERIA(7090)

Moto3, GP da Holanda, Assen, Corrida:

1 44 ARÓN CANET ESP ESTRELLA GALICIA 0,0 Honda 38:20.364  
2 5 ROMANO FENATI ITA ONGETTA Honda +0.035  
3 17 JOHN MCPHEE ING BRITISH TALENT TEAM Honda +0.117  
4 88 JORGE MARTÍN ESP GRESINI Honda +0.310  
5 95 JULES DANILO FRA ONGETTA Honda +0.532  
6 42 MARCOS RAMÍREZ ESP WORLDWIDE KTM +0.594  
7 19 GABRIEL RODRIGO ARG RBA Mahindra +0.651  
8 24 TATSUKI SUZUKI JAP SIC58 Honda +0.679  
9 36 JOAN MIR ESP KIEFER Honda +0.980  
10 8 NICOLÒ BULEGA ITA VR46 KTM +6.972  
11 65 PHILIPP OETTL ALE SCHEDL GP KTM +8.196  
12 58 JUANFRAN GUEVARA ESP RBA Mahindra +9.200  
13 40 DARRYN BINDER RSA WORLDWIDE KTM +10.746  
14 16 ANDREA MIGNO ITA VR46 KTM +10.890  
15 71 AYUMU SASAKI JAP SIC Racing Team KTM +10.920  
16 12 MARCO BEZZECCHI ITA CIP Mahindra +16.249  
17 84 JAKUB KORNFEIL TCH SAXOPRINT Peugeot +16.344  
18 41 NAKARIN ATIRATPHUVAPAT TAI TEAM ASIA Honda +16.479  
19 27 KAITO TOBA JAP TEAM ASIA Honda +33.845  
20 6 MARÍA HERRERA ESP ARGIÑANO & GINÉS KTM +34.172  
21 11 LIVIO LOI BEL KIEFER Honda +34.338  
22 4 PATRIK PULKKINEN FIN SAXOPRINT Peugeot +48.171  
  7 ADAM NORRODIN MAL SIC Racing Team Honda +1 volta  
  64 BO BENDSNEYDER HOL RED BULL KTM AJO +1 volta  
  23 NICCOLÒ ANTONELLI ITA RED BULL KTM AJO +2 voltas  
  31 RAÚL FERNÁNDEZ ESP ASPAR Mahindra +8 voltas  
  48 LORENZO DALLA PORTA ITA ASPAR Mahindra +8 voltas  
  14 TONY ARBOLINO ITA SIC58 Honda +15 voltas  
  96 MANUEL PAGLIANI FRA CIP Mahindra +16 voltas  
  21 FABIO DI GIANNANTONIO ITA GRESINI Honda NC  
  28 RYAN VAN DE LAGEMAAT HOL LAGEMAAT KTM NC  
             
POLE JORGE MARTÍN ESP GRESINI Honda 1:57.595 139.0 km/h
VOLTA MAIS RÁPIDA ARÓN CANET ESP ESTRELLA GALICIA 0,0 Honda 1:42.902 161.2 km/h
RECORDE JORGE NAVARRO ESP ESTRELLA GALICIA 0,0 Honda 1:57.318 160.0 km/h
MELHOR VOLTA ENEA BASTIANINI ITA GRESINI Honda 1:41.283 161.4 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA SECA   ar: 19ºC | pista: 25ºC
NOVA DERROTA EM 2017 MOSTRA QUE TOYOTA E LE MANS SÃO COMO ‘ÁGUA E ÓLEO’

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube