Chuva aparece em meados do TL3, e Di Giannantonio lidera Moto3 na Austrália à frente de Martín

Com 1min46s898, Fabio Di Giannantonio garantiu a liderança da terceira sessão de treinos livres da Moto3 em Phillip Island. 0s044 mais lento, Jorge Martín ficou com o segundo posto, com Darryn Binder completando uma sessão que foi atrapalhada pela chuva em sua fase intermediária

Fabio Di Giannantonio ditou o ritmo na terceira sessão de treinos da Moto3 em Phillip Island. O #21 cravou 1minn46s898 na melhor de suas 16 voltas na manhã deste sábado (27) e assegurou o topo da tabela de tempos com 0s044 de margem para Jorge Martín. Darryn Binder completa o top-3.
 
Assim como na sexta-feira, o dia amanheceu bastante nublado, mas a chuva tardou um pouco a chegar, marcando presença a partir de meados da sessão.
 
Tal qual aconteceu no primeiro dia de atividades, Tony Arbolino começou a sessão com um ritmo forte e passou alguns minutos com bastante folga no topo da tabela de tempos. Antes da chuva, porém, a concorrência apertou o passo e destronou o #14.
Fabio Di Giannantonio comandou o terceiro treino em Phillip Island (Foto: Gresini)
Di Giannantonio levou a melhor, mas apenas com 0s044 de margem para Martín, que ainda tentou melhorar sua marca nos minutos finais da sessão. Binder, por sua vez, fecha um top-3 separado por 0s378.
 
Com 1min47s420, Arbolino ficou com a quarta colocação, seguido por Tatsuki Suzuki, que caiu nos instantes finais do TL3. Marco Bezzecchi sofreu a terceira queda do fim de semana, mas acabou em sexto, 0s673 mais lento que o ponteiro.
 
Enea Bastianini aparece na sétima colocação, escoltado por Gabriel Rodrigo e Adam Norrodin. Alonso López completa a lista dos dez melhores.
 
Saiba como foi o terceiro treino da Moto3 em Phillip Island:
 
O sábado em Phillip Island amanheceu bastante nublado. Assim, quando a Moto3 entrou na pista, a temperatura estava na casa dos 13°C, com o asfalto chegando aos 16°C. A velocidade do vento era de 16 km/h por hora.
 
Ainda no primeiro giro, Andrea Migno sofreu uma queda na curva quatro, mas escapou ileso. 
 
Com 1min51s130, Tony Arbolino foi o primeiro a ocupar o topo da tabela, 0s209 mais rápido que Kazuki Masaki. No giro seguinte, o #14 baixou sua marca para manter a ponta, abrindo 1s017 de margem para Marco Bezzecchi, o novo segundo colocado.
 
Masaki, por outro lado, teve menor sorte. O piloto da RBA sofreu uma queda na curva 8 e recebeu a atenção da equipe médica do traçado, sendo retirado de maca. Kasuki saiu da pista se movendo.
 
Arbolino voltou a baixar sua marca, chegando a 1min47s420, 1s590 melhor que Vicente Pérez, o novo segundo colocado. Di Giannantonio vinha em terceiro, seguido por Martín. Pouco depois, Bezzecchi saltou para o segundo posto, recortando pouco menos de 0s5 da vantagem do #14.
 
Com pouco menos de dez minutos de sessão, os fiscais começaram a exibir as bandeiras de chuva para indicar aos pilotos a mudança na condição do asfalto.
 
Em sua sétima volta nesta manhã, Martín cravou 1min47s554 e assumiu o segundo posto, 0s134 mais lento que Arbolino. 0s206 atrás, Di Giannantonio vinha em terceiro, mas logo foi substituído por Bezzecchi, que foi só 0s01 mais lento que Jorge.
 
Quase na metade da sessão, Di Giannantonio cravou 1min47s362 e destronou Arbolino por 0s058. Bezzecchi também vinha em boa volta, mas perdeu na parcial final e não conseguiu sair da quarta colocação. Suzuki, por outro lado, saltou para o terceiro posto.
 
Uma vez na ponta, Di Giannantonio conseguiu baixar ainda mais sua marca, entrando na casa de 1min46s, mas não conseguiu ampliar sua folga na liderança, já que Martín foi só 0s044 mais lento. Binder assumiu o terceiro posto.
 
Na metade da sessão, a chuva começou a ganhar corpo em Phillip Island. Neste momento, o top-10 era formado por Di Giannantonio, Martín, Binder, Arbolino, Suzuki, Bezzecchi, Bastianini, Norrodin, López e McPhee.
 
Apesar das novas condições, alguns pilotos permaneceram rodando, o que não terminou muito bem para Vicente Pérez, que caiu na curva 8. O espanhol, porém, escapou sem maiores lesões.
 
Depois de alguns minutos de silêncio, a maioria dos pilotos voltou para a pista, mas sem grandes mudanças na tabela.
 
Com pouco mais de cinco minutos para o fim, Bezzecchi sofreu a terceira queda do fim de semana, agora na Siberia, a sexta curva de Phillip Island, mas escapou de maiores lesões.
 
Pouco depois, Tatsuki Suzuki caiu na Doohan, a primeira curva do circuito, mas tampouco se feriu com seriedade.
 

#GALERIA(9577)

Moto3, GP da Austrália, Phillip Island, treino livre 3:

1 F DI GIANNANTONIO Gresini Honda 1:46.898  
2 J MARTÍN Gresini Honda 1:46.942 +0.044
3 D BINDER Red Bull KTM Ajo 1:47.276 +0.378
4 T ARBOLINO Snipers Honda 1:47.420 +0.522
5 T SUZUKI SIC58 Honda 1:47.477 +0.579
6 M BEZZECCHI Prüstel KTM 1:47.571 +0.673
7 E BASTIANINI LEOPARD Honda 1:47.656 +0.758
8 G RODRIGO RBA KTM 1:47.686 +0.788
9 A NORRODIN PETRONAS Honda 1:47.844 +0.946
10 A LÓPEZ Estrella Galicia 0,0 Honda 1:47.906 +1.008
11 J MCPHEE CIP KTM 1:48.042 +1.144
12 L DALLA PORTA Leopard Honda 1:48.063 +1.165
13 A CANET Estrella Galicia 0,0 Honda 1:48.081 +1.183
14 A ARENAS Ángel Nieto KTM 1:48.131 +1.233
15 N ATIRATPHUVAPAT Asia Honda 1:48.544 +1.646
16 A SASAKI PETRONAS Honda 1:48.875 +1.977
17 J MASIÁ Worldwide KTM 1:48.986 +2.088
18 V PEREZ Avintia KTM 1:49.010 +2.112
19 K TOBA Asia Honda 1:49.053 +2.155
20 J KORNFEIL Prüstel KTM 1:49.063 +2.165
21 A MIGNO Ángel Nieto KTM 1:49.068 +2.170
22 Y MONTELLA SIC58 Honda 1:49.155 +2.257
23 C VIETTI VR46 KTM 1:49.495 +2.597
24 S NEPA CIP KTM 1:49.641 +2.743
25 M RAMÍREZ Worldwide KTM 1:49.646 +2.748
26 D FOGGIA VR46 KTM 1:49.822 +2.924
27 P OETTL Schedl GP Honda 1:50.039 +3.141
28 K MASAKI RBA KTM 1:51.339 +4.441

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube