Com atraso de 2 horas por limpeza da pista, Martín lidera primeiro treino da Moto3 na Austrália

Jorge Martín liderou uma sessão que foi interrompida por um longo processo de limpeza da pista após vazar óleo da moto de Stefano Nepa. 0s133 mais lento, Marcos Ramírez ficou com o segundo posto, com Arón Canet completando o top-3

Jorge Martín foi o mais rápido na primeira sessão de treinos livres da Moto3 em Phillip Island. O #88 cravou 1min38s841 na melhor de suas 17 voltas na manhã desta sexta-feira (25) e ficou com o topo da tabela com 0s133 de margem para Marcos Ramírez.
 
A sessão desta manhã, porém, foi marcado por um demorado processo de limpeza. Ainda nos primeiros minutos da atividade, a sessão foi interrompida em bandeira vermelha após o motor da moto de Stefano Nepa estourar. A falha da KTM acabou por derrubar óleo entre as curvas um e oito, exigindo um longo processo de limpeza.
Jorge Martín liderou o TL1 na Austrália (Foto: Gresini)
Quando a atividade, enfim, foi retomada, as trocas no topo da tabela se sucederam, mas Martín acabou levando a melhor à frente de Ramírez e Canet. 0s321 mais lento que o líder, Tony Arbolino ficou com a quarta colocação, seguido por John McPhee.
 
Tatsuki Suzuki fez o sexto tempo, seguido por Enea Bastianini e Albert Arenas. Marcos Bezzecchi sofreu duas quedas nesta manhã e acabou em nono, 0s090 à frente de Fabio Di Giannantonio, o décimo colocado.
 

Saiba como foi o primeiro treino da Moto3 em Phillip Island:

 
Em mais uma cravada dos meteorologistas, a sexta-feira (26) em Phillip Island amanheceu com chuva. A temperatura estava em 12°C, com o asfalto chegando apenas a 15°C. A velocidade do vento era de 11 km/h.
 
Ainda nos primeiros instantes da sessão, Marco Bezzecchi sofreu uma queda sem consequências na curva quatro. O #12 logo retornou a pista.
 
Com quase oito minutos de sessão, as atividades foram paralisadas em bandeira vermelha por conta das condições de pista. Até então, apenas Philipp Oettl e Alonso López tinham cravado tempo.
 
Alguns minutos mais tarde, a TV mostrou que o motor de Stefano Nepa estourou e acabou despejando óleo no asfalto.
Depois de mais de duas horas de um quase interminável serviço de limpeza ― já que tinha óleo na pista entre as curvas um e o oito ―, o treino foi retomado, com os pilotos partindo para a pista, agora já bem mais seca, tão logo o pit-lane foi aberto.
 
Oettl logo alcançou 1min43s640 para abrir mais de 1s de vantagem na ponta, mas Tony Arbolino apareceu para cravar 1min43s 525 pouco depois.
 
Em sua quarta volta nesta manhã, Nakarin Atiratphuvapat superou Arbolino por 0s124 para assumir o comando da atividade, mas acabou pouco tempo na ponta, uma vez que foi superado por Oettl e Di Giannantonio quase que imediatamente.
 
Restando 20 minutos para o fim da atividade, Binder assumiu o comando, mas foi logo ultrapassado por Di Giannantonio e Oettl.
 
Pouco depois, porém, Bezzecchi sofreu uma queda na curva 2. O italiano tinha escapado da pista e cruzado a grama da Southern Loop, mas, ao invés de parar e esperar os demais passarem, foi entrando na pista e acabou ejetado da moto. Apesar de sofrer o segundo tombo da manhã, Marco escapou ileso mais uma vez.
 
Na sequência, a Prüstel viu a situação piorar, com Jakub Kornfeil apresentando problemas com a moto.
 
Enquanto isso, Oettl e Di Giannantonio foram de revezando na liderança, mas foram mais uma vez superado por Binder. Como aconteceu anteriormente, o sul-africano mal teve tempo de se acomodar, já que foi batido por Canet por 0s305.
 
Com 1min40s099, Martín surgiu na liderança pela primeira vez, 0s200 melhor que Di Giannantonio. Canet caiu para terceiro, seguido por Oettl, Binder e Bastianini.
 
Assim como aconteceu com os demais, a liderança de Martín durou pouco, agora por Ramírez ter virado 0s193 melhor.
 
Com 1min39s187, Canet assumiu a ponta da folha de tempos, 0s231 melhor que Martín. Dalla Porta vinha agora em terceiro, seguido por Ramírez e Bastianini.
 
O treino, no entanto, seguia mais e mais agitado. Em sua 11ª volta, Martín retomou o comando com 1min39s016, 0s171 à frente de Canet. 
Depois de uma passagem pelos boxes da Gresini, Martín baixou para 1min38s841, 0s284 melhor que Canet, que tinha acabado de assumir a segunda colocação. Arbolino vinha em terceiro, à frente de McPhee e Suzuki.
 
Já com o cronômetro zerado, ninguém conseguiu superar Martín, que assegurou a liderança da sessão.

Moto3, GP da Austrália, Phillip Island, treino livre 1:
1 J MARTÍN Gresini Honda 1:38.841  
2 M RAMÍREZ Worldwide KTM 1:38.974 +0.133
3 A CANET Estrella Galicia 0,0 Honda 1:39.125 +0.284
4 T ARBOLINO Snipers Honda 1:39.162 +0.321
5 J MCPHEE CIP KTM 1:39.179 +0.338
6 T SUZUKI SIC58 Honda 1:39.185 +0.344
7 E BASTIANINI LEOPARD Honda 1:39.231 +0.390
8 A ARENAS Ángel Nieto KTM 1:39.281 +0.440
9 M BEZZECCHI Prüstel KTM 1:39.285 +0.444
10 F DI GIANNANTONIO Gresini Honda 1:39.375 +0.534
11 G RODRIGO RBA KTM 1:39.411 +0.570
12 L DALLA PORTA Leopard Honda 1:39.472 +0.631
13 N ATIRATPHUVAPAT Asia Honda 1:39.548 +0.707
14 D BINDER Red Bull KTM Ajo 1:39.569 +0.728
15 A NORRODIN PETRONAS Honda 1:39.588 +0.747
16 J MASIÁ Worldwide KTM 1:39.644 +0.803
17 A MIGNO Ángel Nieto KTM 1:39.867 +1.026
18 D FOGGIA VR46 KTM 1:39.881 +1.040
19 A LÓPEZ Estrella Galicia 0,0 Honda 1:39.896 +1.055
20 P OETTL Schedl GP Honda 1:39.937 +1.096
21 K MASAKI RBA KTM 1:40.029 +1.188
22 S NEPA CIP KTM 1:40.197 +1.356
23 V PEREZ Avintia KTM 1:40.346 +1.505
24 A SASAKI PETRONAS Honda 1:40.396 +1.555
25 K TOBA Asia Honda 1:40.629 +1.788
26 Y MONTELLA SIC58 Honda 1:40.990 +2.149
27 C VIETTI VR46 KTM 1:41.113 +2.272
28 J KORNFEIL Prüstel KTM 1:42.995 +4.154

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube