Diretor da Michelin coloca em novas asas parte da culpa pelo grande desgaste dos pneus da MotoGP em Jerez

O diretor da Michelin Piero Taramasso citou os já conhecidos motivos para degradação de pneus como variação de temperatura, falta de aderência e problema com a borracha, mas também culpou as novas asas da categoria

Falta de aderência, temperatura alta e problema com a borracha. Tudo isso são motivos já conhecidos para maior degradação dos pneus na MotoGP. Entretanto, o diretor de motociclismo da Michelin, Piero Taramasso, também colocou parte da culpa pelo desgaste excessivo nas novas asas.
 
Taramasso elencou os motivos que causaram a maior degração dos pneus em Jerez, culpando a falta de aderência na pista espanhola, mas também as asas, que tanto estão na moda em 2016.
 
"A causa da degradação e da falta de tração no pneu traseiro se deve a três motivos: primeiro, a falta de aderência em Jerez, ainda mais com os dez graus que subiram de temperatura no domingo, acelerando o desgaste das borrachas. Segundo, notamos que as motos que tinham asas sofreram mais na Espanha, já que essas asas pressionavam a suspensão dianteira e deixava a moto com menos peso na parte traseira", disse.
 
Mas, como não poderia deixar de ser, o diretor admitiu uma parcela importante de culpa.
Valentino Rossi venceu a etapa de Jerez da MotoGP (Foto: Yamaha)
"Em terceiro lugar, a própria borracha. Não vamos fugir das nossas responsabilidades, já estamos estudando formas de não sofrermos novamente em Barcelona, que deve ter condições parecidas com Jerez", assumiu.
 
Justificando suas explicações, Taramasso citou o teste da categoria na segunda-feira, lembrando que, naquela sessão, as motos sofreram bem menos que na prova.
 
"No teste de segunda-feira, os pilotos sofreram bem menos pelo simples motivo de que a pista estava mais emborrachada. Com temperatura mais adequada, todos trabalhavam com a melhor configuração possível. Só no fim que os pilotos começaram a patinar, mas nada nem de perto parecido com o que aconteceu domingo", completou.
 
PADDOCK GP #26 FALA SOBRE F1, INDY, MOTOGP E F-E

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube