Dixon supera Gardner e ponteia TL3 acidentado da Moto2 em Motegi. Márquez é 18º

Jake Dixon se sobressaiu andando no molhado no Japão. Mostrando bom desempenho durante todo o terceiro treino livre da Moto2 em Motegi, o piloto esperou os momentos finais para superar Remy Gardner e ficar como o mais veloz do ensaio

Jake Dixon foi quem brilhou no terceiro treino livre da Moto2 no Japão. Com condições bastante molhadas, o piloto tratou de anotar o tempo de 2min03s259 para ficar como o mais rápido em terras nipônicas.
 
 A classe intermediária foi para a pista com o asfalto bastante molhado da chuva prometida que chegou em Motegi. Mesmo assim, os pilotos decidiram acelerar forte desde o começo do treino.
 
Com isso, diversos nomes chegaram a passar pela primeira colocação da tabela, como Marco Bezzecchi e Luca Marini, que ficou grande parte da atividade na ponta. Entretanto, no final, viu Remy Gardner assumir a primeira colocação.
 
Mas as coisas ainda iriam mudar em terrar nipônicas. Com 2min03s239, o #96 bateu o #87 em 0s369 para fechar como o mais rápido do ensaio. Marini, Bulega e Nagashima completaram o topo-5. Álex Márquez, que protagonizou uma bela salvada, foi apenas o 18º.
 
O treino ainda foi marcado pelas difíceis condições do asfalto e a grande quantidade de quedas. Muitos pilotos acabaram indo ao chão.
 

O GP do Japão de Moto2 está marcado para o domingo, às 2h20 (de Brasília). Acompanhe aqui a cobertura do GRANDE PRÊMIO.

Jake Dixon (Foto: Reprodução)
Paddockast #38
CORRIDAS POLÊMICAS DA HISTÓRIA DA FÓRMULA 1

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Saiba como foi o terceiro treino livre da Moto2 no Japão:

Quando a classe intermediária foi para a pista, a pista seguia bastante molhada e as condições complicadas. No termômetro, a temperatura indicara era 16ºC, com o asfalto atingindo apenas 18ºC.
 
Logo os pilotos começaram a marcar suas voltas rápidas, com Bezzecchi abrindo os trabalhos na frente. Entretanto, com 2min08s861, Marini saltou para a ponta, com Martín e Pasini aparecendo na sequência.
 
Com o andamento da sessão, as coisas começaram a mudar. Dixon anotou 2min06s297 e voou para a ponta, mas rapidamente foi superado por Marini, que fez 2min05s877. Martín, Bulega e Garder completava o top-5.
 
O #88 da KTM Ajo foi o primeiro piloto a ir ao chão por conta das condições complicadas. O espanhol acabou parando na área de escape da curva 10, mas não sofreu nada de mais grave.
 
O segundo competidor que foi ao chão foi Chantra. O piloto acabou caindo com força, ficando com dor no chão. O #35 precisou deixar a pista de maca, sem conseguir sair sozinho.
 
Com 27 minutos para a bandeira quadriculada, a ordem era Gardner com 2min04s119, Dixon, 0s128 atrás, depois Lecuona, Manzi, Aegerter, Marini, Bendeyder, Bulega, Vierge e Binder fechando o top-10.
 
Álex Márquez então protagonizou a grande cena da sessão. Quando vinha para ter uma grande queda, o espanhol conseguiu não só evitar o tombo, como controlou a moto deslizando ao lado dela. Logo ele parou na pista e subiu de volta. Ele estava em 13º.
Tá tudo bem, Álex? (Foto: Reprodução)
A ordem na pista estava com Marini na ponta ao fazer 2min03s855, seguido por Dixon, Gardner, Bulega e Manzi. Com 22 minutos para o final, os primeiros pilotos começavam a ir aos boxes.
 
Sam Lowes foi outro piloto que colocou o nome na lista daqueles que se acidentaram. Na curva 8, o titular da Gresini acabou indo para a caixa de brita, mas deixando o traçado sem ajuda. Pouco depois, foi a vez de Norrodin cair na 10.
 
A lista de quedas não parava de crescer em Motegi. A nova vítima da pista tão molhada foi Nicolò Bulega, que acabou passando reto na curva e foi ao chão. O italiano conseguiu sair andando da pista.
 
Na curva 2, Baldassarri sofreu uma forte queda. Sua moto balançou e o piloto tentou se manter em cima, mas acabou deslizando na pista e parando na grama, ainda acertando o muro de proteção. Mas não sofreu nada de grave.
 
Com a sessão já entrando em sua reta final, Marini seguia na liderança, com Bulega vindo logo depois. Dixon, Gardner, Manzi, Nagashima, Lecuona, Bendsneyder, Baldassarri e Lüthi fechavam o top-10.
 

Previsão do tempo para Motegi
GP do Japão Motegi

!function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(!d.getElementById(id)){js=d.createElement(s);js.id=id;js.src=’https://weatherwidget.io/js/widget.min.js’;fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}}(document,’script’,’weatherwidget-io-js’);

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube