Dovizioso bate Viñales e lidera primeiro treino da MotoGP em Sachsenring. Rossi tem problema com Yamaha

Andrea Dovizioso foi o mais rápido na primeira sessão de treinos da MotoGP na Alemanha. O piloto da Ducati bateu Maverick Viñales por 0s038 nos instantes finais e ficou com o topo da tabela, com Dani Pedrosa completando o top-3. Valentino Rossi teve problemas com sua moto titular e foi apenas 16º montado na reserva

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Andrea Dovizioso foi o mais rápido no primeiro treino livre da MotoGP na Alemanha. O piloto da Ducati aproveitou sua penúltima volta na manhã desta sexta-feira (30) para superar Maverick Viñales e assegurar o topo da folha de tempos.
 
Líder do Mundial, Dovizioso mostrou bom ritmo ao longo da sessão, mas foi na penúltima volta que o #4 chegou a 1min21s599 para destronar Viñales. Dani Pedrosa defendeu o tradicional bom ritmo da Honda em Oberlungwitz para ficar com o top-3.
 
0s233 mais lento que o líder, Aleix Espargaró colocou a Aprilia na quarta colocação, à frente de Álvaro Bautista, que sofreu uma queda na curva 11 nesta manhã.
Andrea Dovizioso foi o mais rápido nesta manhã (Foto: Michelin)
Imbatível em Sachsenring nos últimos sete anos, Marc Márquez fiou apenas o sexto. O #93 não usou um pneu traseiro macio nos instantes finais da sessão e acabou a 0s299 de Dovizioso.
 
Johann Zarco aparece na sequência, à frente de Danilo Petrucci e Jack Miller. Scott Redding, que também foi ao chão na curva 11, fecha um top-10 separado por 0s476.
 
Ainda na primeira metade da sessão, Valentino Rossi deu uma evidência clara de sua predileção pelo novo chassi. Com um problema mecânico com a YZR-M1, o #46 fez tudo que pôde para levar a moto o mais perto possível dos boxes, arrastando o protótipo em meio ao público e, às vezes, até sem a ajuda dos fiscais. 
 
A Yamaha ainda não teve tempo de produzir um jogo completo do novo chassi e, assim, Rossi e Viñales contam com uma peça cada. No caso do italiano, a moto reserva está montada com o quadro original de 2017.
 
Com a moto reserva, o italiano fez seu melhor giro em 1min22s535 e acabou em 16º, 0s936 atrás de Dovizioso.
 
Saiba como foi o primeiro treino da MotoGP em Sachsenring:
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Depois de uma forte chuva na quinta-feira, o dia em Oberlungwitz amanheceu nublado, mas os pilotos puderam aproveitar pista seca. Na hora que a MotoGP iniciou os 55 minutos de sessão, os termômetros marcavam 16°C, com o vento soprando a uma velocidade de 27 km/h.
 
Os dois treinos desta sexta-feira foram aumentados em dez minutos para permitir que os pilotos testem todos os pneus disponibilizados pela Michelin. Como a lei local impediu um teste privado da montadora, os franceses ampliaram a alocação, fornecendo quatro pneus dianteiros e quatro traseiros.
 
Dominante em Sachsenring nos últimos sete anos, Márquez começou a sessão na ponta, 0s418 à frente de Aleix Espargaró. Cal Crutchlow era terceiro, seguido por Johann Zarco.
 
Márquez foi baixando suas marcas em sequência, com Aleix aparecendo para ocupar a segunda colocação, 0s601 atrás, Cal Crutchlow vinha na sequência, à frente do wild-card e piloto de testes da KTM Mika Kallio.
 
Nestes primeiros minutos, aliás, Kallio teve um toque com Zarco, que tentou aproveitar a linha mais aberta do finlandês para passar por dentro.
 
No sexto giro, Rossi baixou para 1min22s846 e assumiu o segundo posto, 0s581 atrás de Márquez. Crutchlow era terceiro, à frente de Aleix e Petrucci. Viñales vinha só em 11º.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Aleix reagiu rápido e recuperou o segundo posto, mas caiu pouco depois, com Crutchlow e Folger passando à frente.
 
Com cerca de dez minutos de sessão, os boxes ganharam em movimentação, com a primeira rodada de pit-stops. Márquez liderava, à frente de Crutchlow, Folger, Aleix, Rossi, Petrucci, Lorenzo, Kallio, Zarco e Pedrosa. Dovizioso era 11º, com Viñales em 14º.
 
Tão logo deixou os boxes da Yamaha para o segundo stint, Rossi parou entre as curvas seis e sete por conta de algum problema mecânico com a YZR-M1. Sem o apoio de fiscais, o #46 tentou se virar sozinho, mas tinha pouco o que fazer, já que estava cercado por grades e fãs naquele ponto da pista.
 
Ainda sozinho, Valentino montou na M1 e saiu empurrando a moto pelo gramado de Sachsenring até encontrar fiscais que o colocaram na via de acesso do circuito. Wilco Zeelenberg, analista de pista de Viñales, apareceu para dar uma carona, mas o #46 preferiu continuar seu caminho, carregando sua amada M1 em meio aos fãs. Os fiscais apareceram na sequência para ajudar.
 
Depois de encontrar uma carona segura para a Yamaha, Rossi aceitou a carona de Zeelenberg para voltar aos boxes. O apego à moto pode ser justificado pelo fato de a Yamaha ter apenas um dos novos chassis na garagem de cada piloto, já que não teve tempo para produzir o jogo completo.
 
Enquanto isso, Viñales passou Márquez por 0s054 e assumiu a ponta, mas ficou pouco por lá, já que Dovizioso assumiu a liderança ao cravar 1min22s175. Crutchlow era o terceiro, à frente de Folger.
 
Com pouco menos de 30 minutos para o fim da sessão, Rossi voltou para a pista com a moto reserva. Mesmo sem o chassi preferido, Rossi foi escalando o pelotão aos poucos e aparecia em sétimo com pouco menos de 15 minutos para o fim da sessão.
 
Com previsão de chuva para esta tarde, alguns pilotos optaram por calçar o pneu traseiro macio para buscar tempo. Mesmo usando o duro, Márquez baixou para 1min22s012 e retomou a liderança, abrindo 0s163 de margem para Dovizioso.
 
Viñales, então, baixou para 1min21s637 e pegou a ponta, com Aleix aparecendo 0s195 atrás. Bautista vinha agora em terceiro, à frente de Márquez, Zarco, Petrucci e Miller.
 
Com pouco mais de um minuto para o fim, Pedrosa se instalou em segundo, 0s152 atrás de Viñales. Pouco depois, Dovizioso chegou a 1min21s599 e assumiu a ponta.
 

MotoGP, GP da Alemanha, Sachsenring, 1º Treino Livre:

 
1 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA DUCATI 1:21.599  
2 25 MAVERICK VIÑALES ESP YAMAHA 1:21.637 +0.038
3 26 DANI PEDROSA ESP HONDA 1:21.789 +0.190
4 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP APRILIA 1:21.832 +0.233
5 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP ASPAR DUCATI 1:21.840 +0.241
6 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:21.898 +0.299
7 5 JOHANN ZARCO FRA TECH3 YAMAHA 1:21.973 +0.374
8 9 DANILO PETRUCCI ITA DUCATI 1:21.992 +0.393
9 43 JACK MILLER AUS MARC VDS HONDA 1:22.068 +0.469
10 45 SCOTT REDDING ING PRAMAC DUCATI 1:22.075 +0.476
11 94 JONAS FOLGER ALE TECH3 YAMAHA 1:22.175 +0.576
12 99 JORGE LORENZO ESP DUCATI 1:22.209 +0.610
13 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA 1:22.240 +0.641
14 8 HECTOR BARBERÁ ESP AVINTIA DUCATI 1:22.336 +0.737
15 22 SAM LOWES ING APRILIA 1:22.465 +0.866
16 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA 1:22.535 +0.936
17 44 POL ESPARGARÓ ESP KTM 1:22.593 +0.994
18 17 KAREL ABRAHAM RTC ASPAR DUCATI 1:22.612 +1.013
19 42 ÁLEX RINS ESP SUZUKI 1:22.642 +1.043
20 53 TITO RABAT ESP MARC VDS HONDA 1:22.745 +1.146
21 38 BRADLEY SMITH ING KTM 1:22.888 +1.289
22 76 LORIS BAZ ESP AVINTIA DUCATI 1:22.989 +1.390
23 36 MIKA KALLIO FIN KTM 1:23.218 +1.619
24 29 ANDREA IANNONE ITA SUZUKI 1:23.299 +1.700
             
RECORDE MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:21.530 162.0 km/h
MELHOR VOLTA MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:20.336 164.5 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA SECA   ar: 16°C | pista: 16ºC

POLÊMICA MOSTRA QUE VETTEL PISOU NA BOLA E HAMILTON FOI MALANDRO EM BAKU

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube