Em 20ª temporada no Mundial, Rossi diz que polêmica “não muda paixão” e garante que segue na MotoGP em 2016

Em uma coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (5) em Valência, Valentino Rossi garantiu que as polêmicas dos últimos dias não afetam sua paixão pela MotoGP. Após boatos de aposentadoria antecipada, italiano garantiu que vai cumprir contrato com a Yamaha e decidir no próximo ano se segue ou não no Mundial

A polêmica envolvendo o Mundial de MotoGP não tirou de Valentino Rossi a paixão pelo esporte. Mesmo diretamente envolvido na confusão, o italiano garantiu nesta quinta-feira (5) que nada mudou em sua maneira de ver o esporte.
 
 A bagunça na classe rainha começou com um conflito entre Rossi e Marc Márquez ainda na coletiva de imprensa do GP da Malásia, quando o italiano acusou o piloto da Honda de ajudar Lorenzo em Phillip Island.
 
Na corrida, os dois travaram um duro duelo nas voltas iniciais, mas a disputa terminou na 14ª curva da sétima volta, quando os dois tiveram um toque que levou Marc ao chão.
Valentino Rossi assegurou que não mudou sua maneira de ver a MotoGP (Foto: AP)
Rossi acabou punido pela direção de prova com três pontos de punição e, como já tinha um ponto de punição por conta de uma infração anterior, terá de largar da última colocação em Valência. A Yamaha tentou recorrer à FIM (Federação Internacional de Motociclismo), mas os comissários da entidade máxima confirmaram a sanção ao italiano.
 
O #46, então, apelou ao Tribunal Arbitral do Esporte, mas os árbitros não concederam a suspensão da sentença e ele terá mesmo de largar no fundo do grid no circuito Ricardo Tormo.
 
 Embora não estivesse diretamente envolvido na polêmica, Lorenzo foi alvo de muitas críticas. Primeiro, o espanhol gesticulou contra o companheiro de equipe ainda no pódio malaio. Depois, abandonou a cerimônia de premiação antes do fim. Horas mais tarde, insistiu em cobrar, diante da imprensa, uma punição mais severa ao rival na luta pelo título e, para completar, pediu ao Tribunal Arbitral do Esporte para interferir na ação de Rossi sem o conhecimento da Yamaha.
 
Questionado se toda essa confusão mudava seu sentimento pelo esporte, Rossi garantiu que não e afirmou que vai cumprir seu contrato com a Yamaha em 2016 e aí decidir se pendura o capacete ou não.
 
“Meu sonho era lutar pelo campeonato e depois de uma temporada muito boa, eu posso lutar, mas, com certeza, eu queria tentar lutar numa situação normal”, disse. “Mas, quanto ao resto, isso não muda minha paixão ou meu pensamento pelo futuro”, assegurou. 
 
“Vou correr no ano que vem, porque já tenho um contrato, mas ao longo do próximo ano muitas coisas vão mudar, então talvez também mude o nível”, ponderou. “Aí depois eu vou decidir se continuo ou não”, explicou.
A cobertura completa do GP da Comunidade Valenciana no GRANDE PRÊMIO

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube