Em prova de recuperação, Márquez faz Rossi provar do próprio veneno e vence quinta seguida em 2014

Marc Márquez fez Valentino Rossi provar seu próprio veneno e levou o italiano ao erro para ultrapassar e assumir a ponta. Piloto de 21 anos se tornou o mais jovem a vencer cinco vezes seguidas na MotoGP

A cobertura completa do GP da França no GRANDE PRÊMIO
icone_TV Automobilismo na TV: a programação do fim de semana
As imagens deste domingo de Mundial de Motovelocidade em Le Mans

Marc Márquez é um aluno como poucos. O jovem campeão nunca escondeu sua admiração por Valentino Rossi e mostrou neste domingo (18) que aprendeu bastante assistindo as corridas do multicampeão. 
 
Neste domingo em Le Mans, o piloto da Honda fez os espectadores da MotoGP viajarem no tempo, levando-os de volta sua época de Moto2. Depois de uma largada ruim, seguida por uma escapa da pista, o espanhol caiu para a décima colocação e aí precisou colocar em prática uma daquelas suas espetaculares provas de recuperação.
Depois de passar Rossi, Marc Márquez deu um passeio por Le Mans (Foto: Repsol)
A classificação do Mundial de MotoGP após o GP da França

Depois de se livrar de um rival atrás do outro – incluindo aí Jorge Lorenzo e Dani Pedrosa –, o irmão mais velho de Álex se viu quase um segundo atrás de Rossi, que liderava a prova desde a quarta volta. Ainda ser ter uma M1 no mesmo nível da RC213V, o italiano fez o que pôde para conter o avanço do espanhol, mas Marc foi chegando – nada devagar.

 
Conhecido por sua habilidade de perseguir e incomodar os rivais, Rossi se viu na situação inversa e acabou escapando da trajetória na entrada da reta de Le Mans, escancarando a porta para a ultrapassagem de Marc. Uma vez na frente, o queridinho de Shuhei Nakamoto disparou na frente, abrindo uma longa vantagem para o italiano.
 
Rossi fez o que pôde para acompanhar, mas foi até o limite de sua M1. Sem mais adversários, Márquez tratou de fazer um fim de corrida limpo e cruzou a linha de chegada na França com 1s486 de vantagem para o multicampeão, selando seu quinto triunfo seguido na temporada.
Com as vitórias no Catar, em Austin, na Argentina, em Jerez e agora em Le Mans, Márquez se tornou, aos 21 anos e 90 dias, o mais jovem a ter vencido cinco corridas consecutivas. Rossi, por sua vez, chegou ao pódio de número 150 da carreira.
 
Depois de um bom duelo com um inspirado Pol Espargaró, Álvaro Bautista aumentou a festa pela conquista do Atlético de Madrid – time pelo qual torce –, que bateu o Barcelona na briga pelo Campeonato Espanhol, e conquistou o último posto do pódio, afastando de vez a má fase que marcou seu início de temporada.
 
Recebido com festa nos boxes da Tech3, Pol Espargaró ficou com o quarto lugar, à frente de Dani Pedrosa, que lutou bastante para chegar no top-5, mas encerrou seu sequência de pódios. Se estivesse no top-3 neste domingo, o espanhol iria dormir sabendo que fez seu melhor início de temporada desde a estreia na MotoGP. Mas não vai ser bem assim.
Valentino Rossi chegou ao pódio de número 150 da carreira (Foto: Yamaha)
Discreto em Le Mans, Jorge Lorenzo ficou com o sexto posto, à frente de Stefan Bradl. Depois de largada na primeira fila e liderar as voltas iniciais, Andrea Dovizioso vai voltar para a Itália remoendo um oitavo lugar, 0s523 à frente de Aleix Espargaró e sua M1 da Forward. Bradley Smith fecha a lista dos dez primeiros.
Saiba como foi o GP da França de MotoGP:
 
O dia da MotoGP em Le Mans começou cheio de visitas. Aproveitando o intervalo entre os GPs da Espanha e de Mônaco, Romain Grosjean e Nico Rosberg, pilotos da Lotus e da Mercedes, respectivamente, na F1, foram a Le Mans para acompanhar a quinta etapa do Mundial de Motovelocidade.
 
Depois de assistirem aos shows protagonizados pelos pilotos de Moto3 e Moto2, os representantes da F1 se preparavam para acompanhar a prova que tinha Marc Márquez na pole.
 
Pela quinta vez no ano, o espanhol conquistou o lugar de honra no grid, à frente de Pol Espargaró, na primeira fila pela primeira vez desde a estreia na classe rainha. Andrea Dovizioso também encerrou um jejum da Ducati, que não começava uma prova no top-3 desde o GP do Japão do ano passado, quando Nicky Hayden largou em terceiro.
 
Stefan Bradl abriu a segunda fila, à frente de Valentino Rossi e Jorge Lorenzo. O espanhol da Yamaha, aliás, aproveitou a formação do grid para entrar na campanha #BringBackOurGirls, que defende a libertação de 276 meninas que foram sequestradas de uma escola pública no norte da Nigéria pelo grupo ultraradical Boku Haram. O grupo, que é contrário à presença das meninas na escola, ameaça vendar as garotas para casamento.
Pol Espargaró brilhou em Le Mans neste domingo (Foto: Yamaha)
A terceira fila era formada por Álvaro Bautista, Aleix Espargaró e Dani Pedrosa, que tinha seu pior lugar de largada desde o GP de Portugal de 2010, quando saiu em 12º. O espanhol passou por uma cirurgia na semana passada para corrigir sinais de ‘arm pump’. O mesmo aconteceu com Stefan Bradl, que foi operado um dia depois. 
 
Pouco antes da largada, os termômetros marcavam 24ºC no ambiente e 43°C no asfalto. Como um dos circuitos menos exigentes com os pneus, alguns pilotos lançaram mão dos pneus extramacios, como Andrea Iannone. Os seis pilotos nas duas primeiras filas, por outro lado, optaram pelos compostos macios, identificados pela cor branca, na frente e na traseira.
 
Quando as luzes se apagaram, um público de 88.222 viu Dovizioso tirar a ponta de Márquez, com Bradl subindo para segundo, à frente de Pol Espargaró e Rossi. Marc caiu para quinto, à frente de Lorenzo, Smith, Bautista, Pedrosa e Iannone.
 
Ainda nos primeiros metros, Nicky Hayden sofreu uma queda e abandonou a disputa, assim como Iannone. Márquez acabou se enrolando, escapou da pista na curva oito e despencou para a décima colocação. 
 
Na frente, Rossi passou Pol e assumiu o terceiro posto. Dovizioso seguia na ponta, seguido por Bradl. Mais atrás, Marc começou a escalada, mas teria que passar por Pedrosa primeiro. 
 
Com Pedrosa sem um bom rendimento em Le Mans, Marc logo deixou o companheiro para trás. Na frente, Rossi passou Bradl por dentro e começou a caçar Dovizioso.
Álvaro Bautista vai celebrar o título do Atlético de Madrid com um pouco mais de alegria  (Foto: Gresini)
Valentino partiu para o ataque e passou Dovizioso, o piloto da Ducati reagiu na La Chapelle, mas perdeu a ponta pouco depois. Rossi escapou da linha na curva do Museu, mas reagiu e retomou a ponta de Andrea. Pol Espargaró também se animou e partiu para cima de Bradl, subindo para terceiro.
 
Lorenzo bateu Smith e subiu para quinto, com Márquez em sétimo após passar Bautista. Uma vez na ponta, Rossi tentou aumentar o ritmo para fugir dos rivais e abriu 0s346 de diferença para Andrea ainda na quinta volta.
 
Mais atrás, Márquez não tardou em se livrar de Smith e agora tinha que passar por Lorenzo. A briga prometia! Ou não…
 
Em ótimo desempenho, Pol passou Dovizioso e subiu para segundo, 0s668 atrás de Rossi. Andrea também foi superado por Bradl, que assumiu a terceira colocação. 
 
Com dificuldades de aderência, Lorenzo e Márquez escaparam da pista, mas voltaram mantendo suas posições. Marc partiu para cima de Jorge e passou na chicane Dunlop. Embalado, o líder de Mundial fez de Dovizioso sua próxima vítima e assumiu o quarto lugar, 1s102 atrás de Bradl, o terceiro.
 
Dovizioso não resistiu aos ataques de Lorenzo e Bautista e caiu para a sétima posição, à frente de Smith e Pedrosa. Dani, aliás, passou Bradley e assumiu o oitavo lugar.
 
Na liderança, Rossi seguia tentando escapar e exibia 0s795 de vantagem para Pol Espargaró na oitava volta. Restavam outras 20 e Márquez vinha em chamas, cravando a melhor volta da disputa até então: 1min33s548, um novo recorde para Le Mans.
Dani Pedrosa não conseguiu manter sequência de pódios (Foto: Repsol)
Perseguindo Bradl, o campeão de 2013 escapou da pista mais uma vez, mas voltou e manteve sua posição. Marc passou, mas levou o troco do rival da LCR. O espanhol respondeu imediatamente e passou, assumindo a terceira colocação. 
 
Pol Espargaró era a próxima vítima no planejamento de Marc. Voltamos aos tempos da Moto2! Com equipamento inferior, o piloto da Tech3 não teve com conter o eterno rival por muito tempo. Com a ultrapassagem, Rossi se tornou o novo alvo. A diferença era de 0s732 e baixando.
 
Com 17 giros para o fim, Rossi tinha 0s340 de vantagem para Márquez, que virava cerca de 0s4 mais rápido. Marc se viu então em sua posição favorita: brigando com Valentino.
 
Mais experiente, Rossi foi tentando contornar a situação, mas escapou da trajetória na entrada da reta e permitiu a passagem de Marc. Assim que passou, o espanhol começou a abrir, mas Valentino lutava para manter contato. 
 
Mais atrás, Bautista foi deixando os rivais para trás e assumiu o quarto posto, 0s3 atrás de Pol Espargaró, que defendia o terceiro posto com toda sua força. Lorenzo tinha a quinta colocação, mais de 2s atrás do piloto da Gresini.
 
Depois de um tempo apagado, Pedrosa começou a agir e passou Bradl para chegar ao sexto lugar. Pouco depois, Dani passou Lorenzo e assumiu a quinta posição. O piloto da Yamaha logo deu o troco e voltou para a frente. 
 
Um pouco à frente, Bautista conseguiu superar Pol Espargaró com uma ultrapassagem por dentro.
 
Mais atrás, a disputa entre Lorenzo e Pedrosa seguia intensa. Depois de alguns ensaios, Dani tomou a frente e se segurou no quarto lugar. Mais à frente, Bautista e Pol seguiam brigando pela última vaga do pódio. Na ponta, Márquez já passeava, sustentando 2s502 de vantagem para Rossi.
 
Agora rodando em terceiro, Bautista abriu mais de 1s de vantagem para Pol Espargaró e também tinha mais de 1s de atraso para Rossi, o segundo colocado. Pedrosa tinha o quinto posto, 1s694 atrás do espanhol da Tech3. Em sexto, Lorenzo estava 0s6 atrás de Dani.
 
Depois de um início promissor, Dovizioso se viu lutando com Aleix Espargaró pela oitava posição e conseguiu levar a melhor. O representante de Borgo Panigale, entretanto, tinha 10s820 de atraso para Bradl, que vinha em sétimo.
 
Depois de um início bem agitado, a prova perdeu em animação, já que Márquez sustentava quase 4s de diferença para Rossi. O espanhol diminuiu o ritmo e tratou de conquistae sua quinta vitória seguida.
 
MotoGP, GP da França, Le Mans, Final:
 
1
93
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
44:03.925
28 voltas
2
46
VALENTINO ROSSI
ITA
YAMAHA
+1.486
 
3
19
ÁLVARO BAUTISTA
ESP
GRESINI HONDA
+3.144
 
4
44
POL ESPARGARÓ
ESP
TECH3 YAMAHA
+3.717
 
5
26
DANI PEDROSA
ESP
HONDA
+4.077
 
6
99
JORGE LORENZO
ESP
YAMAHA
+7.088
 
7
6
STEFAN BRADL
ALE
LCR HONDA
+11.527
 
8
4
ANDREA DOVIZIOSO
ITA
DUCATI
+22.103
 
9
41
ALEIX ESPARGARÓ
ESP
FORWARD
+22.626
 
10
38
BRADLEY SMITH
ING
TECH3 YAMAHA
+23.108
 
11
35
CAL CRUTCHLOW
ING
DUCATI
+25.780
 
12
45
SCOTT REDDING
ING
GRESINI HONDA
+39.523
 
13
68
YONNY HERNÁNDEZ
COL
PRAMAC DUCATI
+42.544
 
14
7
HIROSHI AOYAMA
JAP
ASPAR HONDA
+42.736
 
15
17
KAREL ABRAHAM
TCH
AB
+56.644
 
16
70
MICHAEL LAVERTY
ING
PAUL BIRD
+1:14.123
 
17
5
COLIN EDWARDS
EUA
FORWARD
+1:19.723
 
18
23
BROC PARKES
AUS
PAUL BIRD
+1:30.934
 
19
63
MIKE DI MEGLIO
FRA
AVINTIA
+1:34.521
 
 
29
ANDREA IANNONE
ITA
PRAMAC DUCATI
NC
 
 
8
HECTOR BARBERÁ
ESP
AVINTIA
NC
 
 
69
NICKY HAYDEN
EUA
ASPAR HONDA
NC
 
 
 
 
 
 
 
 
POLE
 
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
1:32.042
163.6 km/h
VOLTA MAIS RÁPIDA
 
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
1:33.548
161.0 km/h
RECORDE
 
DANI PEDROSA
ESP
HONDA
1:33.617
160.9 km/h
MELHOR VOLTA
 
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
1:32.042
163.6 km/h
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Condições do tempo
 
PISTA SECA
ar: 23ºC | pista: 42ºC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube