Engenheiro da Ducati até aponta semelhanças, mas vê Stoner mais instintivo e Lorenzo mais preciso e metódico

Engenheiro de pista de Jorge Lorenzo, Cristian Gabarrini também trabalhou com Casey Stoner, único a se tornar campeão com a Ducati. Falando sobre os dois expoentes da MotoGP, o italiano disse que o australiano era mais instintivo, enquanto o espanhol é mais metódico e sensível

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Cristian Gabarrini é engenheiro de pista da Ducati e trabalhou tanto com Casey Stoner quanto com Jorge Lorenzo nas garagens italianas – nesta temporada, o profissional foi responsável pela equipe do espanhol. O australiano é o único que já conseguiu se tornar campeão com a marca vermelha, enquanto o piloto de Palma de Maiorca tenta ainda se adaptar à manhosa moto de Borgo Panigale, com o objetivo de vencer e voltar a disputar títulos na MotoGP.

 
Falando sobre os dois campeões, Gabarrini traçou semelhanças e diferenças. E disse que, enquanto Stoner usava mais o instinto ao pilotar, Jorge é mais metódico. "São muito parecidos em termos de talento", afirmou o engenheiro em entrevista ao site norte-americano 'Motorsport.com'. 
Cristian Gabarrini e Jorge Lorenzo (Foto: Ducati)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

"Ambos nasceram para pilotar motos, mas possuem personalidades diferentes e uma forma distinta de trabalho. Casey era um piloto mais instintivo, só precisava de algumas curvas para entender algo. Jorge usa menos o instinto e confia mais em seu método de trabalho. É mais preciso e meticuloso, além disso é mais sensível nos comentários sobre a moto", explicou.

 
Gabarrini também falou sobre a pressão por resultados da Ducati devido à contratação de Lorenzo e contou que trabalhar com o espanhol foi mais fácil do que imaginava. "Todo mundo me disse que trabalhar com Jorge seria muito difícil, mas isso não foi certo. Se você explica a ele o que está acontecendo, ele te ouve, ainda que concorde ou não."
 
"Em alguns momentos senti muita pressão porque tínhamos Jorge conosco e os resultados não estavam aparecendo, mas isso faz parte do trabalho e também temos de tirar essa pressão do piloto", acrescentou.
 
Contratação mais badalada dos últimos anos na MotoGP, o tricampeão Lorenzo enfrentou dificuldades para tirar o melhor da Ducati e não venceu, enquanto o companheiro de equipe, Andrea Dovizioso, lutou pelo título até a última etapa do campeonato. Ainda assim, Jorge foi ao pódio em três oportunidades e fechou o Mundial na sétima colocação.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube