MotoGP

Fernández herda ponta com quedas de Márquez e Baldassarri em Assen e vence primeira na Moto2

Augusto Fernández aproveitou as quedas de Álex Márquez e Lorenzo Baldassarri já no fim do GP da Holanda para assegurar sua primeira vitória na Moto2. Brad Binder colocou a KTM no pódio, com Luca Marini assegurando o terceiro posto

Grande Prêmio / JULIANA TESSER, de São Paulo / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
Foi uma corrida e tanto na Moto2. No cenário perfeito de Assen, Augusto Fernández aproveitou as quedas de Lorenzo Baldassarri e Álex Márquez já na reta final da corrida deste domingo (30) para conquistar seu primeiro triunfo na classe do meio, 0s612 à frente de Brad Binder. Luca Marini completa o pódio.
 
Quando as luzes se apagaram em Assen, Binder saltou para a liderança, com Xavi Vierge se instalando em segundo, à frente do pole Remy Gardner. O sul-africano, então, aproveitou a boa performance exibida pela KTM ao longo de todo o fim de semana para se manter na ponta, mas sem conseguir escapar.
 
Ao longo das voltas, diferentes rivais apareceram para destronar o #41, mas Binder foi conseguindo responder à altura para permanecer no comando da disputa holandesa. Com nove voltas para o fim, Brad abriu 0s9 de margem na liderança, mas Álex Márquez logo foi recortando a distância.
Augusto Fernández (Foto: Reprodução)
Com seis voltas para o fim, Márquez tomou brevemente a ponta, mas Binder respondeu bem ao ataque e recuperou a liderança. Álex ainda fez uma nova tentativa, mas, de novo, levou o troco.
 
Com cinco voltas para o fim, Márquez se colocou a ponta mais uma vez, com Binder tendo de se defender do ataque de Baldassarri para manter o segundo posto. 
 
Em seguida, um susto: Xavi Vierge caiu no meio do bolo dos ponteiros na curva 3, mas, felizmente, os rivais conseguiram desviar do piloto. Entretanto, o contato com a moto derrubou Enea Bastianini.
 
Já sem pneu dianteiro, Binder acabou superado pela dupla da Pons e caiu para quarto, mas não completamente fora da briga. 
 
Com duas voltas para o fim, porém, Baldassarri partiu para o ataque aproveitando a porta escancarada, mas caiu na curva 4 e acabou coletando Márquez no caminho. O caçula dos irmãos de Cervera ficou transtornado e foi gritar com Lorenzo, que ainda estava preso embaixo da moto.
 
Fernández, então, herdou a ponta, já com bastante margem em relação a Binder e seguiu adiante para receber a bandeirada com 0s612 de vantagem para o sul-africano, que fez uma bela prova em um fim de semana positivo para a KTM. 
 
Luca Marini também reagiu bem em Assen para assegurar o último posto do pódio. 4s028 atrás do vencedor, Tom Lüthi ficou com o quarto posto. Mas, mesmo fora do pódio, o suíço sai da Holanda cheio de razões para celebrar, já que tomou a liderança do Mundial das mãos de Márquez.
 
Tetsuta Nagashima ficou com o quinto posto, seguido por Andrea Locatelli. Em uma prova de muitas quedas, Stefano Manzi conseguiu colocou a MV Agusta na sétima colocação, à frente de Marcel Schrötter. Dominique Aegerter vem em nono, com Marco Bezzecchi fechando o top-10.
 
Paddockast #23
Lágimas em Le Mans



Saiba como foi o GP da Holanda de Moto2:
 
Com o sol brilhando no céu de Assen, a temperatura só fez subir neste início de tarde. Quando a Moto2 alinhou no grid para a oitava etapa da temporada, os termômetros mostravam 25°C, com o asfalto chegando a 35°C. A velocidade do vento era de 14 km/h.
 
Pela primeira vez na carreira, Remy Gardner tinha a pole-position, a primeira de um australiano na classe intermediária desde que Casey Stoner saiu na frente em casa em 2005. Na primeira aparição da KTM na primeira fila neste ano, Brad Binder tinha o segundo posto, com Xavi Vierge ocupando o terceiro lugar.
 
Líder do Mundial desde a Catalunha, Álex Márquez abria a segunda fila, à frente de Sam Lowes e Fabio Di Giannantonio.
 
Largada autorizada em Assen, Gardner não conseguiu manter a primeira colocação, vendo Brad Binder tomar o primeiro posto do pelotão. Quem também conseguiu passar o #87 foi Vierge, que veio em segundo.
O sul-africano começava a abrir vantagem na primeira colocação. Com a primeira volta completada, havia aberto 0s4. Mas Gardner, que voltou para o segundo posto, diminuiu o atraso para apenas 0s126.
 
Então, o #87 acabou cometendo um erro com 22 voltas para o fim, abrindo a porta para Márquez e Lowes, caindo para a quinta colocação. Lüthi, Fernández, Bastianini, Baldassarri e Martín fechavam o top-10.
 
Mais para trás, Bulega, Bendsneyder e Corsi registravam o primeiro tombo do dia. Os dois últimos acabaram tocados pelo primeiro, indo ao chão. Enquanto isso, o #11 acabou saindo ileso do incidente.

Binder tentava se afastar do restante do pelotão, mas sem muito sucesso. Agora, era Lowes quem se aproximava de forma ameaçadora do #41, aparecendo com uma desvantagem de 0s077.
 
E não demorou muito para que o titular da Gresini conseguir superar o adversário sul-africano. Entretanto, sem se dar por vencido, deu o troco para reassumir a primeira colocação. Enquanto isso, Vierge acompanhava tudo do terceiro posto.
 
Mais para trás, Márquez não tinha das corridas mais positivas. Após largar da quarta colocação, o líder da classificação aparecia na quinta posição da tabela, com pouco mais de 0s150 de atraso para o quarto.
 
A briga pelas primeiras colocações estava bastante animada na Holanda. Apesar de Binder começar a se afastar dos adversários, com um respiro de 0s366, Lowes, Fernández, Vierge e Álex estavam bastante próximos.
Restando 15 voltas para a bandeira quadriculada, a ordem na tabela era Binder, Vierge, Fernández, Márquez, Lowes, Martín, Baldassarri, Lüthi, Bastianini e Marini.
 
Então, o pole Gardner viu sua corrida acabar de forma precoce. Após cair muitas posições, o piloto acabou se acidentando e foi ao chão na curva 16. Sem conseguir voltar para a corrida, abandonou.
Mas na ponta do pelotão, as coisas estavam pegando fogo. O #40 conseguiu tomar a ponta da tabela, mas não por muito tempo. Logo Brad deu o troco, reassumindo a liderança. Nessa, Xavi também tentou dar o bote, mas sem sucesso.
 
Duas quedas consecutivas foram vistas então em Assen. Lowes, que estava em quinto, acabou perdendo a moto e foi parar na caixa de brita. Assim como Navarro, que estava mais para trás na tabela e abandonou a prova.
As coisas estavam mudando rapidamente na Holanda. Brad conseguia se manter no primeiro posto, mas agora tinha que lidar com as investidas de Lüthi, que pulou para segundo, e Vierge também estava se aproximando.
 
Enquanto isso, mais para trás, Martín sofreu uma queda. O piloto acabou indo ao chão quando estava nas primeiras colocações do pelotão, engrossando a lista dos pilotos que abandonaram. O competidor precisou sair de maca.
 
Com 10 voltas para o fim, a ordem era Binder, Vierge, Márquez, Baldassarri, Fernández, Lüthi, Marini, Bastianini, Nagashima e Schrotter.
 
O sul-africano caminhava para a vitória, sustentando um respiro do 0s4 para o segundo colocado. Entretanto, Márquez estava disposto a subir no degrau mais alto do pódio, diminuindo a distância a cada volta.
 
O titular da Marc VDS estava disposto a superar o titular da KTM Ajo, e com cinco giros para a bandeira quadriculada, enfim conseguiu fazer a ultrapassagem. Mas na curva seguinte, recebu o troco.
 
Mas então, o #73 mais uma vez conseguiu tomar a primeira colocação de Binder, enquanto uma grande queda era vista mais para trás. Vierge e Bastianini se envolveram em um acidente, com os dois indo ao chão. 
 
Então, com duas voltas para o final, uma reviravolta foi vista na ponta do pelotão. Baldassarri, que estava em segundo, acabou tocando o líder Márquez, com os dois indo ao chão. Ali acabava a corrida da dupla.
Quem se aproveitou do entrevero foi Fernández, que pulou para primeiro, com Binder e Marini completando o pódio.

Então, nada mais mudou na Holanda. Fernández conquistou o triunfo em Assen, com Binder e Marini fechando o pódio. Lüthi, Nagashima, Locatelli, Manzi, Schrotter, Aegerter e Bezzecchi completam o top-10.

Moto2 2019, GP da Holanda, Assen, Final:

1 A FERNÁNDEZ PONS Kalex 39:24.779 24 voltas
2 B BINDER Red Bull KTM Ajo +0.612  
3 L MARINI VR46 Kalex +3.686  
4 T LÜTHI Intact Kalex +4.028  
5 T NAGASHIMA SAG Kalex +5.391  
6 A LOCATELLI Italtrans Kalex +13.127  
7 S MANZI Forward MV Agusta +13.183  
8 M SCHROTTER Intact Kalex +13.567  
9 D AEGERTER Forward MV Agusta +19.792  
10 M BEZZECCHI Tech3 KTM +21.291  
11 F DI GIANNANTONIO Speed UP +23.591  
12 J DIXON Angel Nieto KTM +26.585  
13 L TULOVIC Kiefer KTM +30.817  
14 J ROBERTS American KTM +34.122  
15 I LECUONA American KTM +34.406  
16 S ODENDAAL RW NTS +40.034  
17 J FOLGER SIC Kalex +51.405  
18 X CARDELUS Angel Nieto KTM +59.200  
  A MÁRQUEZ Marc VDS Kalex NC  
  L BALDASSARRI PONS Kalex NC  
  X VIERGE Marc VDS Kalex NC  
  E BASTIANINI Italtrans Kalex NC  
  J MARTÍN Red Bull KTM Ajo NC  
  S LOWES Gresini Kalex NC  
  J NAVARRO Speed UP NC  
  R GARDNER SAG Kalex NC  
  N BULEGA VR46 Kalex NC  
  S CORSI Tasca Kalex NC  
  B BENDSNEYDER RW NTS NC  
         
VMR A FERNÁNDEZ PONS Kalex 1:37.323 168.0 km/h
REC T RABAT Marc VDS Kalex 1:37.449 167.7 km/h
MV J ZARCO Ajo Kalex 1:37.346 169.7 km/h
         
  Condições do tempo PISTA SECA   ar: 26ºC | pista: 38ºC

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.