GUIA 2020: Hexa, Márquez tem encontro com história: os títulos de Rossi

Dono de seis títulos na MotoGP, Marc Márquez terá em 2020 a chance de igualar o número de títulos de Valentino Rossi. Se chegar ao #46, o espanhol terá apenas um recorde no horizonte: os 15 títulos de Giacomo Agostini

2020 PODE SER UM ANO PARA FICAR NA HISTÓRIA. Dono de seis títulos na MotoGP, um na Moto2 e um nas 125cc, Marc Márquez terá neste ano sua primeira chance para igualar o número de títulos de Valentino Rossi no Mundial de Motovelocidade.
 
Aos 27 anos, Márquez abre o campeonato como franco-favorito. Desde que subiu para a classe rainha em 2013, o #93 ficou sem a taça apenas em 2015, quando Jorge Lorenzo chegou ao tricampeonato vencendo Valentino Rossi apenas na decisão de Valência. Assim, difícil imaginar o #93 longe da briga pelo título. 
 
O talento e os números impressionantes já fazem de Márquez um dos maiores da história, mas 2020 vai representar a chance de, ao menos na frieza dos números, colocar o espanhol à frente daquele que, para muitos, é o maior de todos os tempos.
Marc Márquez (Foto: Repsol)

Paddockast #50
GRANDES PROMESSAS QUE NÃO VINGARAM

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Em sua 21ª temporada na MotoGP/500cc, Rossi segue perseguindo o sonho do título e conta com números impressionantes. No total, são 115 vitórias ― 89 na classe rainha, 14 nas 250cc e 12 nas 125cc ―, 234 pódios ― 198 na elite, 21 na classe do meio e 15 na menor ―, 65 poles ― 55, cinco e cinco, respectivamente ― e nove títulos.
 
Assim como Márquez fez anos mais tarde, Rossi passou dois anos em cada uma das classes memores. O salto para a elite aconteceu em 2000, ainda nas 500cc. O italiano, então, precisou de dez temporadas para conquistar sete títulos da classe rainha.
 
Ao longo deste tempo, Rossi disputou 167 GPs, venceu 77, conquistou 128 pódios e 48 poles. Assim, o aproveitamento de vitórias foi de 46,10%, enquanto que o de top-3 chegou a 76,6% e o de poles foi de 28,7%.
Valentino Rossi soma nove títulos no Mundial. Um a mais que Marc Márquez (Arte: Juliana Tesser)

Ao contrário de Márquez, que sempre vestiu as cores da Honda, Rossi encarou uma mudança de equipe no meio do caminho. O italiano disputou quatro temporadas com a Honda e, depois, em 2004, mudou para a Yamaha, onde conquistou os quatro títulos mais recentes.
 
Marc, por sua vez, caminha para sua oitava temporada na MotoGP. Até aqui, o espanhol soma 127 GPs, 56 vitórias ― aproveitamento de 44,09% ―, 95 pódios ― 74,8% ― e 62 poles ― 48,8%.
 
Se conquistar o sétimo título da MotoGP em 2020, Márquez terá alcançado a marca de Rossi em menos tempo, mas, tal qual o italiano, ainda terá um longo caminho a percorrer para alcançar o recordista máximo do Mundial de Motovelocidade: Giacomo Agostini.
 
O lendário Ago é o recordista absoluto de títulos, já que foi campeão 15 vezes: sete nas 350cc e oito nas 500cc. Giacomo, porém, já perde para Rossi em termos de vitórias, pódios e poles, uma vez que soma 122 vitórias ― 68 nas 500cc e 54 nas 350cc ―, 159 pódios ― 71 nas 350cc e 88 na principal ― e nove poles ― seis na categoria rainha. 

Giacomo Agostini é o recordista de títulos no Mundial (Arte: Juliana Tesser)

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube