Guia MotoGP 2018: Dez anos após estreia, Márquez muda cara do motociclismo e se firma como maior nome da geração

Aos 25 anos, Marc Márquez completa em 2018 dez anos no Mundial de Motovelocidade. Desde a estreia no GP de Portugal de 125cc em 2008, o piloto de Cervera já conquistou um total de 61 vitórias, 102 pódios, 73 poles e seis títulos mundiais

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Campeão vigente da MotoGP, Marc Márquez celebra em 2018 dez anos de Mundial de Motovelocidade. Desde a estreia naquele GP de Portugal de 125cc, o #93 já conquistou seis títulos ― quatro deles só na classe rainha ― e garantiu um espaço só seu na história do certame promovido pela Dorna.
 
Dono de um talento ímpar, o irmão de Álex tem uma carreira marcada pela precocidade, mas, se foram esses os números que chamaram atenção no ano de estreia do espanhol de Cervera na MotoGP, hoje é o impacto de Marc no esporte que mais espanta.

Aos 39 anos, Rossi acelera para se afastar da aposentadoria na MotoGPAo provar que Ducati pode vencer, Dovizioso mira concluir o que iniciouLorenzo vai para segundo ano na Ducati tentando recuperar performance

Marc Márquez precisou de só dez anos para deixar sua marca no Mundial de Motovelocidade (Foto: Honda)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Com uma maneira de guiar sem igual, Márquez mudou a ‘cara’ do esporte, introduzindo um estilo de pilotagem novo, que passou a ser perseguido por mais e mais pilotos. Afeito ao dirt-track, Marc tem uma habilidade singular para controlar a moto e, mesmo que tenha números altos na estatística dos tombos, também se destaca por conseguir evitar quedas que muitas vezes parecem impossíveis de ‘salvar’
 
Além desse dom de ‘equilibrista’, Marc tem também um vasto arsenal: sabe ser veloz em uma volta, é habilidoso no confronto corpo-a-corpo, consegue extrair da moto até o último miligrama de potencial, é perspicaz na hora de planejar seus ataques, possui uma impressionante capacidade de aprendizado e, como se tudo isso não fosse o bastante, parece ter também o ‘corpo fechado’. 
 
Com mais de duas dezenas de tombos em 2017, Marc conseguiu escapar ileso de todos eles. Não sem dores, claro, mas muitos de seus pares já se machucaram por muito menos.
 
Com tantas qualidades, é difícil não ver o espanhol como o melhor de sua geração, assim como é igualmente duro evitar o uso do termo GOAT, a sigla em inglês usada comumente para designar aqueles que são os melhores de todos os tempos.
 
Aos 25 anos, Márquez ainda tem uma carreira longa pela frente e parece caminhar em direção aos números da igualmente impressionante carreira de Valentino Rossi. Quiçá, até dos feitos de Giacomo Agostini, última ‘fronteira’ no livro dos recordes da MotoGP. 
 
Com contrato renovado com a Honda até 2020, o #93 tem nas mãos as armas que precisa para mais um ciclo vitorioso. 
 
Aí fica a pergunta: quem pode parar Marc Márquez?
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube