Honda atende pedido de FIM e Dorna e adia exibição da telemetria da moto de Márquez no polêmico lance com Rossi em Sepang

A Honda havia planejado revelar a telemetria da moto de Marc Márquez no GP da Malásia nesta quarta-feira (11), mas acabou adiando seus planos para atender um pedido da FIM (Federação Internacional de Motociclismo) e da Dorna. A entidade máxima do esporte e a promotora do Mundial não querem que a marca da asa dourada coloque mais lenha na fogueira

A Honda adiou mais uma vez a divulgação da telemetria da moto de Marc Márquez no GP da Malásia. A marca da asa dourada pretendia exibir os dados na última quinta-feira, mas acabou desistindo para evitar acusações de que tentou influenciar a decisão do Tribunal Arbitral do Esporte no pedido de Valentino Rossi para suspender a pena imposta pelo toque com o #93.
 
Na semana passada, a corte de Lausanne não atendeu o pedido de Rossi de suspender a aplicação da pena, mas ao solicitação para reduzir a punição ainda tramita no tribunal. 
 
A Honda pretendia exibir a telemetria, uma vez que alega que Márquez caiu após ter sido chutado por Rossi. O piloto da Yamaha, no entanto, nega a acusação, e o chute tampouco foi provado na direção de prova do mundial. Valentino foi sancionado por tem forçado Márquez para fora da pista.
Acidente entre Rossi e Márquez (Foto: Reprodução/Twitter)
Vice-presidente-executivo da HRC, Shuhei Nakamoto disse em uma entrevista divulgada pela assessoria de imprensa da equipe que os dados da moto #93 provam o acionamento do freio como causa para a queda
 
 “Os dados da moto do Marc mostram que, apesar de ele ter levantado a moto para evitar o contato com Valentino, a alavanca do freio dianteiro recebeu um impacto repentino que travou a roda dianteira, que é a razão da queda dele”, disse Nakamoto. “Nós acreditamos que essa pressão seja resultado do chute do Rossi. Os dados da moto de Marc estão disponíveis se alguém da Dorna, da FIM ou da mídia quiser checar”, anunciou.
 
A sugestão de que Rossi tenha chutado o freio do rival causou a ira da Yamaha, que respondeu, por meio de um comunicado, que a alegação da Honda não foi provada pela direção de prova.
 
Nesta quarta-feira (11), durante a bateria de testes coletivos em Valência, Livio Suppo, chefe da Honda, esteve diante da imprensa, mas afirmou que a telemetria não será exibida por um pedido da FIM (Federação Internacional de Motociclismo) e da Dorna, a promotora do Mundial de Motovelocidade.
 
“Sinto muito por, também desta vez, não deixá-los felizes”, começou Suppo. “Desta vez não é escolha nossa, é um pedido da FIM e da Dorna para não colocarmos mais lenha na fogueira”, justificou.
Marc Márquez disse que sabia que se não vencesse em Valência seria acusado de ajudar Lorenzo (Foto: Honda)
“Nós respeitamos a gestão deles neste esporte e, por isso, aceitamos o pedido deles”, continuou.
 
 Além disso, Suppo afirmou que a Honda realmente gostaria de mostrar a telemetria e disse não entender como as pessoas não acreditam que Márquez estava tentando “desesperadamente” vencer a corrida de Valência. Após o último GP de 2015, Rossi voltou a atacar o #93, que passou 30 voltas atrás de Lorenzo no circuito Ricardo Tormo sem lançar um único ataque.
 
“Como nós dissemos, cedo ou tarde nós gostaríamos de mostrar essas informações. Nós dissemos que o faríamos quando achássemos que fosse apropriado. Desde a última vez que falamos, algo mais aconteceu, o que é muito triste para nós, porque eu, pessoalmente, não consigo acreditar como as pessoas não acreditam que Marc estava tentando desesperadamente vencer a corrida”, declarou. “Marc é um cara inteligente e sabe muito bem que se não estivesse na frente de Jorge no domingo, todos diriam essa estupidez. Mas essa é a situação. Nós respeitamos a FIM e a Dorna, então desculpem, mas vocês terão de esperar mais pelas informações”, concluiu.
 
Além de falarem sobre a telemetria, Suppo e Nakamoto também foram questionados sobre os rumores de um retorno de Casey Stoner à Ducati, mas se limitaram a responder com um: “Perguntem ao Casey”.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube