Honda diz que telemetria mostra impacto no freio dianteiro de Márquez: “Achamos que é resultado do chute de Rossi”

Vice-presidente executivo da HRC, Shuhei Nakamoto negou que Marc Márquez tenha tentado atrapalhar o ritmo de Valentino Rossi no GP da Malásia de MotoGP. Dirigente revelou que a telemetria da RC213V #93 mostra uma pressão no freio dianteiro como causa da queda do espanhol em Sepang

A cobertura completa do GP da Comunidade Valenciana no GRANDE PRÊMIO

Shuhei Nakamoto quebrou o silêncio sobre a confusão envolvendo Marc Márquez e Valentino Rossi. Em uma entrevista divulgada pela Honda nesta segunda-feira (2), o vice-presidente executivo da HRC negou que o espanhol tenha tentado atrapalhar o líder da MotoGP em Sepang e revelou que os dados da telemetria da moto #93 revelam uma pressão no freio dianteiro da RC213V como causa para queda.
 
O desentendimento entre Rossi e Márquez começou ainda na coletiva de imprensa da Malásia, quando o piloto da Yamaha acusou o jovem bicampeão de ter ajudado Jorge Lorenzo na corrida em Phillip Island. Na prova em Sepang. Valentino e Marc travaram um duro embate nas voltas iniciais, mas o duelo terminou na 7ª volta, quando o espanhol tentou passar o italiano e caiu após um toque
Shuhei Nakamoto não acredita que Marc Márquez tenha tentado prejudicar Valentino Rossi (Foto: Repsol)
O #46 foi considerado culpado pelo acidente de Márquez e recebeu três pontos de punição por direção irresponsável. Como já tinha um ponto por uma infração anterior, o italiano vai largar em último na Comunidade Valenciana.
 
A Yamaha recorreu a FIM (Federação Internacional de Motociclismo) para tentar reverter a sanção da direção de prova, mas a entidade confirmou a punição. Na última sexta-feira, Rossi recorreu ao Tribunal Arbitral do Esporte para tentar se livrar da punição na etapa final da temporada.
 
 De acordo com Nakamoto, é preciso se ater aos fatos ao invés de debater suposições. Na visão do executivo, não há evidências de que Márquez tenha ajudado Lorenzo na Austrália.
 
“Antes de mais nada, gostaria de dizer que nós acreditamos que é muito importante falar sobre os fatos, não sobre suposições. Um fato é um fato e só há uma interpretação”, defendeu. “Suposições podem ser traduzidas de formas diferentes, dependendo do lado que você está. Pelo bem do nosso esporte, nós gostaríamos apenas de considerar os fatos que aconteceram e que são, claramente:
 
– Marc Márquez venceu o GP da Austrália, ultrapassando Jorge Lorenzo na última volta, e, portanto, tirando cinco pontos dele no campeonato;
 
– Na quinta-feira antes do GP da Malásia, na coletiva de imprensa, Valentino Rossi acusou Marc de correr contra ele em Phillip Island para ajudar Jorge Lorenzo;
 
– No GP da Malásia, Rossi, intencionalmente, empurrou Marc para fora da linha de corrida, o que fez com que ele caísse. A direção de prova deu a ele uma punição por essa ação, confirmada pela FIM”, listou.
 
“De fato, os tópicos mencionados anteriormente são os únicos fatos que podemos considerar e comentar, qualquer outra discussão está baseada em suposições. Falar sobre suposições apenas aumentaria a atmosfera negativa que enfrentamos neste momento, mas não vai mudar a realidade do que aconteceu”, opinou.
 
O dirigente disse lamentar a polêmica resultante do conflito entre os dois pilotos e lembrou que o cumprimento entre Rossi e Márquez ao fim da etapa de Phillip Island mostra que os dois tinham entendido que se tratava de uma batalha justa.
Lorenzo e Rossi contra Márquez (Foto:Yamaha)
“Nós, como HRC, lamentamos muito que essa situação tenha sido criada. Antes de mais nada, nós gostaríamos de sublinhar que Marc foi alvo de uma acusação sem evidências, depois da corrida de Phillip Island. Claramente, não existem bases para apoiar que ele queria ajudar algum piloto na briga pelo campeonato, considerando que ele queria vencer a corrida e fez isso”, defendeu. “Depois de rever mais uma vez as imagens, você pode ver claramente Valentino e Marc dando as mãos após a bandeira quadriculada na Austrália, reconhecendo uma grande e justa batalha”, recordou.
 
Além disso, Nakamoto negou que Marc tenha atuado na Malásia em resposta as declarações de Rossi. Segundo o dirigente, o bicampeão correu da forma que sempre faz, dando 100% o tempo todo.
 “Nós honestamente não achamos que este seja o caso. Nós todos sabemos que Marc corre 100% o tempo todo, é uma das razões para nós todos o amarmos e ele ter tantos fãs ao redor do mundo. Marc sempre força ao máximo para atingir o melhor resultado possível. Ele teve grandes batalhas na carreira com muitos pilotos, e ninguém nunca reclamou disso”, apontou. “Na Malásia, nós sabemos que Marc estava com dificuldades no início da corrida com o tanque cheio, como aconteceu muitas vezes nesta temporada. Também em Sepang, ele cometeu um erro no início da corrida e isso permitiu que Jorge o ultrapassasse. Aí Valentino chegou e eles começaram a lutar pelo terceiro lugar. As manobras foram extremas, mas seguras, dos dois lados. Dois dos maiores campeões que já vimos batalhando juntos na pista”, frisou.
 
Questionado se era possível que Márquez tenha reduzido o ritmo de Rossi nas voltas iniciais na Malásia, Shuhei rebateu: “Os tempos de volta que eles estavam fazendo eram bem rápidos, claramente mostrando que não havia intenção do Marc de retardar Valentino”.
 
“Além disso, depois que Marc caiu e Valentino tinha pista livre pela frente, os tempos de volta dele não foram mais rápidos do que durante a batalha com Marc”, comentou. “Nós acreditamos que os dois estavam forçando ao máximo. Os dois queriam o terceiro lugar e tentar alcançar Dani e Jorge, mas, claro, esta batalha abriu uma distância para os dois da frente. As corridas são assim e quando você tem dois talentos como Marc e Valentino, você pode ver uma batalha incrível como a que vimos”, seguiu.
VIU ESSA? O POLÊMICO INCIDENTE ENTRE ROSSI E MÁRQUEZ NA MOTOGP

determinarTipoPlayer(“15655524”, “2”, “0”);

Após a corrida, Márquez acusou Rossi de tê-lo chutado para provocar a queda, o que o italiano sempre negou. Nakamoto, entretanto, revelou que a telemetria da RC213V #93 mostra uma pressão na alavanca do freio dianteiro como causa para a queda do espanhol.
 
“Está claro que Valentino intencionalmente empurrou Marc para fora da pista, o que é contra as regras, portanto, Marc não tinha nenhuma outra opção a não ser escapar da pista”, falou. “Os dados da moto do Marc mostram que, apesar de ele ter levantado a moto para evitar o contato com Valentino, a alavanca do freio dianteiro recebeu um impacto repentino que travou a roda dianteira, que é a razão da queda dele”, contou.
 
“Nós acreditamos que essa pressão seja resultado do chute do Rossi. Os dados da moto de Marc estão disponíveis se alguém da Dorna, da FIM ou da mídia quiser checar”, anunciou.
 
Indagado se acredita em Marc quando o piloto diz que não estava tentando atrapalhar Valentino, Nakamoto respondeu: “Conheço bem o Marc. Ele é um cara legal, com valores fortes e honestos. Marc apenas estava tentando defender sua posição, como qualquer piloto faria, e eu acredito 100% nele”.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube