Miller supera erro no pit-stop e punição dupla e vence GP da França tumultuado pela chuva

O GP da França foi caótico e emocionante, como o público gosta. Melhor para Jack Miller, que sofreu punição dupla após erro nos boxes e venceu em Le Mans, entrando de vez na briga pelo título. Johann Zarco e Fabio Quartararo fecharam o pódio. Marc Márquez caiu duas vezes e abandonou

Quartararo só soube que faturou a pole no parque fechado (Vídeo: MotoGP)

Le Mans ofereceu tudo que os fãs da MotoGP queriam ver: chuva, sol, acidente, ultrapassagens, punições e uma corrida marcante. Após 27 caóticas e emocionantes voltas no GP da França, Jack Miller ficou com a segunda vitória consecutiva na temporada e entrou de vez na briga pelo título de 2021. Para isso, porém, precisou superar adversidades.

Largando em terceiro, Miller rapidamente pulou bem na largada e assumiu a liderança da prova. Não durou muito, no entanto, porque foi superado por Fabio Quartararo. A chuva, então, se fez presente e bagunçou a corrida em Le Mans. Com todo o pelotão se encaminhando para os boxes, para a troca de motos, o australiano da Ducati recebeu uma punição dupla por ultrapassar o limite de velocidade no local.

Jack Miller venceu o GP da França após punição dupla (Foto: Ducati)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Após duas voltas longas, Miller passou a caçar Quartararo na França e ultrapassou o piloto da Yamaha, que ainda foi punido por errar o procedimento de troca do equipamento nos boxes. O francês da moto #20 ainda caiu para terceiro e viu Johann Zarco terminar na segunda posição.

Francesco Bagnaia também se recuperou de uma punição dupla por exceder o limite de velocidade nos boxes e ficou em quarto. Danilo Petrucci fez ótima corrida de recuperação e terminou em quinto, seguido por Álex Márquez, Takaaki Nakagami, Pol Espargaró, Maverick Viñales e Iker Lecuona fechando o top-10.

A chuva, porém, fez várias vítimas na França. Pilotos como Joan Mir, Álex Rins e Marc Márquez ― duas vezes ― abandonaram após quedas em Le Mans.

Com o desfecho desta quinta etapa da temporada, Quartararo sai da França na liderança da MotoGP, com 80 pontos, à frente de Bagnaia, Zaco e Miller. Viñales tem a quinta posição, escoltado por Joan Mir, Aleix Espargaró, Franco Morbidelli, Nakagami e Pol Espargaró.

Com duas vitórias no ano, a Ducati passou a Yamaha no Mundial de Construtores por só três pontos. Suzuki tem a terceira colocação, seguida de Honda, KTM e Aprilia. No Mundial de Equipes, a liderança também é da equipe de Bolonha, que tem sete pontos a mais que o time de fábrica de Iwata.

A MotoGP volta à ação no dia 30 de maio, com o GP da Itália, sexta etapa do calendário. Acompanhe a cobertura do GRANDE PRÊMIO sobre o Mundial de Motovelocidade.

Saiba como foi o GP da França de MotoGP:

A previsão do tempo apontava para 80% de chance de chuva para a corrida deste domingo, mas depois de um warm-up ensopado, os pilotos viram o tempo mudar. Com o céu mais azul do que jamais vimos em Le Mans neste fim de semana ― apesar das muitas nuvens carregadas ―, a pista estava seca ― assim como esteve na Moto2 ― e com o asfalto chegando à temperatura mais elevada do fim de semana: 30°C. No ambiente, os termômetros mediam 17°C, com o vento soprando a uma velocidade de 8 km/h. A umidade era de 56%.

Aa expectativa não era por uma corrida completamente no seco (Foto: Reprodução/MotoGP)

Com pouquíssimos testes nestas condições, os pilotos tiveram de escolher os pneus meio que no escuro. Como sempre, a Michelin disponibilizou opções macias, médias e duras, com todos os traseiros e o mais resistente dos dianteiros construídos em configuração assimétrica, com a borracha mais forte do lado direito, já que o traçado de Sarthe tem cinco curvas para esquerda e nove para a direita.

Apesar da mudança inesperada, a opção de pneus foi uniforme: todos os pilotos optaram pelos macios, tanto na dianteira quanto na traseira.

No instante em que as luzes se apagaram no templo do esporte a motor da França, Jack Miller engoliu as Yamaha adiante e tomou a ponta, com Viñales passando Quartararo pelo segundo lugar após o francês espalhar um pouco. Marc Márquez também saiu muito bem, mas foi superado por Takaaki Nakagami pelo quarto posto quase que de imediato.

A largada do GP da França de 2021 (Vídeo: MotoGP)

Marc e Pol Espargaró, porém, foram ao ataque e tomaram a quarta colocação do japonês. Na curva 11, Morbidelli passou reto e escapou da pista. O ítalo-brasileiro ainda tentou se manter de pé, mas acabou caindo.

Enquanto isso, Viñales aproveitou uma espalhada de Miller na curva 5 para tomar a ponta do GP da França. Quartararo era o terceiro, à frente de Nakagami e Álex Rins, que largou em 15º. Marc tinha caído para sexto.

Ainda no comecinho da disputa, as primeiras gotas de chuva foram sentidas no pit-lane, o que forçou os mecânicos a prepararem as motos para o flag-to-flag.

Pilotos foram para os boxes e pegaram motos com pneus de chuva (Vídeo: MotoGP)

Enquanto isso, Miller tomou a ponta de Viñales, mas Quartararo aproveitou a disputa entre os dois para mergulhar por dentro e tomar a liderança. Rins e Márquez passaram Maverick, que caiu para quinto.

Miller respondeu rápido e recuperou liderança na Garage Vert, mas o troco veio rápido. O australiano, porém, insistiu e ficou com a posição por mais alguns metros, mas perdeu de novo para o piloto natural de Nice, no litoral sul da França.

Neste ponto, as bandeiras brancas já eram exibidas, um sinal da direção de prova de que os pilotos já estava liberados para trocar de moto assim que desejassem. No meio do pelotão, a troca de posições era intensa, apesar do aumento da chuva.

Quartararo ultrapassou Miller e assumiu a liderança em Le Mans (Vídeo: MotoGP)

Na volta cinco, Miller escapou da pista, mas evitou a queda e seguiu direto para os boxes, mesmo rumo de todos os pilotos, que partiram para o flag-to-flag. Antes de parar, Mir caiu e não conseguiu continuar.

Aproveitando a posição da Honda nos boxes, Márquez voltou para a pista na liderança, seguido por Quartararo e Miller. Rins, por outro lado, caiu tão logo deixou os boxes, na curva 4, bem no ponto de saída mesmo.

A direção de prova, então, anunciou que Bagnaia e Miller teriam de cumprir duas vezes a punição da volta longa, já que excederam o limite de velocidade no pit-lane, estabelecido em 60 km/h.

Momento em que Jack Miller ultrapassa o limite de velocidade nos boxes (Vídeo: MotoGP)

Certeiro no flag-to-flag, Márquez abriu uma boa vantagem na liderança da corrida, aparecendo com 1s3 de frente para Quartararo com 21 voltas ainda para percorrer.

Na volta nove, o sonho de Márquez de fazer as pazes com a vitória caiu por terra. O astro da Honda foi ejetado da moto na curva 14, entregando a liderança de volta à Quartararo. Apesar dos impactos, Marc voltou para a moto e para pista, mas em 18º.

Miller cumpriu uma das duas punições na França, permitindo que Quartararo abrisse 1s221 de margem na liderança. Como o australiano tinha 13s de frente para Nakagami, nem mesmo a segunda punição seria o bastante para perder o segundo lugar. Johann Zarco vinha em quarto, seguido por Álex Márquez, Aleix Espargaró, Valentino Rossi, Maverick Viñales e Danilo Petrucci.

Marc Márquez caiu na última curva do circuito francês (Foto: Reprodução)

Ao cumprir a segunda volta longa, Miller se afastou 1s5 de Fabio, mas logo começou a descontar a vantagem rapidamente.

Com 16 voltas para o fim, Fabio foi sancionado com uma punição da volta longa por um erro na troca de moto, já que parou na garagem de Viñales e correu até a própria moto. Antes de cumprir, perdeu a liderança para Miller, que passou e abriu vantagem.

Com a pena ao francês, Miller se afastou mais de 4s na cabeça da prova. Terceiro, Nakagami não conseguiu aproveitar o tumulto na ponta para se aproximar.

A explicação pela punição de Quartararo na troca de motos (Vídeo: MotoGP)

Com 15 giros para o fim do GP da França, Miguel Oliveira caiu na curva 3, aumentando ainda mais a lista de vítimas da chicane Dunlop.

O mesmo ponto da pista, aliás, foi palco da segunda queda de Rins nesta tarde. O piloto da Suzuki tinha voltado para a corrida apesar de todo o tumulto anterior, mas caiu de novo e, desta vez, encerrou mais cedo a disputa.

Se Takaaki não se aproximava de quem vinha à frente, Zarco não planejava ficar parado. O piloto da Pramac caçou o titular da LCR e tomou a terceira posição, se afastando rapidamente de Nakagami. Mais atrás, Viñales passou Rossi pelo décimo lugar. Na sequência, foi Pecco quem deixou o experiente italiano para trás.

Marc também ia escalando. Depois de passar por Iker Lecuona, o espanhol deixou Luca Marini pelo caminho para assumir a 12ª colocação. Logo depois, Aleix Espargaró foi forçado a parar e abandonar o GP da França por conta de um problema na RS-GP da Aprilia.

Com dez voltas para o fim, já não chovia mais em Le Mans, e a formação de um trilho seco colocava os pilotos em dificuldade também com o desgaste dos pneus.

No mesmo giro, o mais velho dos Márquez caiu pela segunda vez nesta tarde, agora na curva 6. Desta vez, o espanhol deu o GP por encerrado.

Marc Márquez caiu pela segunda vez no GP da França (Vídeo: MotoGP)

Enquanto Miller liderava, a Ducati ficava preparada para o caso de uma segunda parada do australiano, já que a pista estava secando e ele tinha um pneu de chuva macio na traseira.

Com seis voltas para o fim, Zarco passou Quartararo pelo segundo lugar. O piloto da Pramac tinha dois médios, enquanto que o conterrâneo mais novo vinha com um pneu macio na dianteira. Álex Márquez era o quarto, seguido por Petrucci, Bagnaia, Nakagami, Pol Espargaró, Viñales e Rossi.

Pecco partiu para o ataque, passou Petrucci e Álex Márquez e se instalou na quarta colocação, já 9s8 atrás de Quartararo.

Apesar de um sustinho no fim da corrida na França, Miller seguiu firme para vencer com 3s970 de vantagem para Zarco. Quartararo completou o pódio, com Bagnaia em quarto e Petrucci fechando o top-5.

Jack Miller comemorou o segundo triunfo no ano com um Shoey (Vídeo: MotoGP)

MotoGP 2021, GP da França, Le Mans, Corrida:

1J MILLERDucati47:25.47327 voltas
2J ZARCOPramac Ducati+3.970 
3F QUARTARAROYamaha+14.638 
4F BAGNAIADucati+16.726 
5D PETRUCCITech3 KTM+21.300 
6A MÁRQUEZLCR Honda+23.053 
7T NAKAGAMILCR Honda+29.218 
8P ESPARGARÓHonda+34.775 
9M VIÑALESYamaha+40.227 
10I LECUONATech3 KTM+40.386 
11V ROSSISRT Yamaha+41.730 
12L MARINIAvintia VR46 Ducati+51.855 
13B BINDERKTM+59.618 
14E BASTIANINIAvintia Ducati+1:03.377 
15T RABATPramac Ducati+1:09.896 
16F MORBIDELLISRT Yamaha+1:18.508 
17M MÁRQUEZHondaAbandonou 
18A ESPARGARÓAprilia GresiniAbandonou 
19M OLIVEIRAKTMAbandonou 
20A RINSSuzukiAbandonou 
21L SAVADORIAprilia GresiniAbandonou 
22J MIRSuzukiAbandonou 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar