Kent foge do pelotão e vence quinta do ano em 1-2 fácil da Kiefer na Alemanha. Bastianini bate Fenati na linha e é 3º

Danny Kent mais uma vez conseguiu escapar do pelotão e conquistou sua quinta vitória do ano com 7s554 de vantagem para Éfren Vázquez. Enea Bastianini bateu Romano Fenati na linha de chegada por 0s026 e ficou com o último posto do pódio

A cobertura completa do GP da Alemanha no GRANDE PRÊMIO

Danny Kent conseguiu mais uma vez. Trazendo um novo estilo à Moto3 na temporada 2015 — o de piloto em fuga —, o britânico escapou do pelotão neste domingo (12), confirmado as expectativas por seu ritmo dominante ao longo de todo o fim de semana.

 
Largando na ponta, o britânico chegou a ter alguns rivais nos metros iniciais, mas nada que pudesse assustar. Ainda nos primeiros giros, Kent passou a se distanciar, com Éfren Vázquez tentando acompanhar o ritmo do companheiro de Kiefer.
Danny Kent venceu pela quinta vez em 2015 (Foto: AP)
A classificação do Mundial de Moto3 após o GP da Alemanha

O #7 conseguiu permanecer junto de Danny por algumas voltas, mas acabou sucumbindo ao ritmo superior do #52, que teve pista livre pela frente para abrir 7s554 de vantagem e receber a bandeirada para sua quinta vitória de 2015.

Vázquez, por sua vez, também conseguiu se distanciar do pelotão e correu isolado na maior parte da disputa. O #7 fez sua melhor volta na prova em 1min26s991, contra o 1min26s916 de Kent.
 
Com a dupla da Kiefer destacada na ponta, a briga pelo terceiro posto foi o principal atrativo do GP da Alemanha. Em uma prova de recuperação, Romano Fenati abriu a última volta em terceiro, mas com vários pilotos colados atrás.
 
Na linha de chegada, Enea Bastianini conseguiu se colocar 0s026 à frente e ficou com o último posto do pódio de Sachsenring. Niccolò Antonelli apareceu para receber a bandeirada em quinto.
 
Jorge Navarro também esteve na briga pelo pódio, mas acabou em sexto, à frente de Brad Binder. O sul-africano era o encarregado de defender a Red Bull KTM Ajo, que correu desfalcada na Alemanha após Miguel Oliveira fraturar a mão em um acidente ainda no primeiro dia.
 
Alexis Masbou ficou com a oitava colocação, seguido por Andrea Locatelli. Niklas Ajo conquistou o décimo posto.
 
Partindo da primeira fila, Karel Hanika fez uma ótima largada e chegou a liderar a disputa, mas foi despencando pouco a pouca até receber a bandeira em 13º.
 
Com o resultado de hoje, Kent passa a ser o primeiro britânico a vencer em Sachsenring na divisão de entrada do Mundial desde que Dave Simmonds triunfou o traçado original em 1969, o ano em que conquistou o título — o último de um piloto inglês na classe menor.
 
Além disso, o triunfo do britânico quebra uma sequência da KTM, que tinha sido a única a vencer na pista de Oberlungwitz desde o início da era da Moto3. A última vitória da Honda na categoria menor na Alemanha tinha sido na prova das 125cc de 1999.
Com o quinto triunfo do ano, Kent chegou aos 190 pontos e agora tem 66 de vantagem para Bastianini na liderança do Mundial. Oliveira aparece na terceira colocação, seguido por Fenati e Vázquez, que tem 94 pontos de atraso para o companheiro de equipe.
 
Saiba como foi o GP da Alemanha de Moto3:
 
Assim como aconteceu nos dias de treino, Oberlungwitz amanheceu com sol e tempo firme neste domingo. Na hora da largada da Moto3, os termômetros marcavam 25°C, com a pista chegando aos 33°C. A velocidade dos ventos era de 10 km/h.
 
O treino classificatório para o GP da Alemanha resultou em um festival de punições. Como ficou definido após uma reunião em Assen, a direção de prova passou a exigir que os pilotos completem todos seus giros dentro do limite de 107% da média de suas voltas, uma tentativa de evitar que os competidores reduzam a velocidade durante a sessão a espera de um rival mais rápido.
 
María Herrera, Jorge Navarro, Andrea Migno, John McPhee, Ana Carrasco Niklas Ajo, Isaac Viñales, Enea Bastianini, Andrea Locatelli, Hiroki Ono e Jakub Kornfeil descumpriram a decisão e foram punidos pela direção de prova. Os 11 pilotos perderam três posições no grid de largada e também foram suspensos por dez minutos no warm-up desta manhã.
 
Ajo ainda levou um ponto de punição por conta do acidente com Ana Carrasco durante a sessão.
Éfren Vázquez bem que tentou, mas não conseguiu acompanhar o ritmo de Kent (Foto: Kiefer)
Assim, Danny Kent largou com a pole neste domingo, com Karel Hanika e Fabio Quartararo promovidos a segundo e terceiro, respectivamente. Éfren Vázquez surge na sequência, seguido por Bastianini, Jorge Martín, Niccolò Antonelli, Brad Binder, Locatelli e Alexis Masbou.
 
Para a prova deste fim de semana, a Dunlop, fornecedora única dos pneus da categoria, separou os compostos dianteiros macios e médios, e os traseiros macio ‘S1’ e médio ‘M1’. 
Como normalmente acontece, a maioria dos pilotos optou por uma combinação de pneus médios, mas Antonelli, Livio Loi, Jules Danilo e Hiroki Ono colocaram a borracha macia na dianteira. O belga, aliás, também escolheu o composto mais mole para a traseira.
 
Quando as luzes se apagaram em Sachsenring, Hanika largou bem e mergulhou em primeiro na curva um, seguido por Vázquez, Kent, Bastianini, Binder, Martín, Quartararo, Antonelli, Locatelli e Masbou. Hiroki Ono caiu ainda nos primeiros metros, mas voltou para a prova. Foi a primeira vez que o tcheco liderou no Mundial.
 
Sem muita demora, Kent conseguiu retomar o comando da disputa, à frente de Vázquez, que seguia colocado. Cientes do ritmo mais forte de Danny, ninguém queria deixar o britânico escapar, então Bastianini partiu logo para o ataque e tomou a ponta do #52 passando por dentro na curva um.
 
Pouco depois, Kent tratou de recuperar a ponta, mas foi atacado por Binder e caiu para segundo. Bastianini era o terceiro. Na abertura do giro seguinte, Danny retomou a ponta, à frente de Enea e Brad. Vázquez era o terceiro seguido por Hanika, Martín, Quartararo, Antonelli, Locatelli e Masbou.
 
Desta vez, Kent conseguiu se afastar do pelotão e começou a abrir mais e mais vantagem. Na terceira volta, o piloto da Kiefer já tinha 0s447 de margem para Bastianini. Vázquez era o terceiro, seguido por Binder, Hanika, Martín, Antonelli, Quartararo, Masbou, Locatelli, Navarro e Fenati.
 
Kent, no entanto, cometeu um erro na Sachsen e perdeu boa parte de sua vantagem. O #52 logo se recompôs e passou a escapar mais uma vez.
 
Vázquez conseguiu tomar o segundo posto de Bastianini e também tratou de impor uma pequena margem ao italiano da Gresini. 
 
Enquanto Éfren lutava para se aproximar do companheiro de Kiefer, Bastianini foi atacado por Hanika e caiu para a quarta colocação, à frente de Binder e Martín. 
 
No fim do quinto giro do GP da Alemanha, Fabio Quartararo sofreu uma queda na última curva do circuito Saxão e deixou a pista mancando. Pouco depois, foi Francesco Bagnaia que teve problemas com a moto e foi auxiliado pelos fiscais para voltar ao pit-lane empurrando a Mahindra.
Enea Bastianini tem a vice-liderança do Mundial de Moto3 (Foto: Gresini)
Apesar de Kent ter mostrado um ritmo imbatível ao longo do fim de semana, Vázquez conseguiu acompanhá-lo, com a dupla se destacando do pelotão. 1s883 atrás do #7, Bastianini ocupava o terceiro posto, à frente de Binder e Hanika.
 
Pouco depois, Hanika passou Enea, mas levou o troco na sequência. Antonelli também atacou e passou o italiano, que conseguiu responder pouco depois para voltar à terceira colocação, à frente de Binder, Karel e Niccolò.
 
Na ponta, Kent passou a virar mais rápido que Vázquez — 1min26s916 contra 1min27s241, por exemplo — e foi se distanciando do companheiro de equipe, caminhando para o quinto triunfo do ano. 
 
Mais atrás, Antonelli voltou a se instalar a terceira colocação, mas levou o troco pouco depois, com Binder se colocando em posição de pódio. Hanika vinha na sequência, com Antonelli, Bastianini, Navarro, Masbou, Martín e Locatelli completando o top-10.
 
No décimo giro, Kent já tinha 1s962 de vantagem para Vázquez. O britânico introduziu um novo estilo na Moto3 neste ano, já que a categoria raramente vê um piloto escapar do pelotão como o britânico tem feito.
 
Com as duas posições da ponta praticamente definidas — uma vez que Vázquez tinha mais de 4s de vantagem para os rivais —, a batalha pelo terceiro posto passou a ser o foco em Sachsenring. Mas uma vez, Binder conseguiu assumir a posição, mas seguido de perto por Antonelli, Bastianini e Hanika. 
 
Antonelli, então, assumiu o terceiro posto, à frente de Bastianini, Binder, Hanika, Navarro, Masbou e Martín. Fenati vinha reduzindo o atraso para entrar na brincadeira. 
 
Bastianini atacou Binder por dentro no fim do 14º giro e assumiu a quarta colocação. Na reta, o vácuo juntou todo mundo, com Navarro aproveitando para pular para a quinta colocação, atrás de Binder.
 
Na curva 10, o wid-card Max Kappler sofreu uma forte queda e acabou abandonando a disputa. O germânico deixou a pista caminhando. 
 
Bastianini logo conseguiu passar Navarro para recuperar o quinto posto, mas seguia acompanhado por Jorge, que, por sua vez, tinha Masbou, Hanika, Fenati e Martín colados atrás.
 
No fim da 16ª volta, Binder passou Antonelli por dentro na curva 12 e assumiu o terceiro posto. Na sequência, Niccolò perdeu a posição para Bastianini.
 
O #23 não tardou a reagir e recuperou a terceira posição, à frente de Bastianini e Binder. Pouco depois, Enea saltou para a terceira colocação ao passar por dentro na curva 11.
 
Antonelli tentou superar Binder na freada, mas Enea conseguiu defender a linha para se manter no último posto do pódio. Antonelli vinha em quinto, seguido por Navarro, Masbou, Hanika, Fenati e Locatelli.
 
Na entrada da reta, Fenati passou a pressionar mais e partiu para o ataque, subindo para oitavo. Hanika tentou responder, mas ficou para trás na curva oito. 
 
Enquanto isso, Antonelli vinha em terceiro, mas com Bastianini colado logo atrás. Navarro caiu para sétimo, após ser ultrapassado por Masbou e Binder.
 
No 21º giro, Bastianini voltou a assumir o terceiro posto, à frente de Antonelli, Binder, Masbou, Navarro, Fenati, Hanika e Locatelli.
 
Perto de somar seus primeiros pontos no Mundial, Tatsuki Suzuki acabou perdendo a moto na curva 12 e abandonou após uma queda.
 
Lá na frente, Antonelli voltou a passar bem pela primeira curva, recuperando o terceiro posto. Binder agora era o quarto, à frente de Bastianini.
 
Com cinco giros para o fim, Fenati passou por fora na curva 12 para assumir o quarto posto, 0s134 atrás de Antonelli. Binder vinha em quinto, à frente de Bastianini.
 
No giro seguinte, Romano conseguiu passar Niccolò e assumiu o terceiro posto pela primeira vez na disputa alemã. Bastianini se instalou na quarta colocação, seguido por Binder, Navarro e Antonelli, que escapou ligeiramente da linha após ser bloqueado por Binder.
 
Na última curva, María Herrera tentou atacar Ana Carrasco por dentro, mas caiu e levou a titular da RBA junto.
 
Com dois giros para o fim, Fenati seguia defendendo o terceiro posto, à frente de Antonelli, Bastianini, Navarro e Binder.
 
Nos metros finais, Romano tinha Enea colado atrás e foi o piloto da Gresini quem recebeu a bandeirada na frente, por uma diferença de 0s023.
 

#GALERIA(5381,105506)

Moto3, GP da Alemanha, Sachsenring, corrida:

1 52 DANNY KENT ING KIEFER Honda 39:29.359  
2 7 ÉFREN VÁZQUEZ ESP KIEFER Honda + 7.554  
3 33 ENEA BASTIANINI ITA GRESINI Honda + 9.063  
4 5 ROMANO FENATI ITA VR46 KTM + 9.629  
5 23 NICCOLÒ ANTONELLI ITA ONGETTA Honda + 9.664  
6 9 JORGE NAVARRO ESP ESTRELLA GALICIA 0,0 Honda + 9.807  
7 41 BRAD BINDER RSA RED BULL KTM AJO + 9.837  
8 10 ALEXIS MASBOU FRA RTG Honda + 10.266  
9 55 ANDREA LOCATELLI ITA GRESINI Honda + 10.352  
10 31 NIKLAS AJO FIN RBA KTM + 11.558  
11 65 PHILIPP OETTL ALE SCHEDL GP KTM + 11.777  
12 88 JORGE MARTÍN ESP ASPAR Mahindra + 18.416  
13 98 KAREL HANIKA TCH RED BULL KTM AJO + 18.426  
14 84 JAKUB KORNFEIL TCH SEPANG KTM + 28.782  
15 95 JULES DANILO FRA ONGETTA Honda + 28.892  
16 11 LIVIO LOI BEL RW Kalex KTM + 28.958  
17 17 JOHN McPHEE ING RTG Honda + 29.218  
18 32 ISAAC VIÑALES ESP HUSQVARNA LAGLISSE + 29.478  
19 63 ZULFAHMI KHAIRUDDIN MAL SEPANG KTM + 29.750  
20 40 DARRYN BINDER RSA AMBROGIO Mahindra + 45.844  
21 16 ANDREA MIGNO ITA VR46 KTM + 46.658  
22 29 STEFANO MANZI ITA TEAM ITALIA Mahindra + 46.780  
23 2 REMY GARDNER AUS CIP Mahindra +46.840  
24 19 ALESSANDRO TONUCCI ITA AMBROGIO  Mahindra + 46.965  
25 12 MATTEO FERRARI ITA TEAM ITALIA Mahindra + 47.339  
26 91 GABRIEL RODRIGO ARG RBA KTM + 1:06.125  
27 45 JONAS GEITNER ALE FREUDENBERG KTM + 1:24.437  
  22 ANA CARRASCO ESP RBA KTM NC  
  6 MARÍA HERRERA ESP HUSQVARNA LAGLISSE NC  
  24 TATSUKI SUZUKI JAP CIP Mahindra NC  
  97 MAXIMILIAN KAPPLER ALE RTG Honda NC  
  20 FABIO QUARTARARO FRA ESTRELLA GALICIA 0,0 Honda NC  
  21 FRANCESCO BAGNAIA ITA ASPAR Mahindra NC  
  76 HIROKI ONO JAP KIEFER Honda NC  
             
POLE DANNY KENT ING KIEFER Honda 1:26.420 152.9 km/h
VOLTA MAIS RÁPIDA DANNY KENT ING KIEFER Honda 1:26.916 152.0 km/h
RECORDE BRAD BINDER RSA RED BULL KTM AJO 1:26.877 152.1 km/h
MELHOR VOLTA DANNY KENT ING KIEFER Honda 1:26.174 153.3 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA SECA   ar: 25ºC | pista: 32ºC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube