MotoGP

KTM confirma contratação de Pedrosa como piloto de testes na MotoGP em contrato de dois anos

A KTM buscou a experiência de Dani Pedrosa para impulsionar o desenvolver do programa na MotoGP. O espanhol assume a condição de piloto reserva por dois anos na fábrica austríaca após 13 temporadas como titular da Honda

Warm Up / Redação GP, de Berlim
Dani Pedrosa não estava mentindo quando disse que teria uma moto em 2019. A KTM anunciou nesta sexta-feira (26) que Pedrosa, que já havia confirmado o fim de sua passagem pela MotoGP como titular, assume a função de piloto de testes nas próximas duas temporadas.
 
A mudança de horizonte de Pedrosa já era ventilada pela imprensa europeia, mas teimava em não ser anunciada oficialmente. Nos bastidores, o patrocínio da Red Bull ao espanhol foi chave para fechar o acordo. Pedrosa, assim, se une a Mika Kallio na missão de desenvolver a moto e ajudar a fábrica austríaca a ganhar força na MotoGP.
Dani Pedrosa finalmente definiu o futuro (Foto: Divulgação/MotoGP)
“Ter um piloto com a habilidade e experiência do Dani [Pedrosa] no nosso projeto de MotoGP é outro forte sinal de que estamos na direção certa e tentando nosso melhor”, disse Pit Beirer, diretor de esporte a motor da KTM. “Nós vimos como a MotoGP está competitiva esse ano e como frações de segundo podem esconder verdadeiro progresso. Esperamos que as informações do Dani, assim como as do Mika Kallio, ajudem nossas duas equipes [KTM e Tech 3] a diminuir ainda mais a distância para os líderes. Sinto que podemos ficar muito otimistas a respeito de nossas possibilidades nas próximas temporadas”, seguiu.
 
Pedrosa chega à KTM com a experiência de 13 anos de MotoGP, todos eles com a equipe de fábrica da Honda. Foram 31 vitórias, mas o título teimou em não vir: de 2006 para cá, Dani conseguiu três vices e três terceiros lugares.