Lorenzo cita melhora na forma física, mas vê atuação em Misano “pior do que esperava”

14º no GP de San Marino e da Riviera de Rimini, Jorge Lorenzo afirmou que sua participação na corrida de domingo (15) foi pior do que o esperado. O espanhol esperava um atraso menor em relação ao vencedor Marc Márquez

Jorge Lorenzo saiu decepcionado do GP de San Marino e da Riviera de Rimini de domingo (15). 14º em Misano, o #99 considerou que a corrida foi “pior do que esperava”.
 
Misano foi a segunda corrida do #99 desde que voltou às pistas após uma ausência de quatro GPs. Apesar de ter sentido melhora em sua condição física, o espanhol de Palma de Maiorca ficou insatisfeito com a diferença de 47s em relação a Marc Márquez, que venceu a prova.
 
O #99 explicou que teve dificuldades com o calor e a menor aderência e considerou que pode ter escolhido os pneus errados.
Jorge Lorenzo (Foto: Repsol)
Paddockast #33
10 ANOS DE SECA BRASILEIRA NA F1

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

“Em Silverstone, eu esperava menos na corrida, ficamos surpresos por ter um ritmo mais rápido do que nos treinos. Desta vez, foi o contrário”, disse Lorenzo. “Nós esperávamos um pouco mais, ter um ritmo mais próximo do vencedor. Foi pior do que eu esperava”, seguiu.
 
“Infelizmente, com o calor e a falta de aderência depois da corrida da Moto2, eu tive muita dificuldade para parar a moto”, explicou. “Não sei se fiz a escolha correta com os pneus. Tive de frear muito mais cedo do que nos treinos, não consegui o ritmo que queria. Eu queria estar em 1min38s alto, mas nunca cheguei nisso. Eu estava ficando pior, pior e pior, e as motos na minha frente escaparam. 47s é mais do que eu esperava, mas mais perto do que em Silverstone”, considerou.
 
Depois de sofrer com dores em Silverstone, Lorenzo explicou que sentiu “muito menos” desconforto em Misano, mas não espera grandes melhoras para Aragão, no próximo fim de semana.
 
“Depois da corrida de Silverstone, eu fiquei muito dolorido, era difícil até andar. Agora, me sinto dolorido, mas melhor do que há três semanas. Na moto, eu podia forçar mais”, explicou. “Não vou ter uma melhora enorme em uma corrida. Vai ser uma melhora progressiva”, considerou.
 
“Espero estar mais forte em Aragão, e, especialmente, esse intervalo até a Tailândia vai me dar a oportunidade de me recuperar, então treinar mais na academia, levantar mais peso, ter mais potência nos músculos”, apontou. “Tomara que em Aragão eu possa estar perto dos 30s [de atraso], o que é a minha meta, antes de forçar mais minha condição física”, completou.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar