Lorenzo lista rivais “difíceis de bater” e admite: “Não sei se estarei pronto para lutar pelo título em 2019”

Às vésperas da estreia pela Honda, Jorge Lorenzo admitiu que não sabe se estará pronto para disputar o título da MotoGP já em 2019. O #99 considerou a experiência dos rivais com suas motos atuais e avaliou que o número menor de testes pode dificultar sua adaptação à RC213V

Jorge Lorenzo admitiu que não sabe se poderá brigar pelo título da MotoGP já em 2019. O espanhol citou a experiência dos rivais e ressaltou que o menor número de testes pode atrapalhar sua adaptação à RC213V.
 
Depois de duas temporadas com a Ducati, Lorenzo vai debutar com a Honda em 2019, assumindo a vaga que era ocupada por Dani Pedrosa desde 2003. Apesar de já ter mostrado evolução a bordo do protótipo da asa dourada, o #99 segue cauteloso em relação ao seu desempenho.

Jorge Lorenzo admitiu que não sabe se poderá brigar pelo título em 2019 (Foto: Markus Berger/Red Bull Content Pool)

“Não sei se estarei pronto para lutar pelo título desde a primeira temporada na Honda”, admitiu Lorenzo. “Com certeza, vou tentar ser o mais preparado para a primeira corrida no Catar, mas não é simples assim, e ainda mais agora, que só temos três ou quatro testes antes do início da temporada”, seguiu.

 
“Você tem de lutar contra Marc Márquez, que é um piloto muito bom e que estará no sexto ou sétimo ano com a mesma moto. É muito complicado. E não só ele. Tenho de lutar com Andrea Dovizioso, que está no sétimo ano com a Ducati, e Valentino Rossi, que tem mais de dez anos com a Yamaha”, listou. “Então têm muitos pilotos com muita experiência com suas próprias motos que serão muito difíceis de bater. Não sei se estarei pronto”, concluiu.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube