Marini aparece no fim e lidera primeiro dia de treinos do GP de Portugal da Moto2

Surgindo no final, o italiano anotou 1min42s941 no último giro para pontear a tabela. Sam Lowes e Lorenzo Baldassarri completaram o rol dos três mais velozes do dia em Portimão

Luca Marini fechou o primeiro dia de atividades da Moto2 em Portugal na frente. Nesta sexta-feira (20), o inglês anotou 1min42s941 nos treinos combinados e terminou a estreia em Portimão como o mais rápido.

O competidor da VR46 fez sua marca no giro final da sessão e saiu na frente na briga pelo título da classe intermediária. Também na disputa pelo caneco, Sam Lowes foi apenas 0s182 mais lento e ficou com o segundo posto.

Luca Marini, MotoGP 2020, GP da Catalunha
Marini foi o mais rápido da sexta-feira (Foto: Reprodução)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Quem anotou o terceiro melhor marco do dia no circuito luso do Lorenzo Baldassarri. Enea Remy Garnder foi o quarto mais rápido do dia, com Enea Bastianini, líder da classificação, completou o rol dos cinco mais velozes.

Quem também está na briga pelo caneco é Marco Bezzecchi. O vice da tabela fechou a sexta-feira no nono posto, ao anotar 1min43s402, 0s461 mais lento que Marini.

Na abertura das atividades da Moto2 em Portimão, Augusto Fernández foi o primeiro a saltar para a ponta, mas o espanhol logo foi jogado para baixo com os pilotos completando os primeiros giros rápidos.

Com 1min46s933, Arón Canet se estabeleceu no primeiro posto, com Fernández em segundo. Logo na sequência vinha Marco Ramírez, Xavi Vierge e Fabio Di Giannantonio completando os cinco primeiros.

Com o andamento da sessão, que conta com dez minutos a mais do que nos finais de semana comuns, o espanhol da Marc VDS voltou para a primeira posição ao fazer 1min45s074. Neste ponto do treino, os primeiros 19 pilotos estavam dentro do mesmo segundo.

Entre os postulantes do título, com 30 minutos para o encerramento do treino, Enea Bastianini vinha no sexto posto, enquanto Luca Marini vinha imediatamente atrás, em sétimo. Marco Bezzecchi aparecia em 12º, com Sam Lowes sendo apenas o 20º.

Após os pilotos voltarem à pista das paradas programadas, Marcel Schrötter protagonizou uma queda na curva 3. O piloto bateu com força no chão e apesar de se levantar rapidamente, mostrou sentir dor no punho.

No encerramento do primeiro treino luso, Marco Ramírez deu um salto no cronômetro zerado e com 1min43s740, fechou a manhã na frente. Di Giannantonio veio logo na sequência, com Marini, Remy Gardner e Bezzecchi fechando os cinco primeiros.

O cronômetro começou a rodar para a parte da tarde e ainda nos primeiros minutos Jorge Martín teve um revés. Pouco depois de deixar os boxes, a moto do espanhol apresentou problemas, o obrigando a ir para a área de escape do circuito.

Com os primeiros giros feitos, Marini era quem puxava os tempos na tabela com 1min43s980. O italiano era seguido por Canet, Fernández, Nagashima e Bezzecchi, separados por 0s631 nos cinco primeiros postos.

Nos tempos combinados da parte manhã e tarde, Sam Lowes saltou como o mais rápido ao virar 1min43s728. Ramírez, Di Giannantonio, Marini, Gardner, Fernández, Bezzecchi, Canet, Somkiat Chantra e Nicolò Bulega completavam o top-10. Neste ponto, os pilotos foram aos boxes.

A sessão caminhava para o final e entre os postulantes ao título, Marini ainda era quem estava melhor colocado. Saltando para segundo, Lowes vinha na sequência, com Bastianini sendo o décimo e Bezzecchi apenas o 17º.

Com o fim da sessão, o irmão mais novo de Valentino Rossi voou em seu último giro rápido, anotou 1min42s941 e terminou o dia na frente. Lowes e Baldassarri vieram na sequência do italiano e fecharam o top-3.

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:
Anchor | Apple | Spotify | Google | Pocket Cast | Radio Public | Breaker

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube