MotoGP

Márquez bate Dovizioso na última curva, vence na estreia da Tailândia e se aproxima do penta na MotoGP

Marc Márquez deu o bote para cima de Andrea Dovizioso na última curva do GP da Tailândia para vencer pela sétima vez em 2018 e se aproximar mais um pouquinho do pentacampeonato da MotoGP. Maverick Viñales superou Valentino Rossi e ficou com o terceiro posto
Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
 Marc Márquez (Foto: Repsol)
No idioma tailandês, Buri Ram significa ‘cidade da felicidade’ e foi isso mesmo que a província localizada 400 km ao nordeste da capital Bangcoc representou para a Honda neste domingo (7). Na última das 26 voltas em Chang, Marc Márquez deu o bote para cima de Andrea Dovizioso na curva 12, a última, e conquistou sua sétima vitória em 2018.
 
Aproveitando que a Yamaha ‘deu match’ com o traçado de Chang, Valentino Rossi aproveitou a quinta volta para tomar a ponta de Márquez e por lá ficou até o 11º giro, quando foi superado de uma vez só por Dovizioso e Marc, que aproveitaram a força do motor e/ou o vácuo para rebaixar o italiano ao terceiro posto. 
 
Nas altas temperaturas tailandesas, com o asfalto superando os 50°C desde o início da tarde, os pilotos tinham de se preocupar também em poupar equipamento, já que o desgaste dos pneus seria chave para as voltas finais. Assim, a movimentação só ficou mais intensa na metade final da disputa.
Marc Márquez está ainda mais perto do penta da MotoGP (Foto: Michelin)
A primeira ação dentro do top-5 veio de Viñales, que tomou o quarto posto de Cal Crutchlow. Na sequência, Dani Pedrosa, que tinha acabado de abrir caminho passando por Álex Rins, também superou o piloto da LCR. Neste ponto, porém, os três ponteiros já tinham um respiro de cerca de 0s7 em relação aos demais.
 
Enquanto Pedrosa abandonou a disputa com uma queda na curva cinco, Viñales subiu o passo para chegar em Rossi e, com sete giros para o fim, tomar o terceiro posto do companheiro de Yamaha.
 
Com cinco voltas para o fim, a disputa entre Márquez e Dovizioso ficou mais divertida, com o italiano sempre encontrando maneiras de reagir aos ataques do #93.  Na volta final, porém, Marc achou espaço na curva 12 e assumiu a ponta, recebendo a bandeirada 0s115 antes do rival da Ducati.
 
Viñales até tentou entrar na briga pela ponta, mas nem chegou a assustar e acabou em terceiro, 1s2 à frente de Rossi, que errou nos metros finais tentando chegar no companheiro de equipe.
 
Johann Zarco também tirou proveito da melhora da Yamaha e ficou com o quinto posto, à frente de Rins e Crutchlow. Confirmando mais um bom fim de semana, Álvaro Bautista foi o oitavo, com Danilo Petrucci e Jack Miller completando o top-10.
 
Saiba como foi o GP da Tailândia de MotoGP:
Assim como aconteceu nos dois dias anteriores, a ‘estação fria’ não se fez notar em Buriram. Quando a MotoGP entrou na pista, o sol reinava absoluto, elevando a temperatura para 32°C, com o asfalto alcançando a marca de 51°C. 
 
Pela 50ª vez na classe rainha, Marc Márquez tinha a pole-position, o que faz dele apenas o terceiro piloto a acumular cinco dezenas de poles, atrás apenas do recordista Mick Doohan (58) e de Valentino Rossi,
 
O #46, aliás, tinha o segundo posto na grelha, seu melhor resultado desde a etapa de Brno e a quarta vez no ano que o italiano sai na primeira fila. Andrea Dovizioso vinha na sequência, na segunda primeira fila seguida da Ducati.
 
Em seu melhor desempenho desde Misano, Maverick Viñales tinha o quarto posto, à frente de Cal Crutchlow e Andrea Iannone. No top-8 apenas pela segunda vez no ano, Dani Pedrosa era o sétimo no grid, escoltado por Johann Zarco e Danilo Petrucci.
 
Para este fim de semana, a Michelin preparou uma alocação especial. Além dos tradicionais dianteiros macios, médios e duros, a fábrica francesa levou um pneu traseiro extra, preparado especialmente para Buriram. Assim, os pilotos podiam escolher entre macios, dois tipos de médios e duros, todos em versão assimétrica, com a borracha mais dura depositada do lado direito.
 
Nas escolhas dos pneus, todos os pilotos optaram por pneu duro traseiro, com exceção de Aleix Espargaró, que foi com o macio. Na borracha dianteira, quase todos do grid também optaram por duro, menos Zarco, Bautista, Iannone, Miller e Torres, que foram de médio.
 
 Com as luzes apagadas na Tailândia, Márquez conseguiu manter a ponta do pelotão, com Rossi se segurando na segunda colocação e segurando o ímpeto de Crutchlow. Mas logo Dovizioso superou o inglês para aparecer em terceiro.
 
O #46 vinha mostrando que estava determinado a vencer a prova em Buriram. Perto do final da primeira volta, o italiano deu o primeiro bote em cima do espanhol nas não conseguiu consumar a ultrapassagem.
 
No final do primeiro giro, a ordem era Márquez, Rossi, Dovizioso, Crutchlow, Viñales, Zarco, Miller, Iannone, Petrucci e Rins.
 
O titular da Honda vinha apresentando grande ritmo e começava, aos poucos, a abrir um respiro na ponta. Com 22 giros para o fim, sustentava 0s252 na ponta do pelotão. Enquanto isso, com 1min31s492, Dovizioso anotou o novo recorde da pista.
 
Mas poucos metros mais a frente, enfim Valentino consumiu a ultrapassagem em cima de Marc. O italiano foi sutil no momento de tomar a ponta do pelotão.
 
E Márquez seguia perdendo posições no pelotão. Agora, foi a vez do italiano da Ducati a conseguir, sem grandes problemas, a abocanhar a colocação do espanhol, aparecendo agora em terceiro. Crutchlow e Viñales completavam o top-5.

Com 19 giros para a bandeira quadriculada tremular em Buriram, Valentino sustentava uma vantagem pouco mais de 0s2 para Dovizioso. Márquez, Crutchlow, Viñales, Zarco, Miller, Rins, Pedrosa e Petrucci vinham logo atrás.
 
Dovizioso então começou a se aproximar de forma ameaçadora de Rossi. Quase zerando a distância para o ponteiro, o #4 começou a caçada ao titular da Yamaha. Quem veio junto foi Márquez.
 
Sem muito que poder fazer, Rossi viu Dovizioso e Márquez o ultrapassarem de uma vez, caindo para a terceira colocação. Agora era Crutchlow quem começava a perseguir o italiano.
 
A ponta do pelotão tinha duas brigas distintas. A primeira era de Marc, que dava incansáveis investidas em cima de Dovizioso pela liderança da corrida. A segunda era a de Crutchlow e Rossi, com o inglês tentando assumir o degrau mais baixo do pódio.
 
Na reta final da disputa na Tailândia, a ordem era Dovizioso na ponta, com Márquez em segundo e Rossi completando o pódio. Crutchlow, Viñales, Pedrosa, Rins, Zarco, Miller e Petrucci em seguida.

Perto do fim, Pedrosa, que vinha apresentando um desempenho regular no final de semana, acabou sofrendo uma queda na curva 5. Escorregando sozinho, o espanhol foi ao chão e terminou precocemente a corrida.
 
Agora foi a vez de Viñales a consumar a ultrapassagem em cima de Rossi. Sem grandes problemas, o espanhol ultrapassou o companheiro de Yamaha, beliscando o degrau mais baixo do pódio.
 
Com seis voltas para o fim, Márquez enfim encostou em Dovizioso. Enquanto isso, Viñales também começou a se aproximar da dupla ponteira.
 
Perto do fim, Andrea e Marc começaram a briga que já estão tão acostumados. O espanhol tomou a ponta do pelotão com quatro giros para o fim, mas o italiano deu o troco de modo perfeito reassumindo a liderança na curva seguinte.

Márquez e Dovizioso começaram a trocar de posições na ponta. Ora era Andrea na frente, ora era Márquez, mas o titular da Ducati estava determinado a vencer. Nessa, Maverick também acabou se aproximando da dupla.
 
Márquez, então, deu um bote certeiro para reassumir a primeira colocação. Entretanto, na abertura da última volta, Dovizioso retomou o primeiro posto, enquanto Viñales fazia o possível para acompanhar os ponteiros.
 
O titular da Honda foi mais uma vez, mergulhou e retomou a ponta do pelotão. O titular da Ducati tentou retomar a primeira posição e os pilotos quase se tocaram, mas sem conseguir consumar a ultrapassagem. Na última curva, Dovizioso passou, mas tomou um lindo troco e Marc garantiu mais uma incrível vitória.
 
A importante vitória do piloto espanhol garantiu que ele possa fechar o campeonato em Motegi. Dovizioso foi o segundo, com Viñales completando o pódio em Buriram. Em ótimo resultado, Rossi foi quarto, com Zarco cravando o top-5.

MotoGP 2018, GP da Tailândia, Buriram, Final:

1 M MÁRQUEZ Honda 39:55.722 26 voltas
2 A DOVIZIOSO Ducati +0.115  
3 M VIÑALES Yamaha +0.270  
4 V ROSSI Yamaha +1.564  
5 J ZARCO Tech3 Yamaha +2.747  
6 A RINS Suzuki +3.023  
7 C CRUTCHLOW LCR Honda +6.520  
8 A BAUTISTA Ángel Nieto Ducati +6.691  
9 D PETRUCCI Pramac Ducati +9.944  
10 J MILLER Pramac Ducati +11.077  
11 A IANNONE Suzuki +15.488  
12 H SYAHRIN Tech3 Yamaha +17.691  
13 A ESPARGARÓ Aprilia Gresini +21.413  
14 F MORBIDELLI Marc VDS Honda +22.802  
15 B SMITH KTM +23.628  
16 S REDDING Aprilia Gresini +23.804  
17 K ABRAHAM Ángel Nieto Ducati +32.507  
18 X SIMEÓN Avintia Ducati +37.216  
19 J TORRES Avintia Ducati +39.204  
20 T LÜTHI Marc VDS Honda +39.421  
21 P ESPARGARÓ KTM +53.388  
22 T NAKAGAMI LCR Honda +2 voltas  
  D PEDROSA Honda NC  
         
REC M MÁRQUEZ Honda 1:30.031 182.0 km/h
MV M MÁRQUEZ Honda 1:30.031 182.0 km/h
         
  Condições do tempo PISTA SECA   ar: 32ºC | pista: 49ºC