Márquez bate Lorenzo, vence em Aragão e abre vantagem na liderança da MotoGP. Valente, Rossi é quinto

Jorge Lorenzo fez o que pôde, mas não foi páreo para a dupla da Honda. Pela quinta vez no ano, Marc Márquez venceu e voltou a abrir vantagem na classificação do Mundial. Dani Pedrosa também bateu o espanhol da Ducati e formou a dobradinha da Honda. 24 dias após fraturar a perna direita, Valentino Rossi conseguiu o quinto lugar

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Marc Márquez deixou para trás o revés da classificação e deu um importante golpe na luta pelo título de 2017. Neste domingo (24), o #93 mostrou um empenho extra e, superando erros aqui e ali, bateu Jorge Lorenzo para conquistar o quinto triunfo no ano e ampliar sua margem na liderança da MotoGP.
 
Segundo no grid, Lorenzo assumiu a ponta ainda nos primeiros metros e deixou o topo da tabela pela primeira vez na oitava volta em um ataque duplo de Márquez, que escapou da trajetória caiu para a quarta colocação. 
Marc Márquez conquistou sua quinta vitória no ano (Foto: Michelin)
A classificação do Mundial de Motovelocidade após o GP de Aragão

O #93, então, remou novamente e, na 12ª volta, passou Valentino Rossi para se instalar na segunda colocação. Dono no melhor ritmo na pista de Teruel, Marc não tardou a cortar a vantagem de Lorenzo e, no 16º giro, usou a curva 16 para assumir a ponta. Uma vez no comando da disputa, o piloto de Cervera não deu chances aos rivais e disparou na ponta até receber a bandeirada com 0s879 de vantagem.

 
Com um início de prova mais discreto, Dani Pedrosa ganhou força na metade final da disputa e tratou de escalar o pelotão até bater Lorenzo nos giros finais e garantir a dobradinha da Honda.
 
Lorenzo, então, teve de se conformar com o terceiro posto, à frente de Maverick Viñales, que teve de suar para se recuperar de um erro ainda no início da corrida.
 
24 dias após quebrar a perna direita, Rossi fez uma prova para lá de valente. O #46 rodou em segundo boa parte da corrida, mas perdeu ritmo aos poucos e acabou em quinto, 1s080 à frente de Aleix Espargaró, que repete seu melhor resultado com a Aprilia.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Vice-líder do Mundial, Andrea Dovizioso foi quem mais saiu no prejuízo. Sem conseguir um ritmo igual ao do companheiro de Ducati, o italiano ficou pelo caminho até receber a bandeirada em sétimo, à frente de Álvaro Bautista. Johann Zarco ficou em nono, com Pol Espargaró completando o top-10 3s117 à frente de Mika Kallio, o piloto de testes da KTM.
Com esta quinta vitória da temporada, Márquez chegou aos 224 pontos e abriu 16 de vantagem para Dovizioso. Terceiro, Viñales agora tem 28 de atraso para o líder, com Pedrosa superando o lesionado Rossi para ocupar a quarta colocação.
 
Saiba como foi o GP de Aragão da MotoGP:
 
A previsão de sol se confirmou e os pilotos encontraram condições ideais para esta 14ª etapa da temporada. Na hora da largada, os termômetros mediam 26°C, com o asfalto chegando a 39°C. A velocidade do vento era de 2 km/h.
 
Pela quinta vez no ano, a pole-position era de Maverick Viñales, seguido por Jorge Lorenzo e Valentino Rossi. É a primeira vez desde a etapa de Mugello que os dois pilotos da Yamaha estão na primeira fila.
 
Cal Crutchlow vez na sequência, à frente de Marc Márquez, que ficou fora da pole em Aragão pela primeira vez desde que subiu para a MotoGP. Dani Pedrosa aparece em seguida, a frente de Andrea Dovizioso. 12º no grid, Mika Kallio foi 0s836 mais lento que o tempo da pole a classificação, o que representa o top-12 mais apertado de 2017.
 
Neste domingo, a Michelin levou para o circuito de Teruel sua opção tradicional de pneus, com dianteiros e traseiros macios, médios e duros. Em caso de chuva, os pilotos teriam de optar entre os dianteiros macios e médios e os traseiros extramacios e macios.
 
Depois de um fim de semana onde foi difícil avaliar todos os pneus, a escolha era especialmente complicada. No grid, por exemplo, a equipe de Rossi correu para uma troca de última hora.
 
Na primeira fila, as Yamaha optaram por médio na frente e duro atrás, com Lorenzo optando pelo macio atrás. Márquez foi com um par de duros, com Pedrosa com um par de médios.
 
Na hora da largada, as mais de 70 mil pessoas que encheram o traçado de Alcañiz viram Lorenzo saltar bem e assumir a ponta, à frente de Viñales, Rossi, Dovizioso, Crutchlow e Márquez. O #46 deu uma balançada na saída, mas conseguiu se manter em terceiro.
 
Mais atrás, Márquez logo reagiu ao ataque de Crutchlow e retomou o quinto posto. Ainda no primeiro giro, Rossi passou Viñales e partiu em busca de Lorenzo, que já estava 0s7 à frente;
 

Depois de ser superado por Valentino, Viñales errou e foi ultrapassado por Dovizioso e Márquez, caindo para quinto, à frente de Pedrosa. Piloto de testes da KTM, Mika Kallio vinha em oitavo.
 
Rodando ligeiramente mais rápido, Rossi reduziu um pouco da margem de Lorenzo, que caiu para 0s600. O italiano, aliás, cravou em 1min49s334 a melhor volta da disputa.
 
Enquanto isso, Márquez ia pressionando Dovizioso pelo terceiro posto, enquanto Viñales ia ficando mais e mais pelo caminho.
 
Na terceira volta, a vantagem de Lorenzo em relação a Rossi foi para 0s4. Terceiro, Dovizioso tinha 0s6 de atraso para o #46.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Trocando voltas mais rápidas, Dovizioso e Márquez foram ficando juntinhos, enquanto o #4 também reduzia a vantagem de Rossi, que igualmente se aproximava de Lorenzo. O maior atraso era o de Viñales, que tinha cedido 1s9 de vantagem para Marc, mas tinha Pedrosa apenas 0s3 atrás.
Na quinta volta, Rossi já tinha 0s26 de atraso para Lorenzo, mas estava com Dovizioso apenas 0s4 atrás. Márquez também vinha no bolo, com Viñales ligeiramente mais afastado apesar de ter feito sua melhor volta na corrida.
 
No fim do giro, Márquez colou de vez em Dovizioso, mas o italiano conseguiu se manter na frente, puxando a caçada aos ponteiros. Atrás, Viñales registrava uma volta rápida após a outra, mas ainda sem impressionar na aproximação com os demais. Pedrosa e Crutchlow vinham por perto, com Aleix ligeiramente mais atrás.
 
Ainda neste início de prova, Karel Abraham caiu na curva oito, mas não se feriu e voltou para a prova.
 
No fim do sexto giro, Márquez conseguiu passar Dovizioso, já 0s5 atrás de Rossi, que tinha 0s1 de atraso para o líder Lorenzo. 
 
A diferença entre Rossi e Márquez caiu rapidamente, mas voltou a subir com uma errada do espanhol, que escapou da trajetória e viu Dovizioso encostar mais uma vez. 
 
Assim como Rossi voltou a colar em Lorenzo na abertura da nona volta, Márquez também colou no italiano, mas ainda sem se livrar de Dovizioso. Viñales ia reduzindo o atraso, mas ainda estava bastante longe: 1s7.
 
Márquez, então, lançou seu ataque na curva 12 e passou Rossi e Lorenzo numa tacada só, mas uma freada tão tardia mandou o espanhol para a área de escape. De volta ao traçado, o #93 teve de ceder a posição para Dovizioso, já que tinha ganhou uma vantagem irregular.
 
Enquanto isso, Lorenzo se manteve na ponta, agora com 0s350 de margem para Rossi. Dovizioso tinha 0s5 de atraso para o conterrâneo, com Márquez 0s2 atrás. Viñales vinha na sequência, à frente de Crutchlow, Aleix, Bautista e Kallio.

Na parte final da décima volta, Márquez passou o Dovizioso e voltou ao terceiro posto, já 0s67 atrás de Rossi. Mais atrás, Crutchlow despencou para a décima posição.

 
Aos poucos, Rossi foi perdendo contato com Lorenzo e vendo Márquez se aproximar. No fim da 12ª volta, o #93 conseguiu passar o piloto da Yamaha na 16 e assumiu a ponta já com 0s7 de atraso para o líder. Quarto, Dovizioso vinha 0s1 atrás de Valentino.
 
Aliás, Maverick errou mais uma vez e viu Pedrosa avançar para o quinto posto, apenas 0s7 atrás de Pedrosa. Aleix era o sétimo, seguido por Bautista, Kallio e Zarco.
 
Sem muita demora e com o melhor ritmo da prova, Márquez logo cortou a diferença de Lorenzo e entrou firme na briga pelo título. Rossi cedeu 1s ao espanhol, mas viu Dovizioso ficar um pouco mais atrás também, pressionado por Pedrosa.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Andrea, porém, se recompôs rápido e colou em Rossi, que não conseguia acompanhar o ritmo imposto por Márquez para manter contato.
 
Sem atacar, Dovizioso acabou atacado. No fim da volta 15, Pedrosa passou o piloto da Ducati e assumiu o quarto posto, passando a pressionar Rossi. Na frente, Márquez tentava quebrar a resistência de Lorenzo.
 
Em meados da 16ª volta, Márquez, enfim, encontrou um ponto para passar Lorenzo e, mesmo abrindo a trajetória, conseguiu bater o rival da Ducati pela ponta. Puco depois, Pedrosa passou Rossi e assumiu o terceiro posto.
Uma vez na ponta, Márquez disparou e logo abriu 0s7 de vantagem para Lorenzo. Mais de 1s atrás, Pedrosa era o terceiro, ainda próximo de Rossi, que tampouco tinha se livrado da sombra de Dovizioso. Viñales, Aleix e Bautista vinham por perto.
 
Com seis giros para o fim, Crutchlow caiu e abandonou a disputa em Aragão.
 
No fim da 18ª volta, Viñales passou Dovizioso e assumiu quinto posto, passando a liderar a caçada ao companheiro de Yamaha. 
 
No topo da tabela, Márquez viu Lorenzo descontar um pouquinho de sua vantagem, mas com Pedrosa chegando mais e mais junto. Viñales, então, fez uma tentativa parra cima de Rossi, mas o italiano conseguiu trancar a porta na cara do espanhol.
 
Na 19ª passagem, Pedrosa cravou a melhor volta da corrida em 1min49s140, colando mais e mais em Lorenzo, que deixou Márquez escapar mais uma vez. 
 
Com três giros para o fim, Viñales conseguiu passar Rossi e assumir o quarto posto, à frente de Aleix, que tinha o sexto lugar.
 
Na sequência, Pedrosa conseguiu passar Lorenzo para assumir o segundo posto, formando uma dobradinha da Honda. 
 

#GALERIA(7196)

MotoGP, GP de Aragão, MotorLand, Corrida:

1 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 42:06.816
2 26 DANI PEDROSA ESP HONDA +0.879
3 99 JORGE LORENZO ESP DUCATI +2.028
4 25 MAVERICK VIÑALES ESP YAMAHA +5.256
5 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA +5.882
6 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP APRILIA +6.962
7 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA DUCATI +7.455
8 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP ASPAR DUCATI +7.910
9 5 JOHANN ZARCO FRA TECH3 YAMAHA +13.002
10 44 POL ESPARGARÓ ESP KTM +14.075
11 36 MIKA KALLIO FIN KTM +17.192
12 29 ANDREA IANNONE ITA SUZUKI +20.632
13 43 JACK MILLER AUS MARC VDS HONDA +23.886
14 45 SCOTT REDDING ING PRAMAC DUCATI +25.523
15 53 TITO RABAT ESP MARC VDS HONDA +26.082
16 94 JONAS FOLGER ALE TECH3 YAMAHA +30.302
17 42 ÁLEX RINS ESP SUZUKI +31.874
18 8 HECTOR BARBERÁ ESP AVINTIA DUCATI +31.948
19 38 BRADLEY SMITH ING KTM +36.296
20 9 DANILO PETRUCCI ITA DUCATI +37.842
21 76 LORIS BAZ ESP AVINTIA DUCATI +47.599
22 22 SAM LOWES ING APRILIA +47.647
  35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA NC
  17 KAREL ABRAHAM RTC ASPAR DUCATI NC
             
POLE MAVERICK VIÑALES ESP YAMAHA 1:47.635 169.8  km/h
VOLTA MAIS RÁPIDA DANI PEDROSA ESP HONDA 1:49.140 167.4 km/h
RECORDE JORGE LORENZO ESP YAMAHA 1:48.120 169.0 km/h
MELHOR VOLTA MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:46.635 171.4 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA SECA   ar: 27ºC | pista: 40ºC

’SOLDADINHO’ DA PENSKE?

CASTRONEVES TEM FALTA DE TÍTULO COMO MANCHA NA CARREIRA  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube