Márquez diz que “não faria nada diferente” se pudesse voltar ao GP da Argentina, mas admite aprendizado: “Gestão de corrida”

Em uma coletiva de imprensa em São Paulo, Marc Márquez afirmou que não faria nada diferente do que fez no GP da Argentina. O espanhol lembrou que incidentes de corrida podem acontecer, mas admitiu que aprendeu sobre gestão de corrida em Termas de Río Hondo

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;


Marc Márquez mal teve tempo de respirar antes de voltar a encontrar com a imprensa após o polêmico GP da Argentina. Nesta terça-feira (10), o #93 esteve em São Paulo para um evento promovido pela Estrella Galicia e pela Honda, e não escapou de falar sobre a corrida do último domingo.
 
O piloto da Honda voltar a dizer que o incidente com Valentino Rossi foi resultado de um ponto molhado na pista, mas afirmou que não faria nada diferente do que fez se pudesse voltar no tempo.
Marc Márquez derruba Valentino Rossi durante GP da Argentina de MotoGP (Foto: AFP)
“Se eu faria algo diferente? Não, pois, naquele momento, eu sentia assim e era o que eu tinha de fazer. Era uma corrida para remontar e tentar dar 100%”, disse Márquez. “Talvez eu fizesse diferente, não porque eu sentia isso, mas na largada, pois não soube parar a moto, mas tampouco foi bom para mim que a moto tenha parado, porque foi ali que começou tudo”, apontou. 
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;

google_ad_slot = “2258117790”;

google_ad_width = 300;

google_ad_height = 600;

“E eu digo, aconteceu com muitos pilotos na corrida, também aconteceu com [Johann] Zarco e [Dani] Pedrosa na mesma curva ― onde acabou um piloto lesionado. São lances de corrida e o importante para qualquer humano, para qualquer piloto, é aprender e saber reconhecer quando faz algo errado ou quando algo sai errado e quando sai bem”, defendeu. “Eu soube reconhecer no momento, fui penalizado por isso, fui castigado, e soube reconhecer e pedir perdão ao outro piloto”, continuou. 
 
“Nós somos companheiros, e essas coisas acontecem. Meu irmão, por exemplo, na corrida foi passado por outro piloto que o colocou para fora da pista, mas isso é o motociclismo e essas coisas acontecem, mas existem limites. Quando você o ultrapassa, você é castigado, como eu fui”, lembrou. “A carreira esportiva de todos os pilotos foi assim, eles tiveram situações deste tipo durante toda a carreira. E todos os pilotos, uma vez ou outra, tiveram de ir pedir desculpas a outro companheiro”, recordou.
 
Questionado pelo GRANDE PRÊMIO sobre o que aprendeu com o GP da Argentina, Márquez respondeu: “Você aprende muitas coisas, sobretudo a gestão da carreira. Você tem de dar 100%, mas tem de saber entender como está o asfalto neste momento”. 
 
“Talvez, em outras condições, as ultrapassagens sejam fáceis, podem ser feitas, mas com as condições difíceis do asfalto, é muito mais difícil de fazer. Talvez eu tenha aprendido mais isso”, ponderou. “A entrega é boa, mas também é preciso saber entender as condições do asfalto. Durante uma corrida, tem muitas dificuldades para um piloto: você supera uma, depois vem outra, e outra, e outra, pois isso é como uma bola, e, é cada vez mais difícil, mas isso também é experiência para o futuro”, completou.
 
CEDO DEMAIS?

ALONSO ENTRA NO ‘MODO EMPOLGOU’ ANTES DO TEMPO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube