Márquez fala em 2016 de aprendizado e muita pressão e justifica: “Nenhum atleta pode se permitir ter dois anos ruins”

Marc Márquez afirmou que 2016 foi um ano de muita pressão após os erros e confusões da temporada passada. Espanhol ponderou que nenhum atleta pode se permitir dois anos ruins em sequência

 

Marc Márquez vê a temporada 2016 da MotoGP como um ano de muita pressão. Agora tricampeão da classe rainha do Mundial de Motovelocidade, o #93 conseguiu driblar as fraquezas da Honda e superou Valentino Rossi e Jorge Lorenzo para faturar o título ainda no GP do Japão, com três etapas de antecedência.

 
Para conseguir uma nova placa na Torre dos Campeões, entretanto, Marc teve de apresentar ao mundo uma nova versão. O jovem de Cervera colocou de lado o piloto impulsivo, ‘tudo ou nada’, e passou a ser mais cauteloso, optando pela regularidade ao invés de lutar sempre pela vitória.
 
Em entrevista ao programa ‘El Hormiguero’, da emissora espanhola Antena 3, Marc admitiu sua preferência por ganhar o título na última corrida do ano, mas reconheceu que a conquista antecipada de 2016 foi um alívio.
Marc Márquez contou que tirou lições importantes de 2015 (Foto: Honda)

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

“O desejo é ganhar o campeonato na última corrida, na adrenalina, mas, desta vez, eu pensei: ‘Menos mal’”, contou. “Passei um ano ruim, com erros, precisava reagir e não foi fácil. Este ano eu sentia muita pressão, porque nenhum atleta pode se permitir ter dois anos ruins. No próximo ano já partimos com uma base boa e temos essa tranquilidade”, ponderou.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Ainda, Márquez explicou que 2015 deixou lições importantes, especialmente em relação a sua maneira de ver as corridas.
 
“Eu aprendi que você pode perder o título no começo da temporada, mas não pode ganhar”, contou. “Você tem de se manter vivo, porque se você perde pontos, tem de arriscar, e quem está na frente, pode apenas controlar as coisas”, ponderou.
 
“Eu não entendia isso até dar com a cara no muro e ver que era assim”, reconheceu. 
 
O #93 também foi claro na hora de resumir a mudança pela qual passou desde sua entrada na MotoGP: “Em uma só corrida, o Márquez de três anos atrás era topo do pódio ou enfermaria. O de agora pode ser conformar com um quarto ou quinto”.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube