Morbidelli bate Pasini em duelo eletrizante, vence em Aragão e volta a abrir vantagem na liderança da Moto2

Franco Morbidelli travou um duro duelo com Mattia Pasini, mas garantiu sua oitava vitória na temporada ao deixar o rival da Italtrans de vez para trás na volta final. Miguel Oliveira ficou como terceiro posto, à frente de Tom Lüthi, que voltou a ceder terreno na disputa pelo título

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Michael Bartholemy foi solenemente ignorado por Franco Morbidelli. O chefe da Marc VDS pediu que o #21 pensasse no título e não se arriscasse demais em busca da vitória, mas o italiano decidiu arriscar em um confronto com Mattia Pasini neste domingo (24) e conquistou em Aragão seu oitavo triunfo no ano.
 
O líder do Mundial começou a prova mostrando força e, depois de assumir a liderança ainda nos primeiros metros, disparou na ponta para abrir cerca de 1s7 de margem. Na 14ª volta, porém, Morbidelli não conseguiu conter mais as investidas de Pasini, que passou no fim da reta oposta. 
 
Alguns giros depois, Morbidelli conseguiu retomar o comando na 18ª volta, mas levou o troco de Pasini pouco depois. Os dois seguiram se revezando na ponta até que, na última volta, o #21 lançou mão de um golpe decisivo para receber a bandeirada com 0s145 de margem para o rival.
Franco Morbidelli venceu um eletrizante duelo com Mattia Pasini (Foto: Marc VDS)
A classificação do Mundial de Motovelocidade após o GP de Aragão

Como vem acontecendo ao longo do ano, Miguel Oliveira apertou o passo a passou a recortar a diferença, mas não conseguiu chegar a tempo de brigar pela vitória, recebendo a bandeirada em terceiro, 0s432 atrás de Pasini.

 
Vice-líder do Mundial, Tom Lüthi fez uma corrida apenas discreta e acabou na quarta colocação, 0s150 à frente de Brad Binder, o quinto. Jorge Navarro ficou em sexto, com Simone Corsi, Takaaki Nakagami, Sandro Cortese e Francesco Bagnaia completando o top-10.
Com o resultado, Morbidelli chegou aos 248 pontos, abrindo 21 de vantagem para Lüthi. Terceiro, Oliveira vez 70 pontos atrás do suíço, seguido por Bagnaia e Pasini.
 

Saiba como foi o GP de Aragão da Moto2:

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Com o sol brilhando no céu de Alcañiz, os pilotos da Moto2 alinharam no grid com a temperatura na casa dos 25°C e o asfalto chegando a 31°C.
 
Pela segunda vez na temporada, Miguel Oliveira tinha a pole-position, à frente de Mattia Pasini e Álex Márquez. Líder do Mundial, Franco Morbidelli ocupava o quarto posto, apenas a segunda vez na temporada que o #21 ficou de fora da primeira fila do grid. Rival pelo título, Tom Lüthi liderava a terceira linha da grelha.
 
Para a prova deste domingo, a Michelin levou o pneu dianteiro médio ‘2’ e os traseiros médios ‘3’ e duros ‘4’. No grid, uma escolha uniforme: todos com os pneus médios.
 
Quando as luzes se apagaram na reta do MotorLand, Oliveira saiu bem e manteve a ponta, com Morbidelli saltando para o segundo posto ainda nos primeiros metros. Lüthi também partiu bem e assumiu o terceiro posto ao passar Pasini e Márquez.
 
Sem demora, Franco atacou Oliveira, mas escapou da trajetória e permaneceu em segundo, com Lüthi se aproximando um pouquinho. Pasini era quarto, à frente de Márquez e Navarro.
 
Lüthi, então, deu sua escapadela, se afastando de Franco e vendo Pasini encostar.
 
Na reta oposta, Morbidelli colou em Oliveira para pegar a ponta por dentro na 16. Foi uma manobra justinha do #21. Na segunda volta, Pasini passou Lüthi, que ficou para se defender de Márquez.
 
Sem demora, Pasini deixou Oliveira para trás, mas o português seguiu pressionando, enquanto Morbidelli já exibia 0s5 de margem no topo da tabela. Companheiro do #21, Márquez passou Lüthi para ocupar a quarta colocação.
 
Na ponta, Morbidelli passou a imprimir um ritmo forte, cravando em 1min54s339 a melhor volta da corrida até então. O italiano tinha sido orientado pela Marc VDS a pensar no campeonato e não arriscar excessivamente em busca da vitória. 
 
Ainda no início da disputa, a direção de prova anunciou que Isaac Viñales teria de cumprir um ride-through por ter queimado a largada.
Mattia Pasini lutou duro pela vitória em Aragão (Foto: Divulgação/MotoGP)
Na volta seguinte, Morbidelli de novo foi bem rápido, mas agora foi Márquez quem registrou a melhor volta: 1min54s244. Ainda assim, o #21 ampliou sua margem.
 
No início da quarta volta, Oliveira passou Pasini, que deu o troco. Na sequência, Márquez passou o piloto da KTM, que tinha Lüthi bem perto atrás. Aproveitando a disputa, Morbidelli abriu mais de 1s1.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Forçando o ritmo, Franco chegou a 1min54s231, 1s240 melhor que Pasini. Oliveira tinha recuperado brevemente o posto, mas Márquez já estava de volta ao pódio provisório.
 
Ao fim da quinta volta, Morbidelli já tinha 1s478 de vantagem na ponta, com Pasini mais de 0s3 à frente de Márquez. Oliveira vinha sequência, com Lüthi apenas tocando o barco, já 0s7 afastado de Corsi.
 
Enquanto os três ponteiros iam se afastando um dos outros, Lüthi decidiu ensaiar um ataque em cima de Oliveira, mas o português se manteve na frente e passou a pressionar Álex de forma mais firme.
 
Mesmo registrando suas melhores voltas, Pasini não conseguia encostar em Morbidelli, que abriu 1s5 de margem. Mas atrás, Corsi também chegou para pressionar Lüthi.
Na reta oposta, Oliveira conseguiu passar Márquez e voltar ao terceiro posto, com Lüthi tentando encostar, mas sem muito sucesso no início da oitava volta.
 
Na reta principal, porém, Lüthi passou Márquez, que também perdeu a posição para Corsi e, ma sequência para Navarro. Binder também aproveitou e derrubou o irmão de Marc para a oitava colocação.
 
Possivelmente com algum problema, Márquez seguiu caindo e foi parar em nono após ser ultrapassado por Cortese. O #73, porém, reagiu rápido e passou o alemão, mas levou o troco pouco depois.
 
Com 12 voltas para o fim, Pasini seguia apertando o ritmo para chegar em Pasini e já tinha derrubado a vantagem do piloto da Marc VDS para 1s1.
 
Luca Marini, por outro lado, caiu e abandonou mais cedo a disputa. O piloto da Forward escapou de maiores lesões.
 
Com as posições da ponta relativamente estáveis, a atenção ficava em Márquez, que já tinha caído para décimo, atrás de Nakagami.
 
Em grande fase, Pasini ia rodando bastante mais rápido que Morbidelli e recortando a vantagem do italiano na ponta. Com 11 voltas para o fim, a diferença já era inferior a 0s7. Terceiro, Oliveira tinha 2s8 de atraso para o #54.
 
Com dez voltas para o fim, Márquez entregou os pontos e voltou aos boxes da Marc VDS.
 
Na 11ª volta, Pasini cravou 1min54s082 como melhor volta da corrida, quase 0s5 melhor que Morbidelli, que já não tinha mais nenhum respiro na ponta. 
 
Na reta oposta, Pasini colou e fez a primeira tentativa, mas Morbidelli adiou a freada para defender a liderança. Enquanto isso, Oliveira começou a apertar o passo e reduzir o atraso em relação aos ponteiros.
 
Depois de parar nos boxes, Márquez seguiu direto para o centro médico. O espanhol sofreu uma fratura no quadril em Misano.
 
Na ponta, Pasini fez uma nova tentativa na reta oposta, mas a freada tardia de Morbidelli manteve as posições inalteradas. 
 

Na 14ª volta, Pasini consegui superar Morbidelli na freada da 16 e assumiu a ponta com uma manobra por dentro, de cara abrindo vantagem em relação ao #21. Enquanto isso, Oliveira ia reduzindo o atraso, que já tinha caído para 1s7. Quarto, Lüthi vinha 2s0 atrás do rival da KTM, mas tinha Binder chegando atrás.
 
Com cinco giros para o fim, Morbidelli mostrou que não tinha entregado os pontos em Aragão. Depois de um volta quase igual a de Pasini ― com apenas 0s002 de diferença ―, o piloto da Marc VDS voltou a subir o ritmo, colando no rival da Italtrans. Mais atrás, Binder não conseguia chegar em Lüthi, que virava mais rápido.
 
Na 18ª volta, Morbidelli deu o bote em Pasini na curva um e recuperou a ponta, abrindo pouco mais de 0s1 de margem. Restavam quatro giros e Oliveira já não tinha mais tempo para chegar.
 
Mattia, porém, não tinha desistido e seguiu acompanhando o líder do Mundial. Com dois giros para o fim, Pasini passou e recuperou a ponta, mas a retaliação veio pouco depois, no saca-rolha espanhol. Assim, Oliveira ia chegando, já aparecendo a 0s8 do #54.
 
Na volta final, Pasini conseguiu passar mais uma vez, levou o troco metros depois, numa manobra agressiva do #21, com direito até a toque.
 

#GALERIA(7196)

Moto2, GP de Aragão, MotorLand, Corrida:

1 21 FRANCO MORBIDELLI ITA MARC VDS Kalex 40:09.904
2 54 MATTIA PASINI ITA ITALTRANS Kalex +0.145
3 44 MIGUEL OLIVEIRA POR RED BULL KTM AJO +0.577
4 12 THOMAS LÜTHI SUI INTERWETTEN Kalex +4.181
5 41 BRAD BINDER RSA RED BULL KTM AJO +4.331
6 9 JORGE NAVARRO ING GRESINI Kalex +7.328
7 24 SIMONE CORSI ITA SPEED UP +7.597
8 30 TAKAAKI NAKAGAMI JAP TEAM TADY Kalex +7.630
9 11 SANDRO CORTESE ALE INTACT Suter +10.973
10 42 FRANCESCO BAGNAIA ITA VR46 Kalex +12.657
11 40 FABIO QUARTARARO FRA PONS Kalex +12.904
12 77 DOMINIQUE AEGERTER SUI KIEFER Suter +16.107
13 7 LORENZO BALDASSARRI ITA FORWARD Kalex +21.243
14 97 XAVI VIERGE ESP TECH3 Mistral 610 +21.314
15 62 STEFANO MANZI ITA VR46 Kalex +22.583
16 55 HAFIZH SYAHRIN MAL RACELINE Kalex +22.601
17 57 EDGAR PONS ESP PONS Kalex +25.622
18 45 TETSUTA NAGASHIMA ITA SAG Kalex +27.244
19 5 ANDREA LOCATELLI ITA ITALTRANS Kalex +27.374
20 87 REMY GARDNER AUS TECH3 Mistral 610 +28.026
21 27 IKER LECUONA ESP INTERWETTEN Kalex +29.042
22 37 AUGUSTO FERNÁNDEZ ESP SPEED UP +30.890
23 2 JESKO RAFFIN SUI INTERWETTEN Kalex +31.765
24 4 STEVEN ODENDAAL RSA NTS +36.918
25 19 XAVIER SIMÉON BEL TASCA Kalex +37.042
26 20 JOE ROBERTS EUA ARGIÑANO & GINÉS Kalex +38.275
27 6 TARRAN MACKENZIE ING KIEFER Suter +49.354
28 23 MARCEL SCHROTTER ALE INTACT Suter NC
29 22 FEDERICO FULIGNI ITA FORWARD Kalex NC
30 89 KHAIRUL IDHAM PAWI ESP TEAM TADY Kalex NC
31 32 ISAAC VIÑALES ESP SAG Kalex NC
32 73 ÁLEX MÁRQUEZ ESP MARC VDS Kalex NC
33 10 LUCA MARINI ITA FORWARD Kalex NC
34 49 AXEL PONS ESP RW Kalex NC

’SOLDADINHO’ DA PENSKE?

CASTRONEVES TEM FALTA DE TÍTULO COMO MANCHA NA CARREIRA  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube