No último ano de contrato, Pedrosa evita suposições, mas torce para “encerrar minha carreira vencendo com a Honda

No último ano de seu atual contrato com a Honda, Dani Pedrosa torceu para que possa encerrar a carreira vencendo pela marca da asa dourada. O #26 evitou fazer suposições sobre suas chances de lutar pelo título

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Dono de 200 corridas na MotoGP, Dani Pedrosa não conhece outro que não o protótipo da Honda na classe rainha. Mas nem por isso pensa em se aventurar em outros territórios.
 
Piloto com o maior número de vitórias pela marca da asa dourada ― 54 ―, o #26 ainda tem seu futuro incerto, mas admite que gostaria de encerrar a carreira com a marca que defendeu ao longo de toda a carreira na MotoGP.
Dani Pedrosa torce para encerrar a carreira na MotoGP com a Honda (Foto: Repsol)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

“É uma honra fazer parte da família da Honda e tomara que eu possa encerrar a minha carreira vencendo com a Honda”, disse Pedrosa, que está em sua 13ª temporada com a marca nipônica.
 
Questionado sobre as chances de conquistar o título da classe rainha, Pedrosa respondeu: “O tempo vai dizer. Não gosto de fazer conjecturas. Prefiro falar sobre o que está feito do que sobre o que pode acontecer”.
 
Atento aos fatos, o companheiro de Marc Márquez fez um balanço positivo da pré-temporada e elogiou o trabalho feito não só pela Honda, mas também por todos os pilotos que contam com a RC213V.
 
“Nós tivemos uma ótima pré-temporada”, avaliou Pedrosa. “A Honda, o time e os pilotos trabalharam bastante. E bem. Acho que todos os times e motos tiveram uma boa pré-temporada, e isso nivela muito as coisas”, ponderou.
 
A temporada 2018 marca, também, o início de Alberto Puig no comando da Honda. Ex-piloto e reconhecido por sua habilidade como caça-talentos, o espanhol foi agente de Dani entre 2006 e 2013, quando deixou o posto para supervisionar atividades da HRC relacionadas com jovens talentos.
 
“Nós nos conhecemos muito bem”, reconheceu Dani. “A vida é feita de capítulos, e tenho boas memórias do meu capítulo com Alberto. Agora estamos começando um novo no qual nossos caminhos se cruzaram outra vez ― e com a mesma meta comum outra vez: vencer”, concluiu.
 
"RIDÍCULO E LEVIANO"

AJUDA DELIBERADA DA HAAS À FERRARI? NÃO FAZ SENTIDO ALGUM

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube