Oliveira cumpre missão e vence em Valência, mas vê Kent conquistar título da Moto3 com prova burocrática

Miguel Oliveira fez tudo que estava a seu alcance e foi impecável para vencer o GP da Comunidade Valenciana. O português, entretanto, viu Danny Kent confirmar o favoritismo e levar o título com uma corrida burocrática

24 pontos atrás de Danny Kent após o triunfo no GP da Malásia, Miguel Oliveira não tinha lá muitas chances de conquistar o título de 2015, mas depois de uma recuperação impressionante na segunda metade da temporada, o português fechou o ano com mais um merecido triunfo neste domingo (8), desta vez na Comunidade Valenciana. 
 
Precisando vencer para ter uma chance de título, Oliveira saltou para a ponta logo na largada, enquanto Kent, 18º na grelha, tratou de subir três posições assim que as luzes se apagaram. Ao longo da disputa, o piloto da Red Bull KTM Ajo ficou sob a mira de Éfren Vázquez, companheiro de equipe do #52, Jorge Navarro e Romano Fenati, mas conseguiu fazer valer a força da coroa portuguesa.
 
Kent, por sua vez, optou por uma prova burocrática e passou as primeiras voltas em 14º, demorando a tomar a iniciativa. Aos poucos, o britânico começou a escalar o pelotão, mas nada que fosse assim tão impressionante. A primeira manobra veio em cima de Fabio Quartararo, que abandonou pouco depois. O francês ainda não se recuperou completamente de uma fratura na perna e não aguentou correr em Valência.
A classificação do Mundial de Moto3 após o GP da Comunidade Valenciana
Miguel Oliveira chegou perto, mas não conseguiu o título (Foto: Red Bull KTM Ajo)
O piloto da Kiefer logo conseguiu uma distância confortável para o 13º colocado e não esboçava a menor tentativa de chegar no pelotão da frente. Danny só se mexeu quando Hiroki Ono, seu companheiro de equipe, se instalou na frente. Afinal, essa era uma posição garantida.
 
O #52 logo passou o nipônico, mas alguém deve ter esquecido de explicar as coisas para o jovem Ono, que tratou de seguir o companheiro de equipe como se não houvesse amanhã. Na Kiefer, os técnicos estavam bastante irritados, buscando maneiras de mandar Hiroki sossegar. Não que ele estivesse atacando. Ele só estava a 0s1 do britânico. 
Por algum motivo ainda inexplicável — no contexto da Kiefer, claro —, Ono partiu para o ataque e passou o companheiro de equipe. O resultado, no entanto, ainda não era um problema para a conquista do título.
Danny Kent encerrou um longo jejum de pilotos britânicos campeões no Mundial (Foto: Kiefer)
Na última curva de Valência, entretanto, Niccolò Antonelli caiu e levou junto Fenati e Vázquez, promovendo Ono e Kent a oitavo e nono, respectivamente.
 
Correndo em casa, Navarro chegou a assumir a ponta nos giros finais, mas acabou em segundo, 0s198 atrás de Miguel. Jakub Kornfeil ficou com a terceira colocação, seguido por Brad Binder, Enea Bastianini, Isaac Viñales e John McPhee. 
Com o resultado deste domingo, Kent quebra um jejum de 38 anos. O Reino Unido não tinha um campeão no motociclismo desde que Barry Sheene conquistou o título das 500cc em 1977.
 
A cobertura completa do GP da Comunidade Valenciana no GRANDE PRÊMIO

Saiba como foi o GP da Comunidade Valenciana de Moto3:
 
O dia na Comunidade Valenciana começou com muita tensão e expectativa. Não era apenas a largada para a última etapa da temporada, mas também a decisão do título do campeonato entre Danny Kent e Miguel Oliveira.
 
O sol apareceu tímido no circuito valenciano. As temperaturas mostravam ligeiro aumento se comparados ao sábado, com os cronômetros marcando 20ºC para o ar e 22ºC para o asfalto.

Para a corrida da Comunidade Valenciana, a Dunlop, fornecedora única dos pneus da Moto3, levou os compostos médios e macios. No grid, entre todos os competidores, apenas Antonelli foi quem escolheu pneus médios na frente.
 
Assim que a largada foi realizada, Miguel Oliveira já pulou para a primeira posição. O pole-position, John McPhee acabou caindo para a quarta colocação, superado ainda por Romano Fenati e Éfren Vázquez.
 
Enquanto isso, o grande favorito ao título, que já perdeu oportunidades anteriores de fechar o campeonato, Danny Kent, que largou do fundo do grid, pulou para 15º e, no momento, era campeão do ano.
 
Com 23 voltas para o final, o português era quem liderava o pelotão. Fenati era o segundo, seguido por McPhee, Vázquez e Jorge Navarro. Enea Bastianini, Niccolò Antonelli, Jakub Kornfeil, Hanika e Ono completam o top-10 do momento. 
Em grande ultrapassagem, Vázquez passou fácil o titular da Ajo, assumindo então a ponta do pelotão. McPhee começa então a perseguição em cima do piloto da moto #44.
 
Não demorou muito para que o português desse o troco em cima de Vázquez. Entretanto, o piloto da Kiefer ainda acabou superado por Navarro, caindo para a terceira colocação.
 
A vida de Kent estava tranquila com 19 giros para a bandeirada final. Com uma vitória de Oliveira, ele precisaria chegar em 15º. Aparentemente o inglês gosta de desafios, e estava ocupando o 14º posto.
 
Mas o que importava era a movimentada briga pela ponta. Agora era Navarro quem era o primeiro, seguido por Oliveira, Fenati, Vázquez e Antonelli, que fechava o rol dos cinco primeiros do momento.
 
Só que o que o espanhol da Estrella Galicia não esperava é que alguns metros à frente ele sofreria uma passada dupla por parte do piloto da moto #44 e o da moto #5.
O primeiro acidente da corrida aconteceu com Karel Hanika. O competidor acabou perdendo a moto sozinho, parando apenas na brita e vendo sua temporada terminar no chão.
 
Oliveira tem feito seu papel para brigar pelo título. Entre passagens e muita briga para a liderança do pelotão, com 11 voltas para o fim era ele quem puxava os outros competidores.
 
Danny Kent, por outro lado, parecia estar confortável com sua situação na pista. Em 12º, ele não sofria riscos de perder a posição e garantia o caneco por três pontos de vantagem.
 
Fenati, que ocupava o quinto posto, com a marca de 1min39s622, fez a melhor volta da prova, com a bandeira quadriculada se aproximando em oito voltas.
 
Na reta final da corrida, as coisas aparentemente acalmaram no pelotão principal da prova. Poucas ultrapassagens e riscos tomados. Mais para trás, as colocações também se estabilizaram.
 
Mas como é a Moto3, não tem como prever o que acontece. Com dois giros para cruzarem a linha de chegada, Navarro e Vázquez jogaram Oliveira para a terceira colocação.
 
E mais uma vez a caixinha de surpresa que a categoria reserva, dessa vez não falhou novamente. Na reta final, três pilotos da ponta caíram. Vázquez, Fenati e Antonelli acabaram com a temporada de um jeito bastante amargo.
 
Então, na última volta o português tentou e batalhou, cumprindo o que era sua função. Porém, mesmo subindo ao degrau mais alto do pódio, foi seu adversário inglês que levou o título.
 
Navarro e Kornfeil completaram o pódio. Brad Binder, Bastianini, Viñales, McPhee, Ono, Kent e Oetll fecharam o grupo do top-10 da prova de Valência.

Moto3, GP da Comunidade Valenciana, Valência, Final:
 

1
44
MIGUEL OLIVEIRA
POR
RED BULL KTM AJO
40:09.792
24 voltas
2
9
JORGE NAVARRO
ESP
ESTRELLA GALICIA 0,0 Honda
+0.198
 
3
84
JAKUB KORNFEIL
TCH
SEPANG KTM
+2.090
 
4
41
BRAD BINDER
RSA
RED BULL KTM AJO
+2.121
 
5
33
ENEA BASTIANINI
ITA
GRESINI Honda
+2.975
 
6
32
ISAAC VIÑALES
ESP
RBA KTM
+3.343
 
7
17
JOHN McPHEE
ING
RTG Honda
+4.087
 
8
76
HIROKI ONO
JAP
KIEFER Honda
+9.627
 
9
52
DANNY KENT
ING
KIEFER Honda
+9.914
 
10
65
PHILIPP OETTL
ALE
SCHEDL GP KTM
+10.580
 
11
16
ANDREA MIGNO
ITA
VR46 KTM
+10.661
 
12
8
NICOLÒ BULEGA
ITA
VR46 KTM
+11.642
 
13
21
FRANCESCO BAGNAIA
ITA
ASPAR Mahindra
+16.741
 
14
88
JORGE MARTÍN
ESP
ASPAR Mahindra
+20.196
 
15
10
ALEXIS MASBOU
FRA
RTG Honda
+21.531
 
16
95
JULES DANILO
FRA
ONGETTA Honda
+21.552
 
17
63
ZULFAHMI KHAIRUDDIN
MAL
SEPANG KTM
+21.868
 
18
40
DARRYN BINDER
RSA
AMBROGIO Mahindra
+25.114
 
19
29
STEFANO MANZI
ITA
TEAM ITALIA Mahindra
+25.301
 
20
11
LIVIO LOI
BEL
RW Kalex KTM
+25.331
 
21
6
MARÍA HERRERA
ESP
HUSQVARNA LAGLISSE
+25.655
 
22
48
LORENZO DALLA PORTA
ITA
HUSQVARNA LAGLISSE
+32.973
 
23
4
FABIO DI GIANNANTONIO
ITA
GRESINI Honda
+33.019
 
24
22
ANA CARRASCO
ESP
RBA KTM
+33.549
 
25
96
MANUEL PAGLIANI
ITA
TEAM ITALIA Mahindra
+33.953
 
 
7
ÉFREN VÁZQUEZ
ESP
KIEFER Honda
+1 volta
 
 
5
ROMANO FENATI
ITA
VR46 KTM
+1 volta
 
 
23
NICCOLÒ ANTONELLI
ITA
ONGETTA Honda
+1 volta
 
 
19
ALESSANDRO TONUCCI
ITA
AMBROGIO  Mahindra
NC
 
 
98
KAREL HANIKA
TCH
RED BULL KTM AJO
NC
 
 
20
FABIO QUARTARARO
ESP
ESTRELLA GALICIA 0,0 Honda
NC
 
 
58
JUANFRAN GUEVARA
ESP
ASPAR Mahindra
NC
 
 
24
TATSUKI SUZUKI
JAP
CIP Mahindra
NC
 
 
2
REMY GARDNER
AUS
CIP Mahindra
NC
 
 
 
 
 
 
 
 
POLE
JOHN McPHEE
ING
RTG Honda
1:39.364
145.1 km/h
VOLTA MAIS RÁPIDA
ROMANO FENATI
ITA
VR46 KTM
1:39.622
144.7 km/h
RECORDE
ÉFREN VÁZQUEZ
ESP
RTG Honda
1:39.400
145.0 km/h
MELHOR VOLTA
JACK MILLER
AUS
RED BULL KTM AJO
1:39.068
145.5 km/h
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Condições do tempo
 
PISTA SECA
 
ar: 20ºC | pista: 22ºC

document.MAX_ct0 ='';
var m3_u = (location.protocol=='https:'?'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?':'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random()*99999999999);
document.write ("”);
//]]>–>

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube