MotoGP

Ótimo adversário, escolha no videogame e inimizade: pilotos dividem memórias em despedida de Pedrosa

Entre tantas coisas, o final de semana em Valência marca o último de Dani Pedrosa como piloto da MotoGP. Na esteira da despedida do espanhol, pilotos dividiram em coletiva de imprensa as principais memórias com o titular da Honda
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Dani Pedrosa (Foto: Divulgação/MotoGP)
Valência marca um final de semana recheado de emoções para Dani Pedrosa. Além de ser sua última etapa como piloto do Mundial de Motovelocidade, ainda foi nomeado ao Rol das Lendas da MotoGP, na quinta-feira (15).
 
Na coletiva de imprensa, todos os pilotos presentes foram perguntados sobre as principais memórias que tem do espanhol, e claro que todos dividiram grandes momentos e não deixaram de elogiar o #26.
 
Quando Valentino Rossi deu sua declaração, ressaltou como o titular da Honda merecia ter sido campeão por sua vitoriosa trajetória na classe rainha. “Quando Dani chegou, em 2006, todos estavam assustados”, disse.
 
“Ele venceu dois campeonatos nas 250 cc e acho que em sua primeira corrida na MotoGP ele terminou em segundo, mas não brigou com [Loris] Capirossi na última volta, mas sabíamos que ele poderia vencer. Estávamos muito preocupados com ele”, continuou. 
Pedrosa agora está no Rol das lendas da MotoGP (Foto: Divulgação/MotoGP)
“Pedrosa é um ótimo adversário para mim e lembro de uma grande briga, uma muito boa, em Brno em 2006, quando ele brigou pela segunda colocação nas três ou quatro últimas voltas, o que foi bastante difícil. Dani merecia um campeonato, pois ele venceu muitas corridas, mais de 50, e ele foi muito competitivo na MotoGP. Nós sentiremos sua falta”, frisou.
 
Quem falou um pouco também foi Jorge Lorenzo. O espanhol ressaltou que o início do relacionamento com Pedrosa não foi fácil, mas hoje tudo já está mais fácil “No início, ele era uma referência para mim, mas passamos alguns momentos difíceis na primeira parte de nosso relacionamento, entre 2002 e 2010, o que foi uma época difícil para nós”, contou.
 
“Um desses momentos foi em Jerez em 2008. Após a classificação, estávamos na coletiva com Colin Edwards e eu queria apertar sua mão para parabeniza-lo e ele não quis. Olhei para Colin e foi uma situação bastante desconfortável. No dia seguinte, na corrida, ele venceu e eu terminei em terceiro e foi um grande momento na Espanha, nós apertamos nossas mãos, mas não nos olhamos nos olhos. Então foi bastante confortável”.
 
“Mas também tive bons momentos com ele, um que me lembro foi na casa de Sete [Gibernau] há três anos. Estávamos fazendo uma festa e uma competição com pequenas motos e ele era absolutamente o mais rápido de todos”, disse. “Um ou dois segundos mais rápido do que os outros. Queria alcança-lo e acabei tendo um grande acidente. Foi um grande highside, mas antes disso tivemos uma longa conversa, como nunca tivemos antes, o que foi bom. E quando caí ele ficou preocupado sobre minha condição física, pois eu estava brigando pelo título daquele ano. Foi um bom momento”, completou.
Dani Pedrosa (Foto: Divulgação/MotoGP)
Marc Márquez, companheiro de Dani desde 2013, também aproveitou para compartilhar algumas de suas memórias ao lado do piloto. "Dani não é como as pessoas pensam. Minha melhor memória é nós em um karaokê no Japão e ele cantando sem camiseta. Ele estava doido. Quando ele está na frente das câmeras parece tímido, mas é muito divertido. Compartilhei muitos bons momentos com ele".
 
Álvaro Bautista, amigo de infância do #26, não perdeu a oportunidade de também dizer algumas palavras. “Lembro quando praticávamos e depois jogávamos futebol na pista durante a tarde e de noite e ele sempre estava no canto, sempre tentamos forçar ele a jogar e era divertido”.
 
“Provavelmente sou quem menos o conhece”, começou Johann Zarco, “mas minha memória é de quando jogava videogame e o escolhia em 2004 quando era campeão das 250cc. Depois, em 2008, eu venci a Rookies Cup e passei algum tempo em Barcelona e conheci Dani em uma pista de kart. Treinávamos e na época ele era piloto de MotoGP e era muito rápido, mal conseguia seguí-lo. Foi meu primeiro contato com um piloto da categoria”, encerrou.