Rebaixado da MotoGP, Barberá fala em ser campeão da Moto2, mas avisa: “Não quero finalizar minha carreira aqui”

Rebaixado para a Moto2, Héctor Barberá se mostrou confiante em suas chances de brigar pelo título com a Pons, mas deixou claro que não quer encerrar a carreira na classe intermediária do Mundial de Motovelocidade

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Depois de um ano apagado na MotoGP, Héctor Barberá acabou fechando com a Pons para formar dupla com Lorenzo Baldassarri na Moto2. Mesmo sonhando com o título da categoria, o espanhol deixa claro que não vê a divisão do meio como sua última parada da carreira.
 
Com oito temporadas na classe rainha, Barberá teve seu melhor ano em 2016, quando fechou o campeonato com 102 pontos e a décima colocação no Mundial. Em 2017, porém, o #8 fez só 28 pontos e ficou com o 22º lugar na tabela.
Héctor Barberá avisou que não quer encerrar carreira na Moto2 (Foto: Pons)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“O objetivo para a próxima temporada é lutar para ser campeão do mundo e creio que temos as ferramentas para conseguir isso”, disse Barberá. “Quero ser campeão do mundo, mas não acabar a minha carreira esportiva aqui”, ressaltou.
 
Na divisão intermediária do certame, Héctor teve seu melhor ano em 2009, quando foi vice-campeão. Na época, Barberá acabou derrotado por Hiroshi Aoyama, que ficou 22 pontos à frente.
 
“CHORAVA COMO UM BEBÊ”

FÉLIX DA COSTA REVELA TRISTEZA APÓS PERDER CHANCE NA F1

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube