Repsol condena atitude de Rossi contra Márquez, exige punição severa e ameaça até sair da MotoGP

Patrocinadora principal da Honda desde 1995, a Repsol condenou a ação de Valentino Rossi no GP da Malásia. Petrolífera acredita que o italiano chutou Marc Márquez intencionalmente e, por isso, deve ser punido com mais severidade. Gigante espanhola chegou a colocar em xeque seu envolvimento com o esporte

A cobertura completa do GP da Malásia no GRANDE PRÊMIO

Patrocinadora principal da Honda desde 1995 e uma das principais apoiadoras do Mundial de Motovelocidade, a Repsol condenou a atuação de Valentino Rossi durante o GP da Malásia de MotoGP do último domingo (25). 
 
Rossi e Marc Márquez travaram um duro embate nas voltas iniciais da prova de Sepang, mas o duelo terminou na 7ª volta, quando o espanhol tentou passar o italiano e caiu após um toque. O #46 foi considerado culpado pelo acidente do #93 e recebeu três pontos de punição por direção irresponsável. Como já tinha um ponto por uma infração anterior, o italiano vai largar em último na Comunidade Valenciana.
Repsol apoia Honda desde os anos 90 (Foto: Repsol)
Assim como Márquez e a Honda, a Repsol insiste que Rossi chutou o rival para fazê-lo cair. Valentino, entretanto, nega o chute e alega que seu pé esquerdo saiu do apoio por conta do contato entre ambos.
 
 A direção de prova do Mundial avaliou as imagens e entendeu que não há evidências de que Rossi tenha chutado Márquez. O italiano, entretanto, foi punido por direção irresponsável, já que os comissários entenderam que o piloto da Yamaha executou uma manobra que resultou na queda do rival.
 
Mike Webb, o diretor de prova da MotoGP, admitiu que, no entendimento da direção de prova, Márquez provocou Rossi durante a corrida de Sepang, mas não pode ser punido já que não quebrou nenhuma regra.
 
Em um comunicado à imprensa emitido ainda no último domingo, a Repsol pede uma sanção mais dura ao piloto da Yamaha. A gigante espanhola da indústria do petróleo afirmou, ainda, que poderia reconsiderar seu envolvimento de 40 anos com o esporte.
 
“Dani Pedrosa conquistou uma grande vitória hoje no GP da Malásia — uma vitória que, infelizmente, foi ofuscada pela conduta inaceitável e antidesportiva de Valentino Rossi contra o piloto da equipe Repsol Honda, Marc Márquez”, diz a nota. “Na sétima volta da corrida, com Márquez e Rossi imersos em uma batalha pelo terceiro posto que envolveu várias manobras de ultrapassagem entre os dois, o italiano — em uma ação absolutamente intencional — desferiu um antidesportivo pontapé no piloto da Repsol Honda que o levou ao chão”, segue o texto.
Valentino Rossi e Marc Márquez travaram um intenso duelo em Sepang (Foto: Repsol)
“Apesar de Márquez ter tido a sorte de escapar ileso do ataque, para a Repsol, a conduta de Rossi é absolutamente inaceitável, pois coloca em risco — de uma maneira premeditada e antidesportiva — a segurança do piloto da equipe Honda Repsol. A Repsol considera isso um ato antidesportivo incompatível com os valores de esporte e competição”, defende. “A Repsol está profundamente entristecida de que situações como que a que ocorreu hoje em Sepang existam, especialmente já que a companhia se orgulha de valores esportivos: companheirismo, espírito competitivo e comprometimento dos pilotos. Sem esses valores, não faria sentido para a Repsol participar do esporte como patrocinadora”.
 
“A Repsol também pede um regulamento forte e claro no interesse da segurança e da integridade física dos pilotos, que puna comportamentos como o que vimos hoje de forma clara e decisiva”, conclui a nota.
 
Rossi correu defendendo as cores da Repsol em 2002 e 2003, anos em que conquistou os dois títulos.
VIU ESSA? O POLÊMICO INCIDENTE ENTRE ROSSI E MÁRQUEZ NA MOTOGP

determinarTipoPlayer(“15655524”, “2”, “0”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube