Rossi chega a Valência para buscar título em situação semelhante a 2006. Daquela vez, perdeu

Valentino Rossi chegou a Valência com oito pontos de vantagem para Nicky Hayden quando ambos lutavam ponto a ponto pelo título da MotoGP em 2006. Hayden levou a melhor e deixou Rossi com más vibrações quanto a pista da Comunidade Valenciana

Era a mesma Valência – talvez uma de poder aquisitivo mais alto antes da explosão da maior crise financeira em escala global nas últimas oito décadas. Era uma outra MotoGP. E era Valentino Rossi no centro do furacão. Ele chegava à prova derradeira da temporada com oito pontos de vantagem para Nicky Hayden. Um a mais do que neste domingo, quando é Jorge Lorenzo quem vai tentar desbancá-lo.
 
Rossi, na mesma Yamaha de hoje, enfrentava Hayden, então na Honda – hoje de Márquez, a terceira via. Quem vinha atrás, já ficara com o título fora de alcance. Loris Capirossi, de Ducati, e Marco Melandri, de Honda, não brigavam mais. O companheiro de Rossi era Colin Edwards, que assistia de longe, ainda atrás de um jovem Dani Pedrosa e de Kenny Roberts Jr.
 
Valentino chegara à Yamaha da Honda três anos antes, já tricampeão e mesmo assim para uma enxurrada de críticas feitas diretamente ao salário que a companhia de Iwata o ofereceu. Levou consigo quase toda a sua equipe, inclusive o chefe dela, Jeremy Burgess. Rapidamente, o 'Doutor' venceu as dúvidas: levou a então malvista YZR-M1 ao título nos dois primeiros anos. Quando 2006 chegou, a Yamaha acreditava que passearia no parque. E não foi assim.
 
Menos potente, mais pesada, com pneus diferentes ao qual não se adaptou, a M1 viveu um ano complicado. Rossi não teve um começo bom a despeito de ter vencido a prova em Losail. Foi 14º na Espanha graças a um toque em Toni Elías, quarto na Turquia e abandonou na China e França por puros problemas de confiabilidade. Eram cinco primeiras provas que ligavam o sinal de alerta, porque enquanto isso as Honda acumulavam pontos. Hayden teve quatro pódios, Capirossi venceu uma, fez mais um pódio e outros três top-10.
Rossi tenta levantar a moto para voltar ao combate (Foto: Getty Images)
 Das cinco provas seguintes, Valentino venceu três, foi segundo em outra e oitavo na restante. Era uma reação, mas Hayden ganhou a corrida seguinte, em casa nos Estados Unidos, e a diferença entre os dois era de 51 pontos. Ainda restavam seis provas, mas a situação não era promissora.
 
Só que cinco pódios seguidos mudaram os contornos do campeonato. Rossi fez 59 pontos a mais naquela sequência e tomou a liderança em Portugal, quando Hayden se encontrou com o companheiro Pedrosa logo no início e ambos foram ao chão e abandonaram. Mas a vitória escapou do então pentacampeão próximo da bandeirada, quando foi passado por Elías. Faltava Valência.
Não parecia uma história triste após a classificação. Valentino fez a pole, Hayden largou no quinto lugar. Para o italiano, era um bom presságio do final que se aproximava no dia seguinte. Mas então veio a corrida e o destino se encontrou com o Doutor.
Rossi caiu e saiu da briga em 2006 (Foto: Getty Images)
Rossi, voando no sábado, largou mal no domingo e simplesmente não tinha o ritmo que aparentava um dia antes. Tentando se recuperar, sofreu uma queda – o campeonato estava, então, fora de alcance.
 
"Foi um final de semana muito estranho para mim, porque eu estava voando na sexta e no sábado. Fiz a pole, mas também estava com um ritmo muito, muito forte de corrida com os pneus duros, então eu estava relaxado para o domingo", contou certa vez.
 
"Mas no domingo, desde a manhã, algo estava errado, porque eu estava muito lento. É estranho. Algo estranho aconteceu, eu acho. Mas, de qualquer forma, eu sofri muito e cometi um erro na corrida. Todo final de semana, toda a corrida tem uma história diferente", afirmou.
 
Rossi foi atrás da M1, levantou e seguiu. O suficiente apenas para o 13º lugar, longe de quem vinha à frente, uma temporada inteira atrás de Hayden. O americano foi terceiro colocado, atrás de Troy Bayliss e Capirossi, mas levou 16 tentos contra três de Valentino. 
Valentino Rossi cumprimenta o campeão de 2006, Nicky Hayden (Foto: Getty Images)
Nicky Hayden quebrava, assim, a sequência de Valentino Rossi e se sagrava campeão mundial de motociclismo pela primeira e única vez.
Nove anos se passaram, mas Rossi segue desgostando de Valência por conta daquela prova mais do que por não ser seu desenho favorito. Se pudesse dedicar uma música à pista onde decide o campeonato neste domingo, seria algo como 'Bad Blood', de Taylor Swift.
 
Ao menos nos próximos dois dias. Dessa vez, Valentino larga no outro extremo do grid por conta da punição pós-Malásia. Se conseguir se recuperar e conquistar o título de uma das mais emocionantes temporadas da MotoGP na história, 'Crazy Little Thing Called Love', do Queen, talvez vire a música tema da relação do Doutor com Valência.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube