Rossi destaca “grande batalha” com Márquez na Holanda e avalia que teve sorte por não cair na última chicane

Vencedor do GP da Holanda, Valentino Rossi fez uma avaliação positiva de sua atuação e disse que teve uma grande batalha com Marc Márquez. Italiano destacou que teve sorte por não cair ao escapar na Geert Timmer Bocht

A cobertura completa do GP da Holanda no GRANDE PRÊMIO

Valentino Rossi conquistou neste sábado (27) sua 111ª vitória no Mundial de Motovelocidade — a 85ª na MotoGP e a 51ª pela Yamaha. Largando na pole, o italiano superou uma intensa disputa com Marc Márquez e, após um toque na volta final, recebeu a bandeirada com 1s242 de vantagem para o rival da Honda.
 
Defendendo sua liderança no Mundial, Rossi explicou que sua primeira meta era abrir vantagem em relação a Jorge Lorenzo, que largou em oitavo, e fez uma avaliação positiva de sua atuação.
Valentino Rossi festeja com a torcida o triunfo em Assen (Foto: AP)
A classificação do Mundial de MotoGP após o GP da Holanda

“Em um campeonato tão apertado quanto este, é importante capitalizar quando você está forte”, ponderou. “Acho que fiz uma boa prova desde a largada. Partindo da pole é um pouco mais fácil do que na terceira fila!”, comentou. 

 
“Forcei desde o princípio e tive um ritmo sólido, então acho que, no geral, a minha primeira volta foi ótima”, avaliou. “Eu tinha uma boa velocidade e vi que podia colocar alguma distância entre Jorge e eu. Infelizmente, esse ritmo não foi o suficiente para escapar do Marc. Tentei forçar ao limite, mas ele veio comigo”, seguiu.
 
Já na segunda metade da prova, Márquez chegou a passar Rossi, mas levou o troco três voltas mais tarde. No último giro, o espanhol fez uma nova tentativa, desta vez na Geert Timmer Bocht, a última chicane da Catedral, mas a manobra terminou em um toque que forçou Valentino para fora da pista.
 
“Tentei forçar mais uma vez no fim e não consegui afastar o Marc, aí fiquei um pouco preocupado, porque eu estava realmente no meu limite e no da moto”, explicou. “Marc me ultrapassou e, atrás dele, vi que ele era muito rápido, mas sabia que eu podia ir um pouco mais rápido”, continuou. 
 
“Fiz uma penúltima volta muito boa, com um bom tempo. Vi que tinha uma pequena vantagem, mas não consegui fazer o mesmo tempo novamente. Esperava que o Márquez não conseguisse se recuperar, mas ele conseguiu”, contou. “Cheguei na última chicane no limite, entrei e vi a moto do Marc tentar, mas era tarde demais. Nós tocamos, então eu tive que cortar a chicane e tive sorte de controlar a moto na brita, pois é difícil saber o quão profunda ela é. Acho que foi uma grande batalha, especialmente porque da última vez que lutamos, ele venceu”, encerrou. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube