Rossi diz que falha de sensor impediu melhora no tempo, mas faz balanço positivo e aposta em “uma boa corrida”

Valentino Rossi indicou uma falha no sensor da suspensão para o revés que teve nos minutos finais do terceiro treino livre. Apesar de não ter conseguido uma melhora no tempo, o italiano fez um balanço positivo dos treinos e considerou que é possível fazer uma boa corrida, ainda que Maverick Viñales esteja bem à frente dos rivais

 
Valentino Rossi ainda não conseguiu se entender completamente com a YZR-M1, mas nem por isso faz um balanço negativo dos trabalhos em Losail. Após três sessões de treinos livres, o italiano fechou a sexta-feira (24) com o décimo tempo no resultado combinado, 1s098 atrás de Maverick Viñales, o líder.
 
Mesmo com um grande atraso, Rossi avaliou que não teve um dia completamente ruim, já que conseguiu bons tempos no TL2. Ainda assim, o #46 lamentou que um problema com um sensor de suspensão tenha tumultuado os minutos finais do treino seguinte, quando deixou os boxes com pneus macios, mas teve de retornar e ficou sem tempo para fazer mais do que uma volta.
Valentino Rossi lamentou que a Yamaha tenha encontrado novos problemas (Foto: Yamaha)

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

“No TL2, no primeiro treino, não fomos mal, porque conseguimos um tempo bastante bom e fomos rápidos em todos os setores, exceto o terceiro”, disse Rossi. “Estávamos indo melhor, mas não era suficiente e fizemos algumas modificações. Mas, mais tarde, sofremos muito com as condições de pista, que estavam muito difíceis”, seguiu.
 
“Continuamos tentando, mas ainda não posso entrar nas curvas suficientemente forte, e, no final, quando colocamos os pneus macios, tivemos um problema com o sensor da suspensão e tivemos de mudar para uma diferente, motivo pelo qual só pude fazer uma volta e não fui capaz de melhorar meu tempo. Assim, tive sorte e consegui acabar em décimo”, explicou. “Temos de seguir trabalhando, porque ainda não somos suficientemente rápidos, nem com o pneu macio e nem com o ritmo”, resumiu.
 
Apesar de admitir que ainda tem muito para fazer, Rossi ponderou que tem bastante tempo para trabalhar, já que resta todo o sábado e o warm-up da manhã de domingo.
 
“Ainda está tudo muito aberto. Com exceção de Viñales, que tem um ritmo realmente forte, os outros estão bastante próximos. Temos de tentar buscar melhorar mais, para termos um ritmo mais constante e poder pilotar melhor”, considerou.
 
Mesmo com 1s098 de atraso para Viñales no resultado combinado dos três, Rossi procurou ver o lado positivo dos testes desta sexta-feira.
 
“O lado positivo do dia é que nós resolvemos os problemas que tínhamos ontem. É certo que temos outros problemas, mas não os de ontem, e isso é menos frustrante. Estamos começando a entendê-los, mas ainda sofremos com o atraso do teste, no qual nunca conseguimos dar um passo adiante”, considerou. “Acho que, com exceção de Viñales, estamos todos muito próximos e, se conseguirmos melhorar um pouco a moto, podemos fazer uma boa corrida”, avaliou.
 
“Com o pneu macio, acho que poderia ter feito um bom tempo, de verdade, mas tivemos problemas e só consegui dar uma volta”, concluiu.

#GALERIA(6967)

PADDOCK GP #70 FAZ PRÉVIA DE ABERTURA DAS TEMPORADAS DE F1 E MOTOGP E LEMBRA PACE

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube