Rossi entende força da indústria, mas vê diferença salarial injusta entre MotoGP e F1 e cita motivos: habilidade e risco

Em entrevista ao jornal italiano ‘La Gazzetta dello Sport’, Valentino Rossi classificou como injusta a diferença salarial entre pilotos de MotoGP e de F1. Italiano considerou, por exemplo, que os competidores das duas rodas estão expostos a riscos maiores

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Valentino Rossi classificou como “injusta” a diferença salarial entre pilotos de MotoGP e F1. O italiano disse compreender a maior força da indústria automotiva, mas listou motivos para que os salários fossem equiparados.
 
Atualmente, pilotos com Lewis Hamilton, Sebastian Vettel e Fernando Alonso recebem salários em torno de € 30 milhões (aproximadamente R$ 122,2 milhões). Dono do maior salário da MotoGP, Jorge Lorenzo recebe da Ducati cerca de € 12 milhões (por volta de R$ 48,9 milhões).
Valentino Rossi classificou como injusta a diferença salarial entre pilotos de MotoGP e F1 (Foto: Michelin)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“Como habilidade, classe, nível de risco e nível do que você tem de fazer para estar na frente, não é justo”, disse Rossi. “Mas temos de lembrar que o automobilismo, a F1, é mais famoso mundialmente do que o motociclismo”, apontou.
 
“Todo mundo tem carro, mas poucos têm moto”, reconheceu. “Move mais dinheiro, então as coisas são assim”, concluiu.
 
"RIDÍCULO E LEVIANO"

AJUDA DELIBERADA DA HAAS À FERRARI? NÃO FAZ SENTIDO ALGUM

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube