Siméon resiste à pressão de Zarco na Alemanha e vence 1ª da carreira. Rins herda pódio nos metros finais da Moto2

Impecável em Sachsenring, Xavier Siméon resistiu à pressão de Johann Zarco até a bandeirada e conquistou o primeiro triunfo da carreia. Álex Rins herdou o último posto do pódio após uma queda de Franco Morbidelli, que levou Tito Rabat junto

A cobertura completa do GP da Alemanha no GRANDE PRÊMIO

Xavier Siméon colocou o hino da Bélgica na vitrola neste domingo (12). Aos 25 anos, o piloto da Gresini foi impecável no GP da Alemanha e conseguiu tirar de Johann Zarco o que parecia uma vitória fácil.

 
O primeiro desafiante a prova da Saxônia foi Franco Morbidelli, que tomou a ponta após uma boa largada. Líder do Mundial, Zarco pressionou o italiano até conseguir a ponta, mas, ao menos por algum tempo, não conseguiu se livrar do titular da Italtrans.
Xavier Siméon venceu pela primeira vez na carreira (Foto: Gresini)
A classificação do Mundial de Moto2 após o GP da Alemanha

Aos poucos, o piloto da Ajo começou a escapar, o que levou Xavier a partir para cima de Morbidelli para evitar a fuga de Johann. Com bom ritmo, Siméon conseguiu chegar e, depois de um pouco pressionar, passou o #5 na curva um com quatro voltas para o fim e não mais deu chances de reação ao rival.

Mais atrás, Tito Rabat, que passou por uma cirurgia no início do mês após fraturar a clavícula direita durante um teste em Almería, lutava para segurar Morbidelli após tirar do italiano a vaga no pódio. Na última curva, Franco escorregou tentando passar o piloto da Marc VDS por dentro e levou o rival junto.
 
Assim, Álex Rins herdou o terceiro posto, recebendo a bandeirada com 1s563 de atraso para Zarco. Simone Corsi aparece logo atrás.
 
Depois de começar o fim de semana em grande forma, Sam Lowes se perdeu um pouquinho, mas voltou ao ataque neste domingo. Depois de escalar o pelotão, o britânico, também beneficiado pelo duplo abandono, recebeu a bandeirada na quinta colocação.
 
Tom Lüthi foi apenas discreto na Saxônia e ficou em sexto, à frente de Takaaki Nakagami. Lorenzo Baldassarri, Julián Simón e Dominique Aegerter completam o top-10.
Com o triunfo deste domingo, Siméon entrou para a história como o terceiro belga a vencer um GP — o primeiro desde que Didier De Radigués recebeu a bandeirada na ponta na etapa de Spa-Francorchamps das 250cc de 1983.
 
Com o resultado, Zarco chegou aos 179 pontos e agora tem 65 de vantagem para Rabat. Terceiro, Lowes tem apenas sete de atraso para Tito e quatro de vantagem para Rins. Lüthi fecha o top-5.
 
Saiba como foi o GP da Alemanha de Moto2:
 
O clima na Alemanha foi um verdadeiro presente ao Mundial de Motovelocidade, que sai de férias logo após a etapa de Sachsenring. Com o sol brilhando em Oberlungwitz, a temperatura chegou aos 26°C, com o asfalto batendo a marca de 38°C. A velocidade dos ventos estava em 8 km/h.
 
Assim como aconteceu na Moto3, onde 11 pilotos foram punidos por descumprirem a decisão da direção de prova que determina que os pilotos completem todos seus giros dentro do limite de 107% da média de suas voltas — uma tentativa de evitar que os competidores reduzam a velocidade durante a sessão a espera de um rival mais rápido —, a Moto2 também teve pilotos sancionados.
 
Simone Corsi, Sandro Cortese, Tom Lüthi e Xavier Siméon receberam um ponto de punição. A pena foi mais branda do que na Moto3 já que na divisão intermediária o problema não é dos mais recorrentes.
 
Pela quarta vez no ano — a terceira sucessiva —, Johann Zarco tinha a pole-position, à frente de Siméon. Franco Morbidelli repetiu seu melhor grid no Mundial e ocupava o terceiro posto na grelha. 
Johann Zarco ampliou ainda mais sua vantagem no Mundial (Foto: Ajo)
Para a prova deste fim de semana, a Dunlop, fornecedora única da categoria, separou os compostos dianteiros macio 1 e médio 2, e os traseiros duro 4 e duro especial ‘S1’. 
Para este domingo, os pilotos optaram pelo pneu dianteiro médio, com a maioria calçando a traseira com o duro especial, exceto Morbidelli, Kallio, Pons, Cardús, Schrotter, Márquez, Raffin e Mulhauser, que escolheram a borracha dura.
 
Na largada, Siméon saiu bem, mas foi Morbidelli quem assumiu a ponta na curva um. Zarco era o terceiro, à frente de Corsi, Lüthi, Cortese, Folger, Kallio, Rabat e Lowes. 
 
Ao fim a primeira volta, Morbidelli mantinha a ponta, mas com uma vantagem apenas ligeira para Siméon, que, por sua vez, tinha Zarco colado atrás.
 
Na curva 12, Siméon passou Franco na freada e assumiu a ponta, mas levou o troco pouco depois, na curva um. Corsi também conseguiu tomar o terceiro posto de Zarco, que agora tinha Lüthi atrás. 
 
De novo na Sachsen, Siméon assumiu a ponta, mas o troco veio alguns metros mais tarde. Em uma bela manobra, Zarco passou todo mundo por dentro e assumiu a ponta ao contornar a curva um. Xavier agora era o segundo, seguido por Franco, Simone, Sandro, Mika, Tom, Álex Rins e Rabat.
 
Sem muita demora, Morbidelli retomou o segundo posto, já com 0s5 de atraso para Zarco. Mais atrás, Rabat passou Rins e assumiu a oitava colocação.
 
Ainda na quarta volta da disputa, Zarco estabeleceu um novo recorde de volta no GP da Alemanha — 1min24s684.
 
Apesar do bom ritmo do titular da Ajo, Morbidelli vinha conseguindo reduzir a diferença, mas sem representar uma ameaça iminente ao líder do Mundial. Siméon, por sua vez, se afastava do pupilo de Valentino Rossi.
 
Mais atrás, Kallio passou Cortese e assumiu o quinto posto, se aproximando mais e mais de Corsi. Rabat, por sua vez, tentava chegar em Cortese.
 
Na sexta volta, Marcel Schrotter e Azlan Shah sofreram uma queda e abandonaram a disputa. Nenhum dos dois se machucou.
 
Na passagem seguinte, Morbidelli tomou para si o recorde da prova ao cravar 1min24s538. Com o bom ritmo, Franco chegou em Johann e passou a pressionar pela ponta. Terceiro, Siméon vinha 0s329 atrás da briga, mas também se aproximando.
 
Atrás, Rabat e Rins conseguiram passar Cortese, subindo para sexto e sétimo, respectivamente. Mais embaixo, Sam Lowes vinha na 1ª colocação, 0s350 atrás de Dominique Aegerter e ainda em contato com o primeiro pelotão.
Franco Morbidelli caiu e  levou Tito Rabat junto (Foto: Marc VDS)
Com a caçada na ponta, os três primeiros se afastaram do pelotão, com Siméon abrindo 1s251 de vantagem para Corsi, o quarto colocado. 
 
Rabat logo deixou Kallio para trás e assumiu o quinto posto. Mais uma vez, Rins seguiu os passos do campeão vigente e deixou o finlandês para trás. 
 
Na ponta, Zarco rodava mai rápido que Morbidelli — 1min25s161 contra 1min25s181 —, mas não conseguia escapar do italiano, que tampouco conseguia se aproximar decisivamente. 
 
Vendo o pódio tão de perto, Corsi subiu o ritmo e passou a descontar o atraso em relação aos três ponteiros, derrubando a vantagem de Siméon para menos de 1s. Atrás, Rabat vinha chegando e trazendo Rins junto.
 
Lá atrás, Lowes, enfim, deixou Aegerter para trás e logo despachou Kallio para assumir a nona colocação, 0s114 atrás de Cortese. O piloto da casa não resistiu por muito tempo e o piloto da Speed Up logo assumiu a oitava colocação 0s759 atrás de Lüthi.
 
Pouco depois, Kallio também passou Cortese, assim como Aegerter, deixando o #11 na 11ª colocação.
 
Um pouco adiante, Rabat e Rins não tardaram a chegar em Corsi, que agora era pressionado pelo quarto posto. Olhando assim, nem parece que Tito operou a clavícula direita outro dia.
 
No 16º giro, Rabat passou Corsi por dentro na curva 12, uma manobra clássica em Sachsenring. Pouco depois, na reta, Rins passou Simone, saltado para quinto. O piloto da Marc VDS agora tinha 1s661 de atraso para Siméon, o terceiro colocado.
 
No topo da tabela, Zarco não conseguia se livrar de Morbidelli, mas também não dava espaço para o italiano tentar alguma esperteza. Siméon, por sua vez, continuava coladinho, esperando uma brecha.
 
Atrás, Rabat deu uma bela chacoalhada, mas manteve o quarto posto. Rins, apesar da pressão de Corsi, seguia em quinto, juntinho com o #1.
 
Restando dez voltas para o fim, Zarco começou a escapar de Morbidelli, levando a diferença para quase 0s7. Siméon, por sua vez, estava cada vez mais perto do piloto da Italtrans.
 
Na 21ª volta, Siméon agiu na curva 12 e passou Franco, assumindo o segundo posto e imediatamente começando a trabalhar na diferença de Johann. Enquanto isso, Rabat também vinha chegando e já tinha derrubado a diferença para menos de 1s. Rins seguia colocado em Rabat.
 
Rodando mais rápido que o #5, o piloto da Gresini foi conseguindo chegar em Zarco, voltando a briga pela vitória. Morbidelli, por sua vez, não conseguia reduzir, mas tampouco de afastava.
 
Com seis giros para o fim Zarco seguia defendendo a ponta, mas Siméon agora tinha de se preocupar com Morbidelli, que tinha voltado a colar. 
 
Na abertura da 25ª volta, Siméon colocou por dentro na freada na curva um e conseguiu tomar a ponta de Zarco. O francês tentou responder de imediato, mas o belga se manteve na frente. 
 
Apesar dos esforços do titular da Ajo, Siméon ia conseguindo se manter a uma distância segura, caminhando para seu primeiro triunfo. Morbidelli, por sua vez, não conseguia se aproximar, mas já sentia Rabat chegando. O #1, por outro lado, estava mais próximo de se defender de Rins do que de atacar.
 
Na volta final, Rabat diminuiu consideravelmente a vantagem de Morbidelli e se colocou em posição de ataque. 
 
Na última curva, Morbidelli caiu tentando passar pode dentro e acabou levando Rabat junto. O espanhol, que passou por uma cirurgia recente, ficou no chão sentindo dores.
 
Assim, Siméon confirmou o triunfo — o primeiro da carreira —, à frente de Zarco e Rins, que herdou o pódio.
 

#GALERIA(5381)

Moto2, GP da Alemanha, Sachsenring, corrida:

1 19 XAVIER SIMÉON BEL GRESINI Kalex 41:09.295  
2 5 JOHANN ZARCO FRA AJO Kalex +0.083  
3 40 ÁLEX RINS ESP PONS Kalex +1.646  
4 3 SIMONE CORSI ITA FORWARD Kalex +6.386  
5 22 SAM LOWES ING SPEED UP +9.284  
6 12 THOMAS LÜTHI SUI INTERWETTEN Kalex +10.432  
7 30 TAKAAKI NAKAGAMI JAP TEAM TADY Kalex +10.592  
8 7 LORENZO BALDASSARRI ITA FORWARD Kalex +12.518  
9 60 JULIÁN SIMÓN ESP QMMF Speed Up +14.862  
10 77 DOMINIQUE AEGERTER SUI INTERWETTEN Kalex +14.953  
11 11 SANDRO CORTESE ALE INTACT Kalex +17.529  
12 36 MIKA KALLIO FIN ITALTRANS Kalex +18.820  
13 4 RANDY KRUMMENACHER SUI JIR KALEX +21.849  
14 94 JONAS FOLGER ALE ARGIÑANO & GINÉS Kalex +22.362  
15 49 AXEL PONS ESP ARGIÑANO & GINÉS Kalex +23.275  
16 55 HAFIZH SYAHRIN MAS RACELINE Kalex +23.429  
17 39 LUIS SALOM ESP PONS Kalex +28.507  
18 73 ÁLEX MÁRQUEZ ESP MARC VDS Kalex +32.740  
19 88 RICKY CARDÚS ESP TECH3 Mistral 610 +33.465  
20 70 ROBIN MULHAUSER SUI INTERWETTEN Kalex +33.508  
21 2 JESKO RAFFIN SUI SAG Kalex +55.191  
22 10 THITIPONG WAROKORN TAI SAG Kalex +57.449  
23 15 RATTHAPARK WILAIROT MAL JPMOTO MALAYSIA Suter +57.776  
  21 FRANCO MORBIDELLI ITA ITALTRANS Kalex NC  
  1 ESTEVE RABAT ESP MARC VDS Kalex NC  
  96 LOUIS ROSSI FRA TASCA Tech3 NC  
  23 MARCEL SCHROTTER ALE TECH3 Mistral 610 NC  
  25 AZLAN SHAH MAS TEAM TADY Kalex NC  
  95 ANTHONY WEST AUS QMMF Speed Up NC  
             
POLE JOHANN ZARCO FRA AJO Kalex 1:24.044 157.2 km/h
VOLTA MAIS RÁPIDA FRANCO MORBIDELLI ITA ITALTRANS Kalex 1:24.538 156.3 km/h
RECORDE FRANCO MORBIDELLI ITA ITALTRANS Kalex 1:24.538 156.3 km/h
MELHOR VOLTA JOHANN ZARCO FRA AJO Kalex 1:24.044 157.2 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA SECA   ar: 27ºC | pista: 40ºC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube