SRT admite conversa com Suzuki, mas diz que já tem minuta para renovar com Yamaha

Razlan Razali destacou que a decisão de fornecedor é uma opção também da Petronas, que prefere continuar com a Yamaha. O dirigente espera assinar um novo contrato de cinco com a fábrica de Iwata até junho

A SRT admitiu que conversou com a Suzuki sobre o fornecimento de motos nas próximas cinco temporadas da MotoGP. Razlan Razali disse, no entanto, que deve seguir com a Yamaha, de quem já recebeu, inclusive, a primeira minuta do contrato.

Em uma coletiva de imprensa realizada após a apresentação das motos de 2021, Razali revelou que já começou a conversar com a Yamaha para renovar o acordo até a temporada 2026.

“Começamos a discutir a extensão com a Yamaha em dezembro do ano passado, e eu já tenho a primeira minuta da proposta para os próximos cinco anos para a Yamaha”, disse Razali. “Ainda estamos discutindo e esperamos completar tudo até maio ou junto deste ano”, seguiu.

SRT explicou que a Petronas prefere seguir com a Yamaha (Foto: SRT)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

“Nesse sentido, tudo está progredindo bem, mas nós só gostaríamos de tirar tudo isso do caminho antes de focar com a extensão com a Yamaha”, comentou.

Razali também falou sobre os rumores de uma mudança de Yamaha para Suzuki e admitiu que chegou até a conversar para ter as GSX-RR.

“Não vou negar que, quando outras fábricas querem conversar conosco, nós ouvimos”, afirmou Razlan. “Nossa porta está sempre aberta para ouvir e olhamos para todas as possibilidades. Mas a nossa decisão na escolha da fábrica também depende do que nosso parceiro principal quer”, apontou.

“Então nós somos muito orientados pelo que a Petronas, nossa patrocinadora principal, gostaria de fazer a partir de 2022. E é uma companhia que quer trabalhar com as maiores marcas, em termos de posicionamento de mercado, branding, performance, histórico de pista e assim por diante”, explicou. “A menos que nos digam o contrário, vamos seguir a direção deles. No momento, é para continuar trabalhando com a Yamaha, pois os últimos dois anos foram fantásticos e não conseguiríamos atingir o que conquistamos sem o apoio total da Yamaha Motor Company”, reconheceu.

Os rumores que indicavam uma mudança de fornecedor indicavam uma insatisfação da SRT com a Yamaha, algo que foi confirmado por Razali. No entanto, o malaio destacou que essas questões foram resolvidas.

“Nós falamos sobre isso, de como sentimos que éramos apenas um cliente pagante e não um parceiro, sentíamos que éramos nós que queríamos fazer mais do que o outro [lado]”, relatou. “Estávamos muito, muito irritados quando perdemos o campeonato e a Yamaha perdeu [o título de] Construtores na primeira corrida de Valência, parecia que estávamos mais irritados do que eles. Mas falamos sobre tudo isso”, apontou.

“Estou satisfeito em saber que eles reconhecem esse fato, e a proposta deles além de 2022 é mais do que aconteceu nos últimos dois anos. Eles estão olhando para o desenvolvimento de pilotos de outros campeonatos ― campeonato asiático, campeonato japonês ―, estão olhando para os nossos jovens pilotos de Moto3 e Moto2, querem realmente otimizar a relação que temos para que os pilotos que desenvolvemos sigam na família Yamaha”, detalhou. “Já vimos isso, o que é muito positive, e estou muito satisfeito. Esperamos que em maio ou junho possamos finalizar esse acordo com a Yamaha, para que parem de nos chamarem de equipe independente ou equipe satélite. Realmente odeio esses termos”, frisou.

Por fim, Razali também falou sobre a possibilidade de fazer uma espécie de colaboração com Rossi quando ele deixar as pistas para atuar como dirigente. A VR46 é vista como favorita para assumir as motos da Yamaha, mas a própria equipe ainda não definiu se vai efetivamente ter uma equipe própria na classe rainha.

“Nós estamos abertos e não vamos fechar a porta para nenhuma oportunidade. Mas o mais importante é a direção e a estratégia do nosso patrocinador principal e eles vão decidir em um nível superior o que vão fazer a seguir”, afirmou. “Até que venham e nos procurem, não saberemos, mas não estou fechando a porta. Estou aberto a todas as possibilidades”, encerrou.

VEJA TAMBÉM
As imagens das Yamaha YZR-M1 da SRT para a temporada 2021 da MotoGP

https://open.spotify.com/episode/56EWZtjjXZerTSc5mEGdpr?si=dXJwGloaQQ6ZEGdY1gUInQ&nd=1

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube