Vice-presidente da HRC elogia Rossi, mas vê desacerto em crise com Márquez: “Espero que repense e entenda seu erro”

Vice-presidente executivo da HRC, Shuhei Nakamoto classificou Valentino Rossi como “o maior campeão do nosso esporte” e elogiou a atuação do italiano em 2015. Dirigente, entretanto, avaliou que o piloto da Yamaha errou na crise com Marc Márquez e disse torcer para que o #46 entenda sua falha

A cobertura completa do GP da Comunidade Valenciana no GRANDE PRÊMIO
 
Shuhei Nakamoto não gostou da atitude de Valentino Rossi no GP da Malásia, mas nem por isso o vice-presidente executivo da HRC deixa de reconhecer a importância do italiano para o esporte.
 
Em uma entrevista divulgada pela Honda nesta segunda-feira (2), o dirigente classificou o piloto da Yamaha como o “maior campeão do nosso esporte” e elogiou a atuação de Rossi em 2015, mas avaliou que o italiano errou na polêmica com Marc Márquez.
Shuhei Nakamoto elogiou temporada de Rossi em 2015 (Foto: Honda)
No fim do mês passado, Rossi acusou Márquez de ajudar Jorge Lorenzo na briga pelo título com sua atuação no GP da Austrália. O conflito entre os dois chegou ao ponto mais alto na prova de Sepang, quando os dois colidiram na 14ª curva da sétima volta e o espanhol foi ao chão.
 
 Rossi foi punido pela direção de prova com três pontos de punição por direção irresponsável e, como já tinha um ponto, vai ter de largar no fim do grid em Valência. A Yamaha chegou a recorrer da decisão, mas a punição foi confirmada pela FIM (Federação Internacional de Motociclismo). Sem mais opções, Valentino recorreu ao Tribunal Arbitral do Esporte.
 
“Valentino é o maior campeão do nosso esporte”, disse Nakamoto. “Nós acreditamos que ele fez um grande trabalho neste ano, e, se vencer o campeonato, realmente será merecido, já que foi consistente e muito rápido durante todo o ano. O fato de ele ter 36 anos aumenta o respeito por tal grande campeão”, seguiu. 
 
“Dito isto, nós não entendemos a acusação dele relacionada a corrida de Phillip Island e a manobra dele em Sepang”, declarou. “Esperamos que Valentino repense e entenda seu erro”, comentou.
Disputa em Phillip Island iniciou crise entre Márquez e Rossi (Foto: Honda)
Questionado sobre a atuação da direção de prova, Nakamoto quis evitar polêmica, mas avaliou que não era necessário aguardar pelo fim da disputa pela decidir pela sanção ao piloto da Yamaha.
 
“Nós respeitamos a decisão da direção de prova e não queremos julgar se a punição que eles impuseram está certa ou errada”, falou. “Entretanto, nós acreditamos que havia evidências o bastante para que eles tomassem uma decisão durante a corrida. Não era necessário esperar até o final”, opinou.
 
Além disso, Nakamoto avaliou que Valentino está no seu direito de procurar o Tribunal Arbitral do Esporte e garantiu que a Honda vai respeitar a decisão do órgão independente.
 
“Este é o direito dele. Nós vamos respeitar a decisão do TAS”, declarou.
 
 Ainda, Shuhei rebateu a afirmação de que é errado Márquez disputar com Rossi no momento em que está fora da briga pelo título. O dirigente lembrou que ninguém questionou quando Dani Pedrosa e Andrea Iannone venceram disputas com Valentino.
 
Além isso, Nakamoto voltou à temporada 2010, quando Rossi travou um duro duelo com Jorge Lorenzo, mesmo já estando fora da briga pelo título e com o espanhol tendo sua primeira chance de chegar ao Mundial. Naquela ocasião, Pedrosa, que era o único rival do #99, estava fora de combate por conta de uma lesão.
 
“Isso é corrida! Não teve nenhum comentário depois que Dani lutou com Valentino em Aragão e o venceu, e também em Phillip Island com Iannone — ninguém acusou Andrea de tentar ajudar um competidor mais do que outro”, falou. “Foi uma temporada difícil e em Sepang Marc simplesmente queria conquistar o melhor resultado para ele e seu time. Não é da natureza dele se contentar com o quarto lugar quando tem uma chance de lutar pelo terceiro”, considerou. 
 
“Nós devemos olhar para Motegi, em 2010, quando Valentino estava fora da briga pelo título, mas teve uma grande batalha com seu companheiro de equipe. Depois da corrida, quando Jorge reclamou que Valentino foi agressivo demais e sem motivo, já que estava fora do campeonato, ele respondeu: ‘Eu disse para a Yamaha: ‘O que você esperava de mim, que eu ficasse atrás? Se eu soubesse disso, ficaria em casa’’”, recordou. “E nós concordamos totalmente com a abordagem do Valentino e vamos sempre apoiar nossos pilotos a conquistarem o melhor resultado possível”, assegurou.
VIU ESSA? O POLÊMICO INCIDENTE ENTRE ROSSI E MÁRQUEZ NA MOTOGP

determinarTipoPlayer(“15655524”, “2”, “0”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube