Viñales crava terceira pole do ano e lidera dobradinha da Yamaha com Rossi em Mugello. Márquez larga em sexto

Maverick Viñales não deu bola para a torcida italiana e cravou a pole-position em Mugello, 0s2 à frente de Valentino Rossi, o segundo no grid. Andrea Dovizioso fecha a primeira fila, com Marc Márquez apenas em sexto

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Maverick Viñales colocou água no lambrusco italiano neste sábado (3). Em um fim de semana onde a venda de ingressos em Mugello superou os anos anteriores, o piloto da Yamaha frustrou a expectativa da torcida por uma pole-position italiana e conquistou o lugar de honra no grid pela terceira vez no ano.

 
Com seu melhor giro em 1min46s574, o #25 ficou com a ponta do grid, liderando uma dobradinha com Valentino Rossi, que foi 0s239 mais lento que o companheiro de Yamaha apesar das dores resultantes de um acidente de motocross e de um tombo leve no TL4.
Maverick Viñales ficou com a pole em Mugello (Foto: Michelin)
Mostrando força ao longo de todo o fim de semana, Andrea Dovizioso foi 0s260 mais lento que o #25 e ficou com a terceira posição, à frente de Michele Pirro. O wild-card e piloto de testes da Ducati vai abrir a segunda fila.
 
Dani Pedrosa fez seu melhor giro em 1min46s999 e ficou com o quinto lugar, 0s051 à frente de Marc Márquez, que foi apenas sexto. Na sexta-feira, o #93 se queixou da alocação de pneus, já que o dianteiro duro não conta com versão assimétrica.
 
Jorge Lorenzo foi 0s577 mais lento que o tempo da pole e vai abrir a terceira linha da grelha, à frente de Álvaro Bautista. Danilo Petrucci chegou a aparecer em segundo nos instantes finais da classificação, mas teve a volta cancelada por exceder os limites da pista e vai sair em nono, à frente de Tito Rabat.
 
Johann Zarco não conseguiu uma performance de destaque no Q2 e larga em 11º, seguido por Aleix Espargaró, que caiu ainda no início da sessão e teve de voltar para a pista com a moto reserva
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Depois de liderar o primeiro dia em Mugello, Cal Crutchlow não conseguiu repetir a performance e acabou tendo de passar pelo Q1. Para piorar, o britânico não avançou à fase seguinte e vai largar apenas em 13º, seu pior grid no ano.
 
Jonas Folger sofreu uma queda na classificação e vai sair em 15º, logo à frente de Andrea Iannone. O italiano da Suzuki não está no auge forma, já que um problema estomacal o fez perder três quilos em três dias. 

Zarco bate Rossi e lidera último treino marcado por tombo do #46
 
O sol seguiu reinando em Scarperia na tarde deste sábado, elevando consideravelmente a temperatura, especialmente da pista. Na hora do quarto treino livre, os termômetros mostravam 27,7°C, com o asfalto chegando a 53,3°C.
 
Ainda nos primeiros instantes, Márquez deu uma bela escapa da pista, mas evitou a queda, apenas dando um longo passeio pela brita do traçado de Scarperia.
 
Lorenzo foi o primeiro no topo da tabela, à frente de Barberá, Iannone, Rossi e Petrucci. O #99 se manteve na ponta no giro seguinte, com Valentino virando 0s028 mais lento para ocupar a segunda colocação. Barberá vinha em terceiro, seguido por Iannone.
 
Pouco depois, Dovizioso saltou para a quarta colocação, 0s241 mais lento que o ponteiro. 
 
Rossi, então, baixou para 1min47s753 e assumiu o comando da sessão, 0s124 melhor que Pirro, o novo segundo colocado. Dovizioso, Lorenzo, Petrucci e Folger vinham logo atrás.
 
Na metade do TL4, os boxes ganharam em movimentação. A liderança era de Rossi, com Pirro, Dovizioso, Lorenzo, Petrucci, Folger, Barberá, Iannone, Redding e Aleix formando top-10.
 
Rodando com um par de pneus médios, Márquez subiu para a quinta colocação ao anotar 1min47s999, 0s246 mais lento que Rossi. Minutos depois, Crutchlow, com a mesma escolha de calçados, saltou para sétimo.
 
Na sequência, Folger avançou para o terceiro lugar, 0s125 mais lento que Rossi e apenas 0s001 mais lento que Pirro, o segundo colocado.
 
Com dois minutos para o fim, Zarco saltou para o sexto posto, à frente de Márquez. Com um par de pneus duros, Viñales veio na sequência e subiu para quinto.
 
Nos instantes finais, Zarco, com um pneu macio na frente e um duro atrás, tomou a ponta de Rossi por 0s063.
 

Na sequência, Valentino perdeu a traseira na Correntaio, a 12ª curva de Mugello, e foi ao chão num lance bem parecido com o tombo de Le Mans. Já dolorido por um acidente de motocross, o italiano levantou e não demonstrou ter sofrido novas lesões. O #46 logo voltou aos boxes de carona com um integrante da Marc VDS.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Com o fim dos 30 minutos de sessão, Zarco ficou com a liderança, à frente de Rossi, Márquez, Bautista, Pirro, Folger, Dovizioso, Viñales, Lorenzo e Petrucci.
 

Antes de voltar ao paddock, Rossi dispensou a carona de Julián Simón e subiu na garupa de Luca Cadalora, seu analista de pista. O italiano voltou acenando para a torcida e foi trocar de roupa para o Q2.

Zarco avança ao Q2 seguido por Petrucci
 
Conforme estabelecido pelos treinos livres, a primeira fase da classificação contou com Zarco, Barberá, Petrucci, Abraham, Lowes, Iannone, Crutchlow, Smith, Miller, Pol, Redding, Guintoli, Baz e Folger.
Depois de cravar a estratégia do Q1 em Le Mans, Johann optou por sair por último em Mugello. Enquanto isso, Barberá abriu os trabalhos no topo da tabela, à frente de Baz. Terceiro, Baz tinha 0s490 de atraso para a fase seguinte.
 
Na sequência, Folger registrou 1min47s305 e assumiu a liderança, mas caiu para segundo com Petrucci passando 0s020 melhor. Héctor foi para terceiro, 0s397 atrás da linha de corte.
 
Perto da marca de seis minutos para o fim, Zarco saiu dos boxes e entrou na posta pela primeira vez. O francês vinha calçando um par de pneus macios.
 
Em seu primeiro giro, Zarco assumiu o terceiro posto, mas logo caiu para quinto, primeiro com Barberá tomando a pole, depois com Crutchlow cravando a melhor marca: 1min47s220.
 
Com dois minutos para o fim, Folger sofreu uma queda na Palagio, a 11ª curva, encerrando a sessão mais cedo. O germânico tinha o quinto posto.
Valentino Rossi superou as dores para ficar com o segundo posto no grid (Foto: Michelin)
Enquanto isso, Johann baixou para 1min47s080 e tomou a liderança, 0s061 à frente de Petrucci. Crutchlow caiu para terceiro, 0s079 atrás do Q2.
 
Na volta final, Petrucci até abriu um bom giro, mas perdeu tempo nas duas parciais finais e não conseguiu avançar. Zarco, por sua vez, foi impecável no trecho final da pista e melhorou seu tempo para 1min47s058, 0s083 melhor que o piloto da Pramac.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Assim, Crutchlow largada em 13º, à frente de Barberá, Folger, Iannone, Baz, Pol, Miller, Redding, Abraham, Lowes, Smith e Guintoli.
Viñales lidera 1-2 da Yamaha com Rossi no grid da Itália
 
De volta aos boxes, Rossi escapou ileso do tombo do TL4, mas a M1 acidentada não estava pronta para o Q2. Na Yamaha, isso não preocupava, já que o #46 se sentia melhor com a outra moto.
 
Assim, Valentino entrou na pista junto com Dovizioso, Zarco, Petrucci, Bautista, Viñales, Pedrosa, Aleix, Pirro, Rabat, Márquez e Lorenzo.
 
Na hora de entrar na pista, Lorenzo já mostrou sua estratégia de duas paradas, já que foi para a pista com um pneu traseiro médio para poupar a borracha mais rápida para as tentativas finais.
 
Com 1min47s497, Petrucci foi o primeiro no topo da tabela, 0s067 à frente de Pirro. Viñales era terceiro, seguido por Márquez, Rossi e Lorenzo.
 
Ainda no início da sessão, Aleix Espargaró caiu e voltou de carona aos boxes. O catalão, na verdade, tomou o lugar do condutor e saiu guiando a scooter em direção aos boxes da Avintia.
 
Na volta seguinte, Márquez chegou a tomar a ponta, mas Petrucci devolveu, 0s151 melhor. Maverick, então, subiu para segundo, com Pedrosa se instalando em quarto, à frente de Rossi.
 
Com pouco menos de oito minutos para o fim, os boxes ganharam em movimentação, com os pilotos voltando em busca de novos pneus. Petrucci, Viñales, Márquez, Pedrosa, Rossi, Pirro, Bautista, Dovizioso, Lorenzo, Zarco e Rabat formavam o top-11. Aleix ainda não tinha marcado tempo.
 
Rodando sozinho, agora com um pneu traseiro macio, Lorenzo anotou 1min47s352 e subiu para terceiro, 0s086 mais lento que Petrucci. O #99, então, voltou imediatamente aos os boxes.
 
Com 1min47s221, Pedrosa saltou para a ponta, mas caiu para o segundo lugar de imediato, com Bautista aparecendo 0s054 melhor. Pouco depois, Viñales passou o piloto da Aspar por 0s592 e ficou com o topo da tabela. 0s260 mais lento, Dovizioso assumiu a segunda colocação.
Andrea Dovizioso vai completar a primeira fila do grid da Itália (Foto: Michelin)
Petrucci reagiu e saltou para segundo, 0s139 atrás do espanhol da Yamaha. 0s100 mais lento que o piloto da Pramac, Rossi assumiu o terceiro posto, à frente de Dovizioso, Pirro e Pedrosa. O tempo de Danilo acabou cancelado e, assim, Valentino foi promovido ao segundo posto, enquanto vinha em volta.
 
Com a bandeira quadriculada tremulando em Mugello, ninguém superou Viñales, que faturou a terceira pole de 2017.
 

MotoGP, GP da Itália, Mugello, Classificação:

1 25 MAVERICK VIÑALES ESP YAMAHA 1:46.575  
2 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA 1:46.814 +0.239
3 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA DUCATI 1:46.835 +0.260
4 51 MICHELE PIRRO ITA DUCATI 1:46.878 +0.303
5 26 DANI PEDROSA ESP HONDA 1:46.999 +0.424
6 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:47.050 +0.475
7 99 JORGE LORENZO ESP DUCATI 1:47.152 +0.577
8 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP ASPAR DUCATI 1:47.167 +0.592
9 9 DANILO PETRUCCI ITA DUCATI 1:47.266 +0.691
10 53 TITO RABAT ESP MARC VDS HONDA 1:47.282 +0.707
11 5 JOHANN ZARCO FRA TECH3 YAMAHA 1:47.319 +0.744
12 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP APRILIA 1:47.475 +0.900
13 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA 1:47.220 +0.645
14 8 HECTOR BARBERÁ ESP AVINTIA DUCATI 1:47.272 +0.697
15 94 JONAS FOLGER ALE TECH3 YAMAHA 1:47.305 +0.730
16 29 ANDREA IANNONE ITA SUZUKI 1:47.625 +1.050
17 76 LORIS BAZ ESP AVINTIA DUCATI 1:47.809 +1.234
18 44 POL ESPARGARÓ ESP KTM 1:47.940 +1.365
19 43 JACK MILLER AUS MARC VDS HONDA 1:47.961 +1.386
20 45 SCOTT REDDING ING PRAMAC DUCATI 1:47.975 +1.400
21 17 KAREL ABRAHAM RTC ASPAR DUCATI 1:48.361 +1.786
22 22 SAM LOWES ING APRILIA 1:48.416 +1.841
23 38 BRADLEY SMITH ING KTM 1:48.594 +2.019
24 50 SYLVAIN GUINTOLI FRA SUZUKI 1:48.892 +2.317
             
RECORDE MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:47.639 175.4 km/h
MELHOR VOLTA ANDREA IANNONE ITA DUCATI 1:46.489 177.3 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA SECA   ar: 28°C | pista: 55ºC

#GALERIA(7059)

ALONSO ATINGE NOVO PATAMAR NA HISTÓRIA DO AUTOMOBILISMO NA ESPETACULAR INDY 500

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = ‘ca-pub-6830925722933424’;
google_ad_slot = ‘8352893793’;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(‘crt_ftr’).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(‘cto_ifr’);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(‘px’)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write('’);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube