Viñales fala em “ano em que mais sofri”, mas descarta mudança de equipe na Yamaha: “Estou muito contente com eles”

Depois de dominar a pré-temporada, Maverick Viñales reconheceu que sofreu ao ver o sonho do título ficar pelo caminho no decorrer de 2017. Mesmo decepcionado, o #25 descarta fazer mudanças no time comandado por Ramón Forcada

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Maverick Viñales começou o ano sonhando com o título da MotoGP, mas fechou a temporada com um amargo terceiro posto, atrás de Marc Márquez e Andrea Dovizioso, que brigaram pelo título até a etapa final.
 
Falando ao jornal espanhol ‘Marca’, Viñales afirmou que 2017 foi “o ano em que mais sofri” e reconheceu que pensou que era o homem a ser batido na MotoGP.
Maverick Viñales fala em ano sofrido, mas descarta fazer mudanças em equipe na Yamaha (Foto: MIchelin)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

“É o ano em que mais sofri, realmente”, disse Viñales. “Comecei o ano com um pensamento, em uma forma física estupenda e mental. Achava que os outros teriam dificuldades para me bater. Dominávamos cada treino, estava muito forte em Austin, era o único que podia bater Marc na corrida, mas tive problema com o pneu dianteiro. Na época, eu me sentia muito forte, que podia ser o piloto a ser batido”, seguiu. 
 
“Depois, os altos e baixos com os pneus, com a moto. Foi a temporada mais difícil mentalmente e cheguei mais cansado ao fim do ano”, reforçou.
 
Questionado se 2017 foi também o ano mais frustrante de sua carreira, Maverick não teve dúvidas: “Sim”. 
 
“No fim, você tem a ideia de ganhar o Mundial quando começa assim. Você tem um objetivo e vê ele escapando pouco a pouco. No fim, é por isso que você trabalha”, comentou. “Um pouco disso e a gana diminui quando você vê que dá tudo e não consegue voltar a ser como no início da temporada. Tudo isso junto fez com que o final da temporada fosse muito difícil”, explicou.
 
Entrando no último ano de seu atual contrato com a Yamaha, o #25 evitou pensar em mais um ano difícil e afirmo que gostaria de seguir com um time forte.
 
“No momento, não penso que as coisas podem ser regulares. Penso que serão perfeitas, que vamos fazer um grande ano, o que não nos deixaram fazer nesse”, afirmou. “Junto com a Yamaha, fazemos uma boa equipe, com Ramón [Forcada], Lin [Jarvis]. Me dou fantasticamente com todos. Gosto muito deles. Prefiro nem pensar. Está claro que me encantaria seguir e seguir forte, como sempre”, sublinhou.
 
Por fim, ao ser perguntado sobre uma eventual mudança na equipe comandada por Forcada, Viñales descartou e afirmou que, embora os resultados tenham ficado longe do esperado, o relacionamento da equipe é bom.
 
“Não, estou muito contente com eles”, respondeu. “Ramón tem muitíssima experiência, trabalha muito bem e, quando a moto ia, estava lá na frente. É melhor não mudar algo que funciona”, ponderou. 
 
“Nos perdemos durante a temporada, mas, de forma nenhuma, tive uma relação ruim com Ramón ou com alguém da equipe. Sempre estivemos muito unidos. Ainda mais nas corridas difíceis, como em Montmeló e Valência. Um piloto valoriza isso”, concluiu.
FALTA DE HONESTIDADE

PERDA DE ETAPA DA FÓRMULA E É DESASTROSA PARA SÃO PAULO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube