Yamaha diz que “perdeu caminho” quando Lorenzo saiu, mas “não porque ele se foi”

Diretor da Yamaha, Lin Jarvis afirmou que a escuderia nipônica “perdeu o caminho” quando Jorge Lorenzo saiu, mas por causa da mudança no regulamento e não pela falta do espanhol

Diretor da Yamaha, Lin Jarvis não acredita que a saída de Jorge Lorenzo seja a explicação para a fase atual do time. O dirigente reconheceu que a equipe dos três diapasões perdeu o caminho quando o #99 saiu, mas por conta da mudança no regulamento da MotoGP e pela partida do espanhol.
 
Na visão de Jarvis, a Yamaha paga um preço pela mudança no regulamento com a adoção de um software padronizado. De acordo com o dirigente, 2016 não foi tão ruim, pois as outras fábricas também estavam se adaptando.
Lin Jarvis (Foto: Yamaha)
Desde que Lorenzo partiu rumo à Ducati, a Yamaha venceu apenas seis corridas. O #99, por sua vez, teve dois anos tumultuados em Bolonha antes de partir para a Honda, mas o primeiro ano com a montadora da asa dourada tampouco tem sido positivo.
 
“Digamos que perdemos o caminho quando Lorenzo se foi, mas não porque ele se foi”, disse Jarvis em entrevista ao site espanhol ‘Motorsport.com’. “O que realmente nos prejudicou foi a introdução da centralina única”, seguiu.
 
“Em 2016, nos não fomos mal, pois os outros também estavam se adaptando, mas, em 2017, caímos e não nos recuperamos. O impacto que a entrada da ECU teve, e, sobretudo, do software único, foi maior do que o da saída de Jorge”, ponderou. “Nós subestimamos o efeito que a mudança da eletrônica teria. Foi isso que nos prejudicou de verdade”, insistiu.
 

O GP da Áustria de MotoGP está marcado para o domingo, às 9h (de Brasília). Acompanhe aqui a cobertura do GRANDE PRÊMIO.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube